Energia que vem do espaço

A maior tempestade magnética registrada ocorreu há mais de 160 anos e causou diversos efeitos na Terra. E se ela acontecesse nos dias de hoje?

Ilustração Walter Vasconcelos

No dia 2 de setembro de 1859, por volta de 11 horas da manhã, o astrônomo amador britânico Richard Carrington estava realizando sua observação diária do Sol para mapear manchas solares, regiões escuras no disco solar, quando percebeu um evento muito comum: uma erupção solar!

Carrington e seu auxiliar observaram por quase cinco minutos, a olho nu, um clarão no Sol, coisa que normalmente só se detecta com instrumentos especiais que conseguem captar tipos de luz que o olho humano não é capaz de notar. Eles registraram o evento inédito em suas anotações, talvez acreditando que não haveria grandes consequências. Mas…

As noites seguintes foram de intensas auroras, fenômenos que provocam luzes coloridas no céu noturno, que foram percebidas até em locais que nunca haviam ocorrido, como em Cuba e na Jamaica. Alguns relatos afirmam que foram tão fortes que, em Londres, na Inglaterra, foi possível observar a sombra das pessoas projetada no chão. Em uma localidade dos Estados Unidos, os trabalhadores de uma mina de ouro levantaram e começaram a fazer o café da manhã por volta de 1 hora da madrugada, acreditando que já estava amanhecendo.

Na época, poucos aparelhos utilizavam eletricidade e um deles, muito importante para as comunicações, o telégrafo, chegou a funcionar mesmo desconectado da rede elétrica! Alguns operadores deste equipamento até sofreram choques pelas enormes faíscas emitidas. Estima-se que metade dos telégrafos dos Estados Unidos foi afetada naquela ocasião. 

A razão de tudo isso foi uma tempestade magnética causada pelo enorme fluxo de energia e partículas emitidas pelo Sol, atingindo a Terra. Já conversamos um pouco sobre estas tempestades magnéticas na CHC, e descobrimos que elas ocorrem com mais frequência em determinadas épocas, quando a atividade solar é intensa. Por exemplo, em 10 de maio de 2024 tivemos a maior tempestade magnética dos últimos anos. Ela chegou perto do Evento Carrington, como ficou conhecida a tempestade de 1859. E se uma tempestade daquela grandeza acontecesse nos dias hoje?

Bom, para começar, muita gente ficaria sem energia elétrica e internet. Estudos mostram que a geração de energia elétrica poderia levar anos – isso mesmo: anos! –para ser reestabelecida plenamente. Bancos, mercados, aeroportos, transportes, postos de gasolina, hospitais e outros serviços ficariam inacessíveis por bastante tempo. Haveria também falta d’água, ou seja, um caos! 

Agora, preste atenção: não há motivo para entrar em pânico. Nunca acredite em mensagens falsas que dizem para tirar o celular do carregador, porque ele poderia explodir por causa de uma tempestade que está prevista para acontecer durante a madrugada. Cientistas do mundo inteiro estudam e estão atentos a esse tipo de fenômeno. Há equipamentos para medir e processar os dados que podem auxiliar na tomada de decisões para diminuir os danos, caso algo do tipo ocorra. Vamos confiar na ciência!


eder_molina

Eder Molina
Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas
Universidade de São Paulo

Sou paulista, e já nem lembro quando nasci… Sempre fui curioso sobre o porquê das coisas, e desde criança tinha meu clubinho da ciência. Hoje sou professor de Geofísica e continuo xereta e buscando aprender muitas coisas, principalmente sobre a Terra e o Sistema Solar.

Matéria publicada em 31.05.2024

COMENTÁRIOS

  • João Gabriel Leal Cardoso

    Olá meu nome é João Gabriel tenho 8 anos e sou da cidade de picos Piauí eu adorei foi muito legal

    Publicado em 4 de junho de 2024 Responder

    • Eder Molina

      Obrigado por seu comentário, João Gabriel. Continue se aventurando pelo conteúdo da Ciência Hoje das Crianças!
      🙂

      Publicado em 16 de julho de 2024 Responder

  • Ronaldo

    Olá pessoal da CHC! Adorei o artigo das serpetes, amei características das serpentes ,para os lagartos queria que vocês fizessem mais artigos , vou ler mais vezes muito obrigado pela atenção , beijos Ronaldo !

    Publicado em 4 de junho de 2024 Responder

    • Eder Molina

      Continue investigando a CHC, Ronaldo! Você vai encontrar muita coisa boa nela!

      🙂

      Publicado em 16 de julho de 2024 Responder

  • Cecília

    Esse texto é muito longo demais pra mim, pois eu só tenho 9 anos de idade.

    Publicado em 20 de junho de 2024 Responder

  • Cecília Camello

    Esse texto é muito longo demais pra mim, pois eu só tenho 9 anos de idade. E eu não posso ficar sem falar nada, se eu não gostei.

    Publicado em 20 de junho de 2024 Responder

    • Eder Molina

      Oi, Cecília, tudo bem com você? Fez muito bem em escrever e dar tua opinião! Continue assim! Obrigado pela mensagem.

      Este texto teve que ser meio longo porque tinha uma história detalhada pra contar, desculpe-me.

      Mas a CHC está cheia de textos um pouco menores, ideais para tua idade. Dê uma procurada e você vai encontrar coisa muito interessante.

      😉

      Publicado em 16 de julho de 2024 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

O voo dos albatrozes

Nossas ações em terra firme podem afetar o destino dessas aves oceânicas

Quem protege os meros?

Peixes que podem ser maiores do que humanos estão ameaçados de extinção.