Quem protege os meros?

Peixes que podem ser maiores do que humanos estão ameaçados de extinção.

Foto Athila Bertoncini

Você já ouviu falar nos meros? São peixes marinhos que fazem parte da família das garoupas, badejos e chernes. Eles são essenciais para o equilíbrio do oceano, mas… estão em perigo e precisam ser preservados! 

O nome científico do mero é Epinephelus itajara, que, na língua Tupi, significa “senhor das pedras”. Foi nomeado assim pelo pesquisador alemão Martin Hinrich Carl Lichtenstein, em 1822, muito provavelmente por conta de seu hábito de nadar entre as pedras. Mas ele também recebe os apelidos de bodete, canapú e badejão, pelas diferentes regiões brasileiras.

Antes mesmo dos europeus pisarem pela primeira vez no Brasil, os meros já eram conhecidos pelos povos originários. Mas esses peixes não vivem apenas pelo nosso litoral, habitam as águas do oceano Atlântico, na África, do Senegal ao Congo; e, nas Américas, dos Estados Unidos, passando pelo Caribe e América Central, até chegar na América do Sul, ocorrendo até Santa Catarina, no Brasil.

A vida dos meros começa no manguezal, onde esses peixes ósseos (que apresentam esqueleto) passam seus primeiros anos de vida. Quando nascem, são uma minúscula larva do tamanho da ponta de um alfinete, e a parte mais curiosa é que todos os meros nascem fêmeas. Na fase adulta é que alguns se tornam machos, possibilitando a continuidade da espécie! 

Por volta dos seis ou sete anos de idade, mais ou menos a idade que você começa a ler, os meros podem ter até um metro de comprimento e já formam grandes cardumes para se reproduzir. Quando adultos, eles ultrapassam o tamanho de um ser humano, podendo atingir mais de dois metros de comprimento e pesar mais de 400 quilogramas – peso aproximado de cinco pessoas adultas. É ou não é um peixão?!

Por mais que sejam grandões, os meros parecem gostar de se sentir protegidos, porque, quando adultos, saem dos estuários e manguezais para procurar abrigo em recifes de coral, costões rochosos ou estruturas artificiais, como embarcações naufragadas e pilares de pontes. No mar, os meros podem ser encontrados a até 100 metros de profundidade. Em ambientes naturais protegidos, eles vivem de 37 a 40 anos, aproximadamente. Acontece que os meros estão em perigo de extinção porque a quantidade de indivíduos que estão sendo mortos é maior do que a dos peixes que estão conseguindo se reproduzir. 

Eles são vítimas, principalmente, da degradação do ambiente, pesca predatória e poluição. Estão classificados pelos especialistas como criticamente ameaçados de extinção, e isso quer dizer que correm o risco de não existir mais. E, quando os meros diminuem de quantidade, causam desiquilíbrio no ambiente: populações de espécies que são consumidas por eles irão aumentar e, por sua vez, se alimentar mais de outras espécies. 

Para ajudar a conservar esses peixes, especialistas se uniram e criaram, em 2002, o Projeto Meros do Brasil, que vem crescendo e hoje atua em 1.500 quilômetros de costa brasileira, estando presente em nove estados e 37 municípios, onde realiza ações de pesquisa científica, educação ambiental e comunicação.

Além do projeto, outra ação importante para a conservação da espécie foi a proibição, por lei, da pesca do mero, tornando a pesca desses peixes um crime ambiental! Se você estiver se perguntando “e como eu posso ajudar o mero e outros peixes?”, um bom modo é saber quais peixes que você e a sua família costumam consumir. Se for uma espécie ameaçada, vocês podem parar de comprar para obrigar que parem de pescá-la. E aí? Os meros podem contar com você?

Que tal conhecer o mero de perto, assistindo ao documentário Itajara?


Tássia Biazon
Cátedra UNESCO para a Sustentabilidade do Oceano
Universidade de São Paulo  

Maíra Borgonha
Pesquisadora
Instituto Meros do Brasil

 

Matéria publicada em 31.05.2024

COMENTÁRIOS

  • Antonio Pietro Pires Borges

    Goiânia : 04/06/2024

    Ola CHC tudo bem ?

    tadinho dos meros !!!

    Ainda bem que fizeram o projeto MEROS DO BRASIL!!!

    A revista CHC é muito legal!

    Até a próxima

    Antonio Pietro

    Publicado em 4 de junho de 2024 Responder

  • ALICE

    olá CHC. Eu adorei a noticia dos meros e minha mãe já viu um 😯…. e por favor publique a minha carta.

    Publicado em 10 de junho de 2024 Responder

  • Lara Sophia P. Da silva

    Achei bem interessante! Super recomendo ler a matéria! Muito legal e divertido de ser lindo,possui uma escrita simples e extremamente interessante fazendo com que você se prenda na leitura, Recomendo!

    Publicado em 13 de junho de 2024 Responder

  • Alunios do 3º ano da Escola Dom

    Alunos do 3º ano vespertino da Escola Dom em Anápolis, Goiás.

    Achamos muito interessante esta reportagem que só de olha na imagem deste peixe ele consegue se camuflar como uma pedra no mar.

    Publicado em 17 de junho de 2024 Responder

  • Ana Cecília da 5- ano

    Olá meu nome é Cecília é tenho 10 anos eu amo animais e precisava achar uma reportagem interessante sobre animais por que esse preciso para um trabalho e penssei nesse tema por que eu gosto de animais muito.
    Sempre gostei de animais e confeço que nunca vi essa espécie de peixe antes mais gostei é achei muito interessante. Gostei muito da matéria de vocês é sobre o assunto por que faz você refletir pra não causar danos no meio ambiente como você disse se isso continuasse assim iria ter um desequilibrou . Gostei muito mesmo dessa matéria é recomendado as pessoas lerem por que é muito importante agente preservar o meio ambiente.

    Publicado em 20 de junho de 2024 Responder

  • Vinicius Valiente dos Santos

    Gostei 👏

    Publicado em 20 de junho de 2024 Responder

  • ALUNOS DO 3º ANO A DA E.E. PROFª SC POLILLO

    OI, BOM DIA! NÓS LEMOS A CHC 354-SOBRE UM PEIXE QUE MORA A 100 MTS DE PROFUNDIDADE E NÓS QUERIAMOS MAIS SOBRE ISSO.
    AGUARDAMOS A PROXIMA MATERIA.
    21-06-24. GUSTAVO AP. GABRIEL, PEDRO L. MIGUEL E SAMUEL.

    Publicado em 21 de junho de 2024 Responder

  • Miguel da Silva Menezes

    Achei muito legal dos meros pois eu não queria que os meros tivessem em extinção.

    Publicado em 24 de junho de 2024 Responder

  • Miguel da Silva Menezes

    E no meu livro da escola eu aprendi muito sobre a chc

    Publicado em 24 de junho de 2024 Responder

  • Miguel da Silva Menezes

    Achei muito legal dos meros pois eu não queria que estivesse em extinção.

    Publicado em 24 de junho de 2024 Responder

  • luiza nicaretta de franca

    muito legal

    Publicado em 18 de julho de 2024 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

O voo dos albatrozes

Nossas ações em terra firme podem afetar o destino dessas aves oceânicas

Mar, misterioso mar!

Cheio de vida e de surpresas, o oceano mexe com a imaginação da gente.