De ovo para ovo!

Conheça as estratégias que os filhotes de répteis usam desde o nascimento para se proteger dos predadores.

Quase todo mundo sabe que répteis, como jacarés e tartarugas, colocam ovos. Ok! Os ovos são colocados todos juntos para ficarem mais aquecidos. O mais intrigante é que os ovos de uma ninhada eclodem juntos. A turma sai unida do ninho, e isso diminui a chance de os filhotes serem devorados por um predador. Afinal, é mais difícil ser capturado quando se está em um grupo do que sozinho. Mas como isso acontece? Coincidência? Não! Comunicação entre ovos!

Mas como os filhotes de répteis fazem para sair do ovo todos ao mesmo tempo? A batida do coração de cada embrião faz vibrarem o líquido que fica no interior do ovo e a casca. Essa vibração vai passando de ovo em ovo. Isso faz com que o coração dos embriões bata no mesmo ritmo e todos se desenvolvam ao mesmo tempo.

Os filhotes da tartaruga-da-Amazônia (Podocnemis expansa) têm ainda uma outra estratégia. Pesquisadores descobriram que, quando a hora de nascer vai chegando, os embriões emitem sons que servem como um ‘despertador’ para todos começarem a sair dos ovos.

Mais recentemente, cientistas franceses fizeram um experimento com uma espécie de cobra-d’água, a Natrix maura. Quando os ovos são mantidos juntinhos, as cobrinhas recém-nascidas ficam perto umas das outras. Mas, se os ovos se desenvolverem sem contato uns com os outros, as cobrinhas evitam se tocar depois do nascimento, ficam sozinhas e se movimentam mais. Na natureza, esse comportamento ‘antissocial’ pode ser uma estratégia, pois filhotes que nascem sozinhos precisam ficar espertos e serem rápidos para não virarem refeição de algum predador.

Todas as espécies de tartarugas e jacarés e a maioria das serpentes e lagartos botam ovos. Os jacarés cuidam dos seus ninhos com bastante zelo, mas isso é coisa muito rara entre os outros répteis. Geralmente, a mamãe deixa os ovos em um lugar escondidinho e vai embora – às vezes várias fêmeas botam os ovos no mesmo local, chamado ‘ninho comunal’. Não é à toa que os filhotes aprenderam a se virar sozinhos desde o nascimento!

Ovos de serpentes
Sam Leech/Flickr/CC BY-SA 2.0


Henrique Caldeira Costa,
Departamento de Zoologia,
Universidade Federal de Minas Gerais

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse especial em pesquisar a história por trás dos nomes dos animais. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Matéria publicada em 30.05.2018

COMENTÁRIOS

  • Professora Claudia da Silva Gomes Sicchieri e alunos do 1º ano C

    Olá Henrique, tudo bem?

    Somos alunos do 1º ano C, da EMEIF Prefeita Maria Neli Mussa Tonielo, de Sertãozinho, SP. Adoramos a sua matéria sobre as estratégias que os filhotes usam para nascer e se proteger dos predadores. Foi incrível descobrir que os ovinhos quando estão juntos se comunicam. Parabéns pela reportagem. Aguardaremos as outras descobertas incríveis que você vai publicar nas próximas edições.

    Um forte abraço e um grande beijo!

    Até breve.

    Alunos do 1º ano C 2018.

    Publicado em 8 de junho de 2018 Responder

  • Anna Elise

    Adorei o texto,muito legal!

    Publicado em 24 de junho de 2018 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

O Urutau

Agosto é mês do folclore! E a CHC convida você a participar de uma bela dança, que veio da Europa e foi adaptada por nós, brasileiros. Vamos dançar?

Quero saber…

Respostas interessantes para perguntas muito curiosas!