Perigo no brejo

Você já viu, aqui na CHC Online, que os sapos são animais muito sensíveis, capazes até mesmo de prever terremotos. Essa sensibilidade parece bacana, mas, por outro lado, pode ser prejudicial para esses animais, já que pequenas mudanças, por exemplo, no clima podem afetar o seu modo peculiar de viver.

“Os sapos têm uma pele muito sensível e permeável, por isso precisam estar sempre perto da água para se manterem hidratados e sobreviverem”, explica a bióloga Débora Silvano, da Universidade Católica de Brasília e da ONG Pesquisa e Conservação do Cerrado, que conta com apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. Assim, o local perfeito para esses animais viverem são aqueles com temperaturas mais amenas e bastante umidade.

Sapo cururu

O sapo-cururu e outras espécies de sapos são muito importantes para o equilíbrio do meio ambiente. Eles se alimentam de insetos e vermes e servem de alimento para animais maiores, como cobras e aves (Foto: Fundação Boticário / Divulgação)

Como os sapos não têm a capacidade de manter sua temperatura corporal, precisam regulá-la através do sol (para se esquentarem) e da água (para se refrescarem). Assim, qualquer pequena mudança no clima já afeta esses animais, principalmente se as chuvas diminuírem e, consequentemente, a água disponível também.

Quando o clima esquenta, os sapos até tentam encontrar um novo lugar com as condições deais para viverem. Porém, o deslocamento deles é muito difícil – como são muito dependentes da água, não aguentam muito tempo debaixo do sol ou sem se molhar. Isso quer dizer que, no meio de uma cidade, por exemplo, é complicado para os sapos sair de um parque ou jardim para outro, atravessando grandes trechos sem vegetação.

Uma das soluções para isso seria criar condições para que os sapos migrem e encontrem novas casas. “Se houver um desmatamento em determinada área, por exemplo, é necessário que se deixe um corredor com vegetação e água para que eles possam migrar”, avisa Débora.

Agora, se você encontrar um sapo no seu jardim, nada de achar nojento ou ficar com medo: ele deve estar procurando um bom lugar para viver!

Matéria publicada em 09.02.2012

COMENTÁRIOS

Fernanda Turino

Sempre fui muito curiosa, adorava brincadeiras ao ar livre e acampar (fui até escoteira!). Cresci lendo a CHC e hoje trabalho aqui.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?