É aí que mora o perigo!

Sem medo de morrer, peixes menores se esfregam em grandes tubarões. Por que será?

Imagine um peixinho nadando tranquilamente pelo oceano. De repente, ele percebe a aproximação do seu pior pesadelo: um enorme tubarão-branco! Podemos imaginar que o comportamento natural da pequena presa é nadar para longe do predador para se esconder. Mas e se, ao invés disso, o peixinho se aproximasse do tubarão e começasse a se esfregar nele?! Eu, hein!

Foi esse tipo de comportamento inesperado que alguns pesquisadores observaram ao estudar tubarões-brancos na costa da África do Sul. Enquanto filmavam com um drone os tubarões nadando próximo à superfície, eles registraram 25 eventos em que peixes menores perseguiam ativamente os predadores para, aparentemente, se esfregar neles.

Intrigados com essa estranha atitude dos peixes, os cientistas resolveram investigar se havia outros registros parecidos mundo afora. Ao todo, eles catalogaram 47 eventos em que peixes menores, de 12 espécies diferentes, se esfregavam em tubarões de oito espécies, mostrando que tal comportamento é mais comum do que parece.

Mas, afinal, o que explica a atitude destemida destes peixes? A questão ainda não está completamente respondida, mas os cientistas acreditam que, ao friccionar seus corpos contra o de tubarões, os peixes menores estejam se limpando, mais especificamente se livrando de ectoparasitas. Isso é possível porque os tubarões são recobertos por um tipo especial de minúsculas escamas, chamadas placoides ou dentículos dérmicos, que fazem com que sua pele tenha a textura de uma lixa.

Pequeninos peixes cercam grandes tubarões para se livrarem de parasitas
Foto thundafunda flickker/Flickr
Escamas especiais, chamadas placoides, são capazes de “limpar” e capturar parasitas de outros peixes
Foto Pascal Deynat/Wikimedia Commons

Agora os cientistas querem saber se os tubarões podem ter alguma desvantagem neste tipo de interação, como a de pegar os parasitas passados pelos outros peixes. Uma coisa é fato: os tubarões parecem não gostar nem um pouco de serem “usados” pelos peixinhos, pois costumam fugir ou até mesmo atacá-los. Haja coragem para ficar tão limpinho!

Corajosos peixinhos se esfregam em enormes tubarões


vinicius

Vinícius São Pedro,
Centro de Ciências da Natureza,
Universidade Federal de São Carlos

Sou biólogo e, desde pequeno, apaixonado pela natureza. Um dos meus passatempos favoritos é observar animais, plantas e paisagens naturais.

Matéria publicada em 10.05.2022

COMENTÁRIOS

  • gabriel

    uwu muito bom mas estranho

    Publicado em 17 de maio de 2022 Responder

  • lucas

    CARA DA MEDO

    Publicado em 19 de maio de 2022 Responder

  • Milena Marinho

    Amo ler sobre animais

    Publicado em 23 de maio de 2022 Responder

  • Barbara

    Achei a matéria muito interessante ,vou usá-la na minha pesquisa da escola 4 ano A.

    Publicado em 25 de maio de 2022 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Uma mulher do campo

Quem foi, ou melhor, quem é Elizabeth Altino Teixeira!

Open chat