Quero saber…

…se as formigas emitem sons.

Ilustrações Walter Vasconcelos

Sim! Muitas vezes não conseguimos perceber essa conversa, porque a comunicação entre alguns animais se dá por meio de sinais muito específicos. Mas, dependendo da espécie, é possível observar a utilização de sinais visuais, químicos (odores), táteis (toques) ou sonoros.

No caso das formigas, elas utilizam principalmente sinais químicos para se comunicar. Esses sinais servem para diferentes objetivos: marcação de trilhas e recrutamento de operárias para o trabalho, por exemplo. Ou ainda reconhecimento de companheiras de ninho, demarcação de território ou para alertar situações de perigo!

Algumas espécies são capazes de emitir sons e vibrações através de um órgão de nome meio complicado: placa estridulatória. Esse órgão fica localizado na última parte do corpo da formiga, o abdome – as outras duas são a cabeça e o tórax. Quando a formiga movimenta o abdome para cima e para baixo, ela faz com que as canaletas que formam a tal placa se esfreguem umas às outras, produzindo sinais sonoros chamados estridulações. Resultado: conversa de formiga!

Estudando esses sinais sonoros, cientistas descobriram que eles são muito utilizados na organização da colônia, da mesma forma que os sinais químicos. Nem toda formiga consegue fazer as tais estridulações, mas isso não parece ser uma desvantagem, segundo os pesquisadores. Ainda assim, esse “bate-papo” ainda é pouco compreendido e precisa ser mais estudado. Haja “formiguês”!

Gustavo Martins Stroppa
Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Conservação da Natureza
Universidade Federal de Juiz de Fora 

 

 

…o que são cracas?

Aquelas conchinhas brancas que cortam o pé da gente nas pedras da praia são animais. Isso mesmo! Elas são as cracas! E são crustáceos, assim como caranguejos, camarões, lagostas e piolhos-de-baleia. Mas, diferentemente dos outros crustáceos, as cracas ficam fixas em alguma coisa, que pode ser uma pedra, um casco de navio, um casco de tartaruga ou, até mesmo, a pele de um golfinho.

Outra curiosidade sobre as cracas é que elas são filtradoras. Isso quer dizer que se alimentam de pequenos microrganismos que estão em todas as partes dos oceanos, os plânctons. E não é verdade que as cracas comem o casco do navio, da tartaruga ou a pele do golfinho, como dizem por aí. Elas apenas se utilizam desses meios para se prenderem e pegar uma carona até o próximo jantar flutuante de plâncton!

As cracas não passam a vida inteira presas. Na fase de larvas, os filhotes de cracas são livres e nadam na água, à procura de um lugar para se fixar. E nem todas as cracas são iguais! As da espécie Xenobalanus globicipitis, que se prendem à pele de golfinhos e baleias, têm um pescoço comprido e conchinhas bem pequenas, parecendo mais minhocas do que cracas.

Recentemente, pesquisadores do Projeto Baleia à Vista perceberam que cada vez mais golfinhos e baleias estão aparecendo com essas cracas, que podem ter vindo de algum outro lugar do mundo, pegando carona em alguma espécie oceânica. Mas o motivo de elas resolverem se mudar para as águas brasileiras ainda é um mistério a desvendar!

Tammy Iwasa Arai
Laboratório de Diversidade Genômica
Universidade de São Paulo

 

…se é verdade que as aves têm ossos ocos.

Quem aí não gostaria de voar pelo céu como uma águia? Essa habilidade especial das aves é possível em razão de muitas adaptações, como os braços em forma de asas cobertas por penas, os fortes músculos do peito e um esqueleto leve. Mas tem uma “pegadinha” nessa história!

Durante muito tempo, acreditava-se que o esqueleto das aves era mais leve que o de outros animais. Mas não é bem assim! Quase toda ave tem muitos ossos ocos, chamados ossos pneumáticos. Acontece que eles não deixam a ave mais leve…

Dentro dos ossos pneumáticos existem estruturas que lembram pequeninas colunas, que lhes dão reforço. A cientista estadunidense Elizabeth Dumont descobriu que, comparados com ossos de um mamífero, como camundongos e até morcegos, os ossos pneumáticos das aves são mais densos. Isso resulta em ossos fortes o suficiente para resistir à força do ar. Algo essencial para animais voadores!

O esqueleto de uma ave, portanto, embora seja leve, tem quase a mesma massa do esqueleto de um mamífero de tamanho parecido. Em outras palavras: o esqueleto de um canarinho não é mais leve que o esqueleto de um camundongo de mesmo tamanho. Eles têm pesos muito parecidos, porque os ossos do canarinho são mais densos.

Henrique C. Costa
Departamento de Zoologia
Universidade Federal de Juiz de Fora

 

Matéria publicada em 01.03.2023

COMENTÁRIOS

  • FRANCISCO

    ACHAI MUITO LEGAL POREM QUERIA MAIS DESSE TIPO.

    Publicado em 14 de março de 2023 Responder

  • Maria Luisa

    Gostaria que vc escrevesse mais sobre os ossos das aves.
    Brasília,Brasil

    Publicado em 18 de março de 2023 Responder

  • JBNP

    gostei bastante, achei interessante!

    Publicado em 26 de outubro de 2023 Responder

  • JBNP

    tambem não sabia disso! bem legal.

    Publicado em 26 de outubro de 2023 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Aves que semeiam

Sabia que algumas aves têm a capacidade de semear? Vamos descobrir quem são elas e como fazem brotar novas plantas!

Quando as mãos falam

Quem quer saber mais sobre a Libras, a Língua Brasileira de Sinais?