Zabivaka!

O que você sabe sobre a mascote da Copa da Rússia?

Além de bola em campo, torcida animada e muitos gols, a Copa do mundo sempre tem uma mascote. Em 2014, quando a disputa aconteceu no Brasil, o tatu-bola-da-Caatinga foi o escolhido. Antes dele foi o leopardo, na Copa da África do Sul, em 2010. No torneio da Rússia, mais uma vez, temos uma mascote animal: Zabivaka.

Zabivaka (“aquele que marca gol”, em russo) é um lobo-cinzento, espécie nativa da América do Norte, Europa, Ásia e norte da África. Os pesquisadores dão aos lobos-cinzentos o nome científico Canis lupus, formado por duas palavras em latim que significam “cão” e “lobo”. E se você achou essas palavras muito parecidas com os significados em português, existe um motivo muito especial para isso: a nossa língua surgiu séculos atrás na Europa, a partir do latim!

Mas, vamos voltar aos lobos-cinzentos. Eles podem medir até dois metros de comprimento (contando a cauda) e pesar mais de 60 quilos!São os maiores representantes da família dos canídeos, que conta com cerca de 35 espécies, incluindo coiotes, raposas, cachorros-do-mato e o brasileiríssimo lobo-guará.

Zabivaka é o nome da mascote da Copa da Rússia 2018.
Não é simpático?
(ilustração: FIFA)

coluna_henrique

Os lobos-cinzentos são carnívoros. Às vezes, caçam sozinhos.Mas geralmente vivem em grupos chamados alcateias, que podem ter mais de 30 lobos.Seus principais alimentos são animais grandes como cervos, renas e javalis
(foto: Doug Smith / Wikipedia).

Embora tenham alguma má fama (aposto que você já ouviu histórias sobre lobos maus), os lobos desempenham um papel muito importante na natureza.Veja o exemplo do Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos. Por causa da caça, os lobos-cinzentos foram exterminados do parque por volta do ano de 1930.

Sem lobos por perto, a população de cervos cresceu muito. Ramos e brotos de salgueiro são um dos alimentos preferidos dos cervos, e a superpopulação desses animais levou à diminuição dos salgueiros. Isso afetou os castores, que usam madeira de salgueiro para construir seus abrigos. Provavelmente, aqueda no número de castores também causou mudanças nas populações de outros seres. E todo esse tremendo desequilíbrio ambiental começou por causa do desaparecimento dos lobos.

A história de Yellowstone mudou em 1995, quando pesquisadores levaram alguns lobos de outras regiões para habitarem o parque de novo, desta vez protegidos da caça. Desde então,há menos cervos, mais salgueiros, mais castores,e um ecossistema que parece voltar ao equilíbrio. Quem diria que a falta de uma espécie poderia causar tanto problema para o meio ambiente?


Henrique Caldeira Costa
Programa de Pós-Graduação em Zoologia
Universidade Federal de Minas Gerais

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse especial em pesquisar a história por trás dos nomes dos animais. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Henrique Caldeira Costa
Programa de Pós-Graduação em Zoologia
Universidade Federal de Minas Gerais

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse especial em pesquisar a história por trás dos nomes dos animais. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Matéria publicada em 06.07.2018

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Já tinha descoberto algumas coisas sobre esse mascote incrível, o nome dele é algo muito curioso!

    Publicado em 21 de julho de 2018 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Médico de Família!

: Uma profissão que salva vidas e leva saúde a quem mais precisa

Fórmula de Escolha

Chegou a hora de brincar, mas a turma não sabe como selecionar quem será o escolhido para comandar a brincadeira de maneira justa. A CHC tem a solução!