O dia das tartarugas

Eu adoro tartarugas por que, além de simpáticas, elas já andavam pelo mundo antes mesmo da extinção dos dinossauros. Sua variedade ajudou o inglês Charles Darwin a formular as ideias da seleção natural e da evolução! Hoje, 23 de maio, é o Dia Mundial das Tartarugas, criado pela organização norte-americana American Tortoise Rescue para lembrar a necessidade de proteger esses animais, muitos deles ameaçados de extinção.

Já que o dia é especial, vou contar a história da Hofesh, uma tartaruga marinha macho resgatada em péssimas condições no mar Mediterrâneo pelo centro de resgate de tartarugas marinhas de Israel e que teve suas nadadeiras esquerdas amputadas para sobreviver. Com equipamentos de mergulho, os pesquisadores improvisaram um sistema para devolver sua capacidade de nado, mas, como tinha pouca estabilidade, o bicho passou a esbarrar em tudo.

Depois de ter as patas amputadas, Hofesh recebeu uma prótese de plástico que devolveu sua habilidade de nado. (foto: Centro de resgate de tartarugas marinhas de Israel)

Depois de ter as patas amputadas, Hofesh recebeu uma prótese de plástico que devolveu sua habilidade de nado. (foto: Centro de resgate de tartarugas marinhas de Israel)

Até que apareceu Shlomi Gez, estudante de desenho industrial em Jerusalém. Ele criou uma espécie de barbatana de polipropileno, um plástico flexível e resistente à água, inspirado no design de um avião (o caça F-22 Raptor). Amarrado no casco de Hofesh, o sistema permitiu que a tartaruga enfim nadasse mais livremente.

Apesar de Hofesh significar ‘liberdade’ em hebraico, o animal não pode retornar à natureza, pois seria presa fácil no oceano. Mas ganhou a companhia de uma fêmea de sua espécie, que ficou cega após um acidente. Os pesquisadores acreditam que eles podem formar um lindo casal e, quem sabe um dia, seus filhos poderão, enfim, retornar ao mar!

Uma das ações mais importantes para preservar as tartarugas é a proteção de seus ninhos. Parece incrível, mas as tartarugas sempre retornam para as prais em que nasceram para depositar seus próprios ovos.  (foto: murilocardoso / Flickr / CC BY-NC-SA 2.0)

Uma das ações mais importantes para preservar as tartarugas é a proteção de seus ninhos. Parece incrível, mas as tartarugas sempre retornam para as prais em que nasceram para depositar seus próprios ovos. (foto: murilocardoso / Flickr / CC BY-NC-SA 2.0)

No Brasil, o projeto Tamar realiza um importante trabalho de preservação das tartarugas marinhas, com bases espalhadas por toda nossa costa. O projeto atua na proteção das cinco espécies que vivem em nosso litoral, realizando pesquisa, mapeando e protegendo ninhos e orientando as populações costeiras e pescadores. O projeto também se dedica a atividades de educação ambiental e divulgação científica em mais de 10 centros de visitação pública espalhados pelas praias do Brasil. Vale a pena conferir!

E, se quiser aproveitar a data comemorativa para ler mais sobre as tartarugas, confira alguns textos já publicados na CHC Online:

Palavra de tartaruga!
A volta das tartarugas
De férias na areia
Vida longa e próspera
Mais um grandalhão para o time
Proteção e sossego dentro do casco
Por que a tartaruga sai do mar para botar seus ovos?
Como surgiu o casco da tartaruga?
Um pequeno réptil em um mundo de gigantes

Matéria publicada em 23.05.2014

COMENTÁRIOS

Marcelo-Garcia

Sou um curioso apaixonado por ciência e adoro quadrinhos e ficção científica. Quase virei cientista, mas preferi me dedicar a mostrar pra todo mundo que a ciência está em tudo ao nosso redor!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?