Perigos que vêm do mar

Qual é o primeiro pensamento que você tem quando alguém diz “Vamos à praia?”

Mar forte típico de ressaca.
Foto cedida pela autora

Quando o programa é ir à praia, muitas imagens nos vêm à cabeça! Brincadeiras na areia, ondas, mergulhos no mar e sorvete para refrescar…Sabia que essa experiênciade estar perto do mar já era conhecida dos ancestrais da espécie humana? Sim! Há mais de 1,9 milhão de anos nossos ancestrais pré-históricos já exploravam o litoral – não sabemos se também usavam as praias pra se divertir, mas, com certeza, extraíam alimentos do mar e dos costões rochosos, encontravam abrigo e proteção na vegetação próxima à praia, bebiam água fresca dos riachos que lá desembocavam e, também, usavam os materiais espalhados pela praia – como pedras, troncos e conchas – para fazer ferramentas e enfeites. A disponibilidade de todos esses recursos da natureza ajudou na sobrevivência e prosperidade de nossos ancestrais.

Milhares e milhares de anos se passaram até surgirem as primeiras cidades costeiras. Hoje a maior parteda população mundial vive em cidades localizadas perto do mar. O crescimento dessas cidades e a exploração exagerada dos recursos naturais que tanto beneficiaram os nossos ancestrais acabou nos tornando mais expostos aos perigos naturais que têm    origem no mar.

No caso das regiões Sul e Sudeste do Brasil, esses perigos vêm na forma de fortes tempestades e ciclones, que trazem chuvas intensas e eventos meteorológicos-oceanográficos conhecidos como ressacas do mar (ondas altas e fortes) e marés altas anormais. Estudos feitos para o Estado de São Paulo mostram que no século 21 estão ocorrendo mais desses eventos e que eles ficaram mais fortes e prolongados, o que vem provocando problemas cada vez maiores nas cidades costeiras. Esse comportamento parece estar associado às mudanças climáticas, pois também está ocorrendo em outras partes do Brasil e do mundo.

Os principais problemas que se desdobram desses eventos naturais com origem no mar são a erosão das praias, as inundações causadas pelas marés altas anormais, as inundações causadas pelo transbordamento das águas dos rios e os deslizamentos nas encostas. Tudo isso gera muitos prejuízos sociais e econômicos, e pode provocar até mortes.

Erosão da praia.
Foto Cláudio Gomes

Outra grande ameaça, também trazida pelo aquecimento global, é a elevação do nível do mar, que acontece lentamente ao longo de várias décadas e até séculos. Este fenômeno também provoca erosão nas praias, que vão se tornando cada vez mais estreitas e podem até desaparecer. Estudos mostram que, desde o final do século 20, o nível do mar vem aumentando de maneira mais rápida do que antigamente, e deve se elevar em quase um metro até 2100.

Mas é importante lembrar que as mudanças que a urbanização faz na orla marítima também podem causar erosão nas praias. Quer alguns exemplos? Construir sobre a faixa de areia, retirar areia das praias e, até mesmo, jogar lixo e esgoto nas praias.

O primeiro passo para salvar nossas praias da erosão – e, ao mesmo tempo, diminuir os impactos das ressacas do mar, das marés altas anormais e da elevação do nível do mar, hoje e no futuro – é entender que a função mais importante das praias é justamente proteger as cidades e os outros ecossistemas costeiros dos perigos do oceano. Portanto, é preciso também proteger as praias! Um dos melhores caminhos é recuperar sua paisagem natural,incluindo as dunas e a vegetação nativa. Só assim podemos garantir que as gerações futuras também desfrutem desse maravilhoso ambiente, que tanto bem nos faz.

 


Celia Regina de Gouveia Souza
Instituto de Pesquisas Ambientais
Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo
Programa de Pós-Graduação em Geografia Física
Universidade de São Paulo

Matéria publicada em 28.07.2021

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Floresta azul?

Debaixo d’água existe uma floresta tão importante quanto às que temos em terra firme!

Um urso pelo Brasil

Ele dominou as Américas, mas desapareceu misteriosamente

Open chat