Exo.. quem!?

Um céu estrelado guarda muitos segredos. Um deles vou contar agora: você sabia que, espalhados pelo universo, entre estrelas bem distantes, existem muitos planetas escondidos? São provavelmente milhões ou bilhões deles, que recebem o nome de planetas extrassolares ou exoplanetas, pois orbitam outras estrelas que não o Sol.

O telescópio Kepler está no espaço desde 2009 e tem como uma de suas missões investigar os exoplanetas. Ele tira fotos a cada três segundos! (Imagem: Wikimedia Commons)

O telescópio Kepler está no espaço desde 2009 e tem como uma de suas missões investigar os exoplanetas. Ele tira fotos a cada três segundos! (Imagem: Wikimedia Commons)

Talvez você não saiba, mas as estrelas que vemos no céu noturno são parecidas com o nosso astro-rei. Algumas são menores, outras, bem maiores – mas todas estão muito, muito mais distantes de nós do que o Sol que vemos todas as manhãs.

Diversas dessas estrelas têm planetas que giram ao seu redor, assim como a Terra gira em torno do Sol. Desde o final da década de 1980, já foram observados mais de quatro mil possíveis registros desses planetas longínquos.

Embora astrônomos já tenham descoberto exoplanetas menores ou quase do mesmo tamanho que a Terra, a maioria é bem maior que nosso planetinha – é que, por serem enormes, são mais fáceis de encontrar! Aqui na CHC Online já falamos de alguns exemplos: um planeta com dois sóis, outro que está muito sozinho no universo e um terceiro com uma cor bem parecida com a da Terra.

O Planeta Kepler 22-b talvez possua um denso oceano e foi o primeiro a ser descoberto na zona habitável, ou seja, a área ao redor de uma estrela em que não é nem muito quente nem muito fria para impossibilitar a existência de vida (Imagem: Nasa)

O Planeta Kepler 22-b talvez possua um denso oceano e foi o primeiro a ser descoberto na zona habitável, ou seja, a área ao redor de uma estrela em que não é nem muito quente nem muito fria para impossibilitar a existência de vida (Imagem: Nasa)

Geoffrey Marcy, astrônomo norte-americano especialista em exoplanetas, conta que a maneira mais comum de encontrá-los é observar a luz da estrela mais próxima. “Quando um planeta cruza na frente dela, bloqueia um pouco da luz”, explica. Geoffrey é investigador de uma missão da agência espacial norte-americana (Nasa) que vasculha o espaço desde 2009 com a ajuda do telescópio Kepler, justamente em busca de exoplanetas.

Agora você deve estar se perguntando: será que existe vida em algum desses planetas? É possível que sim. Segundo Geoffrey, já sabemos que vários exoplanetas possuem água líquida na superfície, uma condição fundamental para a vida. “É possível que alguns deles abriguem plantas e animais, talvez até espécies inteligentes, como nós, humanos!”

Seja como for, o astrônomo destaca que os exoplanetas ainda são, no fundo, um grande mistério. “É importante estudá-los para entender mais sobre o universo e para tentar descobrir se algum desses outros mundos é parecido com a Terra”, afirma. Eu fico curiosa para saber o que vão encontrar!

Matéria publicada em 29.01.2014

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Bom texto, adorei!

    Publicado em 31 de dezembro de 2018 Responder

Envie um comentário

Isabelle Carvalho

Desde criança, sempre gostei de ler e escrever histórias. Hoje, estou muito feliz por poder contar muitas histórias sobre ciência na CHC!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat