Doença de bicho ou de gente?

Coronavírus não é nome de doença, é nome de uma família de vírus. Esses vírus podem provocar doenças respiratórias em humanos. SARS-CoV-2 é o nome do coronavírus que provoca a doença chamada covid-19 – essa que se espalhou pelo mundo todo e fez adoecer muita gente aqui no Brasil também. Você sabia que esse coronavírus pode ter passado de outro animal para os humanos? É sobre isso que vamos falar aqui! Por que os seres humanos pegam doenças de outros animais?

Ilustração Bruna Assis Brasil

Vírus, bactérias e fungos só podem ser vistos com poderosos microscópios. Mas, embora muito pequenos, esses microrganismos podem causar doenças muito graves em humanos. Você não vai gostar de saber, mas cerca de 10 milhões de pessoas morrem a cada ano por vírus, bactérias ou fungos que pegaram de outros animais. Triste, não é?

O novo coronavírus é um exemplo disso. Ele provavelmente passou de outro animal para um humano, provocando uma doença nova, que afeta principalmente os pulmões, mas também outros órgãos, e que foi chamada covid-19. Essa doença foi passando de um humano para outro e para outro e para outro… e assim se espalhou pelo mundo todo. E quando uma doença se espalha mundialmente dizemos que estamos numa pandemia.

Quando se tem uma pandemia, é preciso agir depressa para: identificar os sintomas da doença, as formas de contágio, a origem do microrganismo causador da doença e juntar todas essas informações para tentar desenvolver medicamentos (que controlam) e vacinas (que previnem) a doença.

Conseguir dar contar de tudo isso é tarefa para os cientistas – que são super-heróis de verdade! Mas não é nada fácil… O ideal seria que os vírus (e outros microrganismos) não passassem de outros animais para os humanos. Mas somos nós, humanos, que ultrapassamos barreiras naturais e, sem perceber, nos arriscamos a pegar doenças de outros animais. Não entendeu? Vamos explicar!

 

Para entender a barreira            

Animais domésticos e silvestres carregam com eles – poderíamos até dizer que eles hospedam – uma quantidade enorme de microrganismos. E o que o microrganismo quer? Viver e se reproduzir! Logo, para o microrganismo não é interessante que seu hospedeiro morra, porque, assim, ele, o microrganismo, morre também. Então, urubus, vacas, morcegos, sapos e outros animais convivem em equilíbrio – sem ficar doentes – com os microrganismos que hospedam. O problema surge quando um microrganismo, que não provoca mal algum a um determinado animal que é seu hospedeiro, passa deste para um humano. Aí, pode apostar que houve uma quebra de barreira entre as espécies.

Mas que barreira? Bom… a principal barreira entre diferentes espécies é a física, isto é, uma espécie, em vez de conviver somente com a sua espécie, passa a se misturar com outras espécies. Nessa aproximação física, uma espécie pode ter contato com o microrganismo que habita outra espécie e desenvolver alguma doença, grave ou não.

Animais domésticos e selvagens, como os morcegos, hospedam muitos microrganismos sem adoecer por causa deles.
Foto James Wainscoat/Unsplash

Outra barreira é a resistência do nosso organismo. Veja: o nosso corpo geralmente consegue se defender de microrganismos que o invadem. Além disso, a maior parte dos microrganismos de uma espécie não costuma se adaptar bem em outra e acaba morrendo sem provocar qualquer problema. Mas… pode acontecer de um microrganismo de uma espécie passar para outra e provocar uma doença sim, seja ela grave ou não.

 

Quebra de barreira

A gente acha que o microrganismo é malvado por passar de outro animal para um humano, mas vamos pensar bem… Quem provocou essa aproximação? Quem quebrou a barreira física e se arriscou a ter a barreira da resistência do organismo quebrada também?

Essas barreiras costumam ser rompidas por ações humanas. Isso ocorre quando invadimos áreas onde outras espécies animais vivem. Por exemplo, quando desmatamos áreas naturais conservadas para construir casas, prédios, estradas e explorar ouro, assim como outros minerais.

Também rompemos barreiras quando aumentamos o contato com animais silvestres durante a caça e quando comemos a carne desses animais, que não é controlada para doenças pelo serviço de inspeção veterinária, desde sua criação até venda.

Podemos romper barreiras também quando retiramos animais da natureza para criar em casa, como animais de estimação, o que é ilegal no Brasil. Nesses casos, temos grande chance de contato com fezes, saliva, urina, carne e sangue de animais que podem conter microrganismos que nos façam mal. Também aumentamos as chances de que transmissores (também chamados vetores) como mosquitos, carrapatos e barbeiros nos transmitam esses microrganismos a partir dos animais silvestres.

 

A casa de todos os animais

Quando a Amazônia ou outro ambiente natural é desmatado aumentam as chances de um microrganismo causador de doença nos atingir. Para se ter uma ideia, apenas nos três primeiros meses de 2020, o desmatamento na Amazônia foi de 796 quilômetros quadrados. É difícil até de imaginar, mas isso corresponde a 80 mil campos de futebol.

Com esse grande aumento no desmatamento, imagine o risco que corremos? Somado a isso, quando viajamos de uma região para outra, podemos espalhar uma doença conhecida ou nova para regiões onde a mesma não ocorre. Esse é o caso da atual pandemia de coronavírus, que saiu da Ásia para os demais continentes levada por viajantes.

O tráfico (comércio ilegal) de animais silvestres também é perigoso, porque, além de ameaçar as espécies, ajuda a disseminar doenças. Milhares de animais são retirados anualmente da natureza no Brasil para serem comercializados. De cada dez animais que são apreendidos pela fiscalização, oito são aves, especialmente papagaios, periquitos e araras pertencentes à família dos psitacídeos. E aves silvestres podem ser fonte de muitas doenças, como a clamidiose, que é uma pneumonia grave causada por uma bactéria transmitida por psitacídeos.

Aves silvestres podem ser fonte de muitas doenças. Por isso, devem viver na natureza, não em nossas casas.
Foto Juliana Amorim/Unsplash

Fora da natureza

Depois de tanta informação, você pode estar pensando que o melhor mesmo é ficar longe da natureza. Pelo contrário! Para proteger, precisamos frequentar, conhecer, apreciar os ambientes naturais e suas plantas e animais. Nós, humanos, dependemos desses ambientes para obter remédios, alimentos, água, oxigênio e muitos outros recursos, simplesmente porque fazemos parte da natureza.

Ambientes conservados, com equilíbrio bem mantido entre os organismos que ali habitam, são a garantia de um futuro seguro para a humanidade. Para que isso ocorra, nós precisamos aprender como utilizar seus valiosos recursos, sem destruir o ambiente e nos colocar em risco.

O pangolim e o coronavírus

Um dos animais mais ameaçados de extinção no mundo é o pangolim (um mamífero de origem asiática e africana), considerado com uma provável fonte do coronavírus SARS-CoV-2, causador da covid-19 para humanos. Esses animais são traficados, na China e na África, para consumo de sua carne na China. Não se sabe ao certo a maneira como esse vírus passou dos pangolins para humanos, mas podemos afirmar que os pangolins não são os responsáveis pela pandemia, mas sim vítimas da caça e do tráfico de animais silvestres.

O pangolim pode ser a fonte do novo coronavírus, o SARS-CoV-2.
Foto Wikipédia

Helena Godoy Bergallo e
Maria Alice Santos Alves

Departamento de Ecologia
Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Walfrido Tomás

Laboratório de Vida Selvagem
Embrapa Pantanal

Matéria publicada em 08.06.2020

COMENTÁRIOS

  • bruna teixeira alves

    oi

    Publicado em 8 de junho de 2020 Responder

  • Valentina Maciel leite cruz

    Olá pessoal da chc eu gostei muito da informação do pangolim eu sou aluna do 3 ano e a nossa professora já nos mostrou uma das revistas da chc gostei muito quero que vcs continuem a fazer revistas assim! Um abraço chc e tchau

    Publicado em 8 de junho de 2020 Responder

  • Edelweiss teixeira junior

    Muito bom. Fácil entendimento. Tocando em diversidade, ecologia, biomas, ambiental, proteção, silvestres e diferenciação com os domésticos

    Publicado em 9 de junho de 2020 Responder

  • Roberto Pires

    Parabéns! Vou enviar aos meus sobrinhos!

    Publicado em 9 de junho de 2020 Responder

  • Alicia Ivanissevich

    Muito esclarecedor este texto. Parabéns!

    Publicado em 9 de junho de 2020 Responder

  • Marcos Vinicius

    Achei muito interessante pois sempre pensei que a origem do covi-19 foi pelo morcego

    Publicado em 10 de junho de 2020 Responder

    • giovanna cabrera bonomi

      Mas é por causa do morcego

      Publicado em 25 de junho de 2020 Responder

  • Marya Clara

    Bem interessante 👏

    Publicado em 10 de junho de 2020 Responder

  • Helena Bergallo

    Ainda há dúvidas sobre qual espécie teria passado o coronavírus SARS-COV-2. Inicialmente, achava-se que o pangolim seria a origem. Mais recentemente, estudos mostram que o vírus teve os morcegos como origem, porém passou pelo pangolim como um hospedeiro intermediário até chegar a nós. Enfim, não é fácil identificar esses caminhos da transmissão, mas é muito importante para que possamos evitar futuros contágios.

    Publicado em 10 de junho de 2020 Responder

    • Marcela Gaspar

      Ótimo esclarecimento professora! 👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽

      Publicado em 11 de junho de 2020 Responder

      • Arthur

        Oi tudo bem?

        Publicado em 29 de junho de 2020

  • Luzia Mamoré

    Altamente didático. Linguagem simples e objetiva! Quero usar como texto norteador para Semana do Meio Ambiente. Muito obrigada pelo presente Walfrido!!

    Publicado em 10 de junho de 2020 Responder

  • Maria Alice S. Alves

    Embora os animais silvestres possam ser fontes de doenças por abrigarem microrganismos, como por exemplo os belos animais mostrados nas fotos do artigo, não precisamos temê-los, mas sim sim respeitá-los, deixando-os nos ambientes naturais onde vivem, pois aí estão em equilíbrio com outros organismos que com eles convivem.

    Publicado em 10 de junho de 2020 Responder

  • Enzonaday

    legal

    Publicado em 11 de junho de 2020 Responder

  • Laura Oliveira Leite

    achei muito enteresante

    Publicado em 11 de junho de 2020 Responder

  • Anita

    Olá Pessoal da CHC, adorei a informação sobre o Covid-19

    Publicado em 13 de junho de 2020 Responder

  • Andreza

    Olá sou professora da rede municipal de São José SC e estou adorando as matérias dessa revista maravilhosa. Atualidades e fácil entendimento para os alunos é o que faz eu amar essa revista desde a época que ainda eram impressas. Parabéns a equipe que produz e pensa com carinho em nós leitores.

    Publicado em 15 de junho de 2020 Responder

  • Junior Mendes Poteriko

    Oi, meu nome é Junior. Gostaria de falar sobre a revista CHC. Eu já sabia do coronavírus mas eu não sabia do animal que pegou a doença primeiro, o Pangolim.

    Publicado em 15 de junho de 2020 Responder

  • aninha

    amei essa repor tagen espero que continuem fazendo isso

    Publicado em 15 de junho de 2020 Responder

    • Maria Fernanda Oliveira Souza .

      Eu amei essa publicação .

      Publicado em 24 de junho de 2020 Responder

  • Jansen Gabriel Silva Brito

    oi pessoal da CHC adorei o assunto amo seus livros meu nome é Jansen sou muito fã de vocês e da Ciência quero mais livros em
    kkkkkkkkkk

    (infelizmente não tenho e-mail então vou colocar o do meu pai)

    Publicado em 15 de junho de 2020 Responder

  • ALICIA ANTUNES LOPES

    Achei muito interessante e aprendi muito.

    Publicado em 16 de junho de 2020 Responder

  • Fábio Rodrigues Filho

    Isso é culpa dos humanos que não respeita a natureza e os animais,quando aprendermos isso tudo sera de ferente

    Publicado em 16 de junho de 2020 Responder

  • Anny

    Amei!
    Os melhores artigos científicos para crianças sempre! A Chc sempre a melhor amiga dos educadores!

    Publicado em 17 de junho de 2020 Responder

  • ISABELY ALVES DE ARAUJO

    Amei conhecer um pouco mais sobre a natureza, e o covid – 19.

    Publicado em 17 de junho de 2020 Responder

  • Mateus

    legal

    Publicado em 20 de junho de 2020 Responder

  • Maykon

    Muito boa essa reportagem adorei

    Publicado em 22 de junho de 2020 Responder

  • Dafne Leão garcia

    Bem explicado…

    Publicado em 24 de junho de 2020 Responder

  • kauã vieira da silva

    eu gostei e muito legal eu amei de mais

    Publicado em 24 de junho de 2020 Responder

  • giovanna cabrera bonomi

    gostei muito ajudou muito nos meus estudos eu sou criança

    Publicado em 25 de junho de 2020 Responder

  • giovanna cabrera bonomi

    olà pessoal da chc estou agradecida por isso muito obrigada😁

    Publicado em 25 de junho de 2020 Responder

  • Julia Pontes Soares

    Oi pessoal da chc , achei muito interessante❤❤❤❤ !

    Publicado em 26 de junho de 2020 Responder

  • Maria Eduarda Silva Nascimento

    Olá.
    Eu sou a Maria Eduarda eu achei muito interessante esse artigo gostei muito de saber que os humano podem pegar doenças de animais.
    Agora eu me sinto mais informada
    Obrigada.

    Publicado em 29 de junho de 2020 Responder

  • Fernanda

    Oi meu nome é Fernanda adorei o texto aprendi muito , gostei muito , aprendi coisas que podem cair em provar ou até mesmo alguém querer saber se animal pode transmitir alguma doença

    Publicado em 29 de junho de 2020 Responder

  • Isadora

    É muito importante para nós é para a e os animais. E eu adorei saber isobre esse texto é muito importante para
    Mim. E vou falar para a minha família e vou alertar sobre iso

    Publicado em 29 de junho de 2020 Responder

  • Jonas daniel

    oi

    Publicado em 30 de junho de 2020 Responder

  • Matheus dos santos carvalho

    Achei interessante gostei muito

    Publicado em 30 de junho de 2020 Responder

  • mariana flor

    oi eu sou nova aqui eu não tenho E-mail 💖

    Publicado em 30 de junho de 2020 Responder

  • mariana flor

    MAS TO TENTO TER E-MAIL

    Publicado em 30 de junho de 2020 Responder

  • mariana Nery Chaim Jorge

    MEU NOME VERDADEIRO É MARINA NERY

    Publicado em 30 de junho de 2020 Responder

  • mariana Nery

    MEU NOME VERDADEIRO É MARINA NERY

    Publicado em 30 de junho de 2020 Responder

  • Fernanda Souza

    Meu nome é Fernanda eu tenho 9 anos e estou no 4º ano.
    Achei muito interessante essa parte que o coronavírus foi um animal que transmitiu para os humanos e que começou no continente Asiático, especificamente na China.

    Publicado em 30 de junho de 2020 Responder

  • Dante Vieira Penteado

    Tomara que tudo acabe logo mas pra tudinho acabar precisa respeitar todas as leis de segurança.Não pensei que aquele bicho fofo ia fazer tudo isso.

    Publicado em 1 de julho de 2020 Responder

    • mariana Nery

      verdade acabe logo pra gente continuar como começou

      Publicado em 1 de julho de 2020 Responder

  • mariana Nery

    oi de novo eu to estudando sobre a CHC depois eu volto depois to fazendo a lição

    Publicado em 1 de julho de 2020 Responder

  • Débora Kemily

    oi acho que a turma da chc tudo bem de novo

    Publicado em 1 de julho de 2020 Responder

  • Roberta Negrini

    Olá ,eu gostei muito da notícia de se dia boa noite 😘

    Publicado em 2 de julho de 2020 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Nandaia

Siriri/Dança tradicional (domínio público)

Microrganismos soltam pum?

Microrganismos são seres microscópicos que vivem em todos os lugares do nosso planeta. São tão pequenos que nós não conseguimos enxergá-los. Mas que tal um experimento para observar esses microrganismos se alimentando e, como dizer?..., soltando pum?!