O aquecimento global, a Amazônia e os… lagartos???

Aquecimento global. Você pode não saber exatamente o que significa, mas já ouviu essa expressão, não é mesmo? Pois então: a temperatura da Terra está aumentando nos últimos anos, especialmente em razão de atividades humanas, que resultam em poluição. Alterações no clima estão sendo observadas em diferentes lugares da Terra, até na Amazônia! Muitos animais sofrem com essas mudanças climáticas, incluindo os lagartos!

Ilustração Walter Vasconcelos

Cada lugar do mundo sofre às mudanças climáticas de uma maneira. Na região tropical do nosso planeta, onde fica o Brasil, os cientistas – depois de muitas pesquisas e cálculos – preveem mudanças na quantidade de chuva e na variação de temperatura para os próximos 50 anos.

E o que será que vai acontecer com a Amazônia? Bem, de acordo com as pesquisas, a região vai ficar mais quente, e vai apresentar cada vez menos chuvas ao longo do ano. Essas mudanças podem afetar todos os seres vivos que vivem na imensidão da floresta amazônica – desde as plantas e fungos até os vertebrados, como os anfíbios, os répteis, as aves, peixes e os mamíferos.

 

Por que a preocupação com os lagartos?

Os lagartos fazem parte do grupo dos répteis, animais que dependem da temperatura do ambiente em que vivem para regular a temperatura do seu próprio corpo. Em outras palavras, esses bichos são muito frágeis ao aumento de temperatura causado pelas mudanças climáticas.

Nas horas mais quentes do dia, os lagartos procuram um abrigo para fugir do calorão. E enquanto se abrigam, eles não podem procurar alimentos nem se reproduzir.

Por outro lado, com os lagartos escondidos, muitos animais que se alimentam deles acabam ficando sem ter o que comer. E quanto mais aumentar a temperatura do lugar que o lagarto vive, mais tempo ele vai ter de ficar escondido no abrigo.

Em resumo: escondido, o lagarto não se alimenta, não deixa filhotes, nem serve de alimento a outras espécies. É um problema grave e… em consequência do aumento da temperatura ambiental!

Calango-verde
Foto D. Gordon E. Robertson/Wikimedia Commons
Iguana-verde
Foto Cayambe/Wikimedia Commons
Lagarto-da-mata ou calango
Foto Bernard Dupont/Wikimedia Commons

Proteção para os répteis

Os cientistas estão tentando entender o que pode acontecer com os lagartos se o aquecimento global continuar. Para os lagartos da Amazônia, por exemplo, o futuro já é bastante preocupante, porque existe pouca informação sobre a maioria das espécies.

Se nada for feito para diminuir esse aquecimento, 35 espécies de lagartos da Amazônia têm grande chance de desaparecer daqui há 50 anos. Muitas delas são encontradas dentro de áreas florestais protegidas, que são chamadas Unidades de Conservação. Esses locais são como um “santuário” para a preservação da natureza. Mas com o avanço das mudanças climáticas, parte da biodiversidade vai desaparecer até de locais protegidos.

 

Todo mundo em risco

Os seres humanos também fazem parte da natureza e, claro, sofrerão com as mudanças climáticas. O que há de diferente nesse caso é que a espécie humana é a única que pode fazer algo para reduzir os problemas que vêm surgindo com o aumento da temperatura global. A principal medida seria diminuir a produção dos gases que alteram a composição da nossa atmosfera, fazendo a Terra se tornar cada vez mais quente. Como isso é possível? Vejamos…

Usar menos o carro ou moto e andar mais a pé, de bicicleta ou em transporte público (que leva muita gente de uma só vez). Evitar produzir muito lixo, por exemplo, consumindo mais alimentos frescos e menos comida industrializada. Jogar o lixo no lugar certo. Evitar o desperdício de água, apagar as luzes quando não há ninguém no cômodo, além de dar preferência a objetos que são recicláveis.

Agindo dessa maneira, podemos contribuir para reduzir os riscos de desaparecimento não apenas os lagartos, mas de inúmeras espécies de animais e plantas – todas tão importantes  para o equilíbrio do planeta e tão belas e coloridas. A natureza agradece!

Gases desequilibrados

A atmosfera do nosso planeta é formada por um conjunto de gases que funciona como uma estufa, guardando uma parte da radiação solar (a energia que vem do sol) que, ajuda a deixar a Terra quentinha o suficiente para que os seres vivos possam sobreviver.

O problema é que nós, humanos, mexemos no equilíbrio desses gases com muitas de nossas atividades. A fumaça que sai da chaminé das indústrias, do cano de descarga dos automóveis, da queima de florestas, por exemplo, faz aumentar a presença de gases de efeito estufa na atmosfera, tornando a Terra cada vez mais quente. A consequência disso é o aquecimento global, que causa as mudanças climáticas, que prejudicam ambientes e todos os seres vivos.

Luisa Diele-Viegas e Carlos Frederico D. Rocha,

Departamento de Ecologia,
Instituto de Biologia,
Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

 

Matéria publicada em 27.02.2019

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Tomara que todos esses bichinhos se salvem!

    Publicado em 18 de maio de 2019 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Tem pássaro e avião na rota de colisão!

Quando um crime acontece, é preciso fazer uma investigação para desvendá-lo. Existe uma especialidade chamada antropologia forense. As pistas seguidas por esses especialistas vêm de... ossos! Sim, os esqueletos também falam e ajudam a desvendar mistérios.

O som da natureza

Quando um crime acontece, é preciso fazer uma investigação para desvendá-lo. Existe uma especialidade chamada antropologia forense. As pistas seguidas por esses especialistas vêm de... ossos! Sim, os esqueletos também falam e ajudam a desvendar mistérios.