Para além da Via Láctea

Que vivemos no planeta Terra, não é novidade para ninguém. Quase todo mundo sabe também que nosso planeta está inserido em um grupo de planetas que giram ao redor do Sol – é o Sistema Solar. Este, por sua vez, faz parte de uma galáxia, a Via Láctea (que está inserida também em uma estrutura maior). Mas essa não é a única galáxia que existe. Aliás, os astrônomos já conhecem cerca de 30 galáxias bem próximas da nossa! E podem ter encontrado mais oito. Acompanhe…

Este é Reticulum II, um dos sistemas estelares recém-descobertos, localizado a mais ou menos 100 mil anos-luz do Sol, na direção da constelação Reticulum. (imagem: Portal Científico do DES/ Grupo DES-Brazil)

Este é Reticulum II, um dos sistemas estelares recém-descobertos, localizado a mais ou menos 100 mil anos-luz do Sol, na direção da constelação Reticulum. (imagem: Portal Científico do DES/ Grupo DES-Brazil)

A descoberta foi feita por um grupo de cientistas de cinco países, incluindo o Brasil, durante um estudo que procura entender por que o universo está em expansão acelerada. Para isso, eles começaram a observar com atenção o céu do hemisfério Sul – foi durante essas observações, feitas com um grande telescópio e câmeras de alta tecnologia, que os astrônomos observaram, em algumas regiões do céu, uma alta concentração de estrelas.

Analisando com cuidado as imagens, eles identificaram oito novos sistemas estelares e, agora, procuram entender como eles surgiram e confirmar se são, de fato, galáxias vizinhas à nossa.

Os sistemas estelares recém-descobertos medem entre 32 e 554 anos-luz (um ano-luz equivale a 10 trilhões de quilômetros). Embora pareça muito para quem está aqui na Terra, eles ocupam uma região pequena da imensidão do Universo.

As estrelas mais azuladas da imagem, localizadas na direção da constelação chamada de Eridanus, formam o menor dos sistemas estelares identificados. Se confirmado como galáxia-anã, será chamado de Eridanus III. (imagem: Portal Científico do DES/ Grupo DES-Brazil)

As estrelas mais azuladas da imagem, localizadas na direção da constelação chamada de Eridanus, formam o menor dos sistemas estelares identificados. Se confirmado como galáxia-anã, será chamado de Eridanus III. (imagem: Portal Científico do DES/ Grupo DES-Brazil)

O astrônomo Marcio Maia, do Observatório Nacional, contou à CHC que ainda é preciso avaliar a fundo esses novos achados. “Sabemos que se tratam de sistemas estelares satélites que estão situados no exterior da nossa galáxia e podem ser importantes para entendermos a formação da Via Láctea”, diz.

Segundo o pesquisador, durante a formação da Via Láctea, podem ter sobrado fragmentos que deram origem a galáxias menores ao seu redor.

A descoberta dos novos sistemas estelares aumenta o número de objetos conhecidos que orbitam em torno da Via Láctea. “Queremos avaliar esses objetos porque são ricos em matéria escura, cuja natureza vimos tentando desvendar há anos”, completa Marcio.

Saiba mais sobre matéria escura e energia escura na CHC 247.

Matéria publicada em 27.03.2015

COMENTÁRIOS

Valentina Leite

Sou apaixonada por cinema, sushi e praia. Adoro escrever, andar de bicicleta, cantar (no chuveiro) e conhecer pessoas novas! Quando pequena queria ser cientista, mas acabei escolhendo ser jornalista e agora escrevo sobre ciência.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?