O cágado e as frutas

*Silvio Romero (domínio público)

Ilustração Jaca

Existia na floresta uma fruta que todos os bichos tinham vontade de comer, Acontece que era proibido provar a tal fruta sem antes saber o seu nome. Somente uma mulher sabia o nome da fruta e ela morava longe da árvore. Os animais com frequência iam à casa dela para perguntar, mas a distância era tanta que quando voltavam já não se lembravam mais do nome da fruta e não podiam comê-la. Todos iam e voltavam, e nada de acertar o nome. Faltava somente o cágado.

Bichos das mais diferentes espécies foram chamar o cágado para provar da fruta. Alguns caçoavam muito dele, dizendo: “Até parece que andando devagar daquele jeito vai lembrar de alguma coisa quando voltar”. 

Pois o cágado partiu para a casa da mulher com sua violinha. Ao chegar, foi logo perguntando o nome da fruta. E a mulher falou: Boyoyô-boyoyô-quizama-quizu, boyoyôboyoyô-quizama-quizu. Que língua era aquela eu não sei, nem o cágado. Mas a mulher tinha mais um truque para fazer as pessoas esquecerem do nome, depois que cada bicho estava já distante da casa, ela gritava: “Ô amigo, o nome não é esse, não!” E dizia outros nomes bem estranhos. Os bichos se atrapalhavam e, quando chegavam ao pé de fruta, não sabiam mais o nome. 

Com o cágado foi diferente. Ele tirou a viola do saco e decorou o nome da fruta em forma de cantiga. E lá se foi cantarolando até a árvore. De olho nos frutos, a onça lhe fez uma proposta: “Amigo cágado, você como não pode subir na árvore, deixe que eu suba para tirar as frutas, e você me dá algumas”. O cágado ficou desconfiado por se tratar de uma onça, mas aceitou. E aconteceu o esperado: ela encheu um saco de frutas e saiu correndo, sem dar uma sequer àquele que chamou de amigo. 

O cágado ficou uma arara de zangado com a onça. Correu (isso mesmo, correu!) atrás dela e conseguiu alcançá-la na beira do rio. Então, ele disse: “Onça, me dê o saco para eu atravessar. Sou melhor nadador, e você atravessa depois”. A onça concordou, mas o cágado sabido, quando se viu na outra margem do rio, desapareceu, e a onça ficou do outro lado com cara de boba, porque não sabia nadar. Dizem que ela chamava pelo cágado, que respondia, mas ela não conseguia vê-lo. Sabe-se lá se ela achou que estava ouvindo vozes ou se morreu de raiva.

*Este conto de domínio público é atribuído à cultura popular do Estado de Sergipe. Foi recolhido pelo escritor e folclorista Silvio Romero, que nasceu em 1851 e faleceu em 1914. A versão que você acaba de ler foi livremente adaptada pela CHC.

 

Fonte: https://cadernosdomundointeiro.com.br/pdf/Contos-populares-do-Brasil-2a-edicao-Cadernos-do-Mundo-Inteiro.pdf

Matéria publicada em 02.10.2023

COMENTÁRIOS

  • Giovanna

    Olá amigos a CHC gostei muito desse texto amo muito suas revistas. Tchau amigos da CHC

    Publicado em 4 de outubro de 2023 Responder

  • Heloisa

    Oi amigos da CHC meu nome Heloisa tenho 9 anos e gostei muito dessa página e quero ler mas vezes essa revista . O brigado pela atenção.

    Publicado em 4 de outubro de 2023 Responder

  • Isabely

    Oi amigos da CHC eu gostei muito da revista CÁGADO e as frutas também é muito legal.

    Publicado em 4 de outubro de 2023 Responder

  • ASSOCIACAO DE PAIS E MESTRES DA E E HONORATO FAUSTINO ASSOCIACAO DE PAIS E MESTRES

    Gostamos do nome da fruta, ninguém aqui conseguiu decorar haha… abraços, 4B 2023 HF

    Publicado em 5 de outubro de 2023 Responder

  • Aluno 8 anos rai Rodrigues do Nascimento

    Escola Francisco Rodrigues de Medeiros aluno 8 ano turno tarde

    Eu gastei bastante dessa matéria é muito engraçado é também as frutas são meios estranhos é também tem aventuras brincadeiras

    Publicado em 16 de outubro de 2023 Responder

  • Lavínia Camargo dos Santos Pires

    Olá, pessoal da CHC, Tudo bem? Gostaria de dizer que gostei muito dessa reportagem ´´Os cágados e as frutas”, Gosto muito de todas as suas reportagens. Queria pedir que vocês fizessem mais reportagens como essa. Muito obrigada por ler a minha carta. Um abraço, até a próxima!

    Lavínia Camargo dos Santos Pires, Agudos/SP
    20/10/2023

    Publicado em 20 de outubro de 2023 Responder

  • Eduardo atieh

    olá eu sou o Eduardo e amei mais que fruta era era mesmo Boyoyô-boyoyô-quizama-quizu, boyoyôboyoyô-quizama-quizu. e se for que fruta era?

    Publicado em 26 de outubro de 2023 Responder

  • Arthur costa sarcinelli

    Olá CHC!!!!

    Sou do colégio sagrado coração de Maria Vitória moro no ES . tenho 9 anos moro em Vitória. Gostei da revista Cágado e as frutas.Mas queria um pouco mais de ação mas do mesmo jeito amei.E achei o nome Cágado muito engraçado. Queria sugerir para a CHC fazer uma revista sobre futebol e sobre animais pois adoro aprender sobre eles. Gosto muito de ler. também quero aprender mais sobre o oceano pois só conhecemos 10% dele.

    obrigado pela atenção!!!!
    ass;Arthur

    Publicado em 26 de outubro de 2023 Responder

  • Daniel e Diogo

    Oi meu nome é Diogo, tenho 8 anos. Oi eu sou o Daniel, tenho 8 anos também, sou do 3° ano, e a minha escola é a Escola Estadual Dom Aquino Correa em Juara – M. eu gostei muito da sua revista e o Diogo também gostou da sua revista a gente adorou.

    Publicado em 27 de outubro de 2023 Responder

  • Isaac e Luis Otávio

    Oi meu nome é Isaac, tenho 9 anos e o meu nome é Luis Otávio tenho 9 anos, somos do 3° ano da Escola Estadual Dom Aquino Correa em Juara-MT, nos gostamos da historia, muito legal.

    Publicado em 27 de outubro de 2023 Responder

  • marhia vicktorya Bertonha Dutra

    Ola pessoal da revista CHC quando eu li essa revista fiquei encantada sou marhia da escola marcos gasparian
    eu recomendo fazerem mais revistas interesantes como essa. obrigada thau

    Publicado em 27 de outubro de 2023 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Quem protege os meros?

Peixes que podem ser maiores do que humanos estão ameaçados de extinção.

Mar, misterioso mar!

Cheio de vida e de surpresas, o oceano mexe com a imaginação da gente.