Zabivaka!

O que você sabe sobre a mascote da Copa da Rússia?

Além de bola em campo, torcida animada e muitos gols, a Copa do mundo sempre tem uma mascote. Em 2014, quando a disputa aconteceu no Brasil, o tatu-bola-da-Caatinga foi o escolhido. Antes dele foi o leopardo, na Copa da África do Sul, em 2010. No torneio da Rússia, mais uma vez, temos uma mascote animal: Zabivaka.

Zabivaka (“aquele que marca gol”, em russo) é um lobo-cinzento, espécie nativa da América do Norte, Europa, Ásia e norte da África. Os pesquisadores dão aos lobos-cinzentos o nome científico Canis lupus, formado por duas palavras em latim que significam “cão” e “lobo”. E se você achou essas palavras muito parecidas com os significados em português, existe um motivo muito especial para isso: a nossa língua surgiu séculos atrás na Europa, a partir do latim!

Mas, vamos voltar aos lobos-cinzentos. Eles podem medir até dois metros de comprimento (contando a cauda) e pesar mais de 60 quilos!São os maiores representantes da família dos canídeos, que conta com cerca de 35 espécies, incluindo coiotes, raposas, cachorros-do-mato e o brasileiríssimo lobo-guará.

Zabivaka é o nome da mascote da Copa da Rússia 2018.
Não é simpático?
(ilustração: FIFA)

coluna_henrique

Os lobos-cinzentos são carnívoros. Às vezes, caçam sozinhos.Mas geralmente vivem em grupos chamados alcateias, que podem ter mais de 30 lobos.Seus principais alimentos são animais grandes como cervos, renas e javalis
(foto: Doug Smith / Wikipedia).

Embora tenham alguma má fama (aposto que você já ouviu histórias sobre lobos maus), os lobos desempenham um papel muito importante na natureza.Veja o exemplo do Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos. Por causa da caça, os lobos-cinzentos foram exterminados do parque por volta do ano de 1930.

Sem lobos por perto, a população de cervos cresceu muito. Ramos e brotos de salgueiro são um dos alimentos preferidos dos cervos, e a superpopulação desses animais levou à diminuição dos salgueiros. Isso afetou os castores, que usam madeira de salgueiro para construir seus abrigos. Provavelmente, aqueda no número de castores também causou mudanças nas populações de outros seres. E todo esse tremendo desequilíbrio ambiental começou por causa do desaparecimento dos lobos.

A história de Yellowstone mudou em 1995, quando pesquisadores levaram alguns lobos de outras regiões para habitarem o parque de novo, desta vez protegidos da caça. Desde então,há menos cervos, mais salgueiros, mais castores,e um ecossistema que parece voltar ao equilíbrio. Quem diria que a falta de uma espécie poderia causar tanto problema para o meio ambiente?


Henrique Caldeira Costa
Programa de Pós-Graduação em Zoologia
Universidade Federal de Minas Gerais

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse especial em pesquisar a história por trás dos nomes dos animais. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Henrique Caldeira Costa
Programa de Pós-Graduação em Zoologia
Universidade Federal de Minas Gerais

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse especial em pesquisar a história por trás dos nomes dos animais. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Matéria publicada em 06.07.2018

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Já tinha descoberto algumas coisas sobre esse mascote incrível, o nome dele é algo muito curioso!

    Publicado em 21 de julho de 2018 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Congadas e outras festas populares!

As celebrações vêm da África, mas a alegria é tradição do Brasil

O castelo faz 100 anos!

Na cidade do Rio de Janeiro, bem na margem da Avenida Brasil, existe um castelo. Nele não moram reis, rainhas, príncipes ou princesas. Se existe alguém reinando por lá, é a Ciência!