xz

Ilustração Luci Sacoleira

Bamam era um grande príncipe
filho do rei do país
andava pela montanha
à caça de javalis
tigres e leopardos
melros, pardais e perdiz.

 

O príncipe não atinava
por onde havia de sair
e ali naquela serra
era um perigo dormir
mas ele não acertava
por onde pudesse ir.

 

Já perto da meia-noite
ouviu rugir um leão
mas ele não se importou
nem bateu o coração
depois ouviu uma voz
entoando uma canção.

 

Naquela canção dizia
sou mais ditosa que a flor
nasci no ventre da serra
criei-me aqui com primor
pertenço ao reino das águas
não sinto frio nem calor.

 

A fada disse: pois bem
eu agora vou dormir
uns dez ou quinze minutos
tenho precisão de ir
falar ao deus do amor
você fique até eu vir.

 

Ali reclinou o corpo
sobre a relva adormeceu
e o leão se levantou
e a luz resplandeceu
um nevoeiro cobriu-a
ela desapareceu.

*A literatura de cordel é uma maneira de compor versos bem corridos, muito conhecida nas regiões Norte e Nordeste do país. Ganhou este nome porque os livretos, onde são escritas as rimas, ficam pendurados em cordas, como um varal de roupas, para quem quiser olhar e comprar. O cordel que você acaba de ler é de domínio público e de autoria desconhecida.

Fonte: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/jn000019.pdf

Matéria publicada em 15.03.2022

COMENTÁRIOS

  • Simone

    Bom dia,

    Solicito a gentileza de revisarem este assunto. INFORMAÇÃO CORRETA: O texto está sem estruturação de um Cordel (não é sextilha nem quadra e nem décima) e não conta história nenhuma. O Cordel NÃO É DOMÍNIO PÚBLICO e NÃO É FOLCLORE. Cordel TEM AUTORIA.

    Agradeço a atenção.

    Publicado em 5 de maio de 2022 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Quem protege os meros?

Peixes que podem ser maiores do que humanos estão ameaçados de extinção.

Mar, misterioso mar!

Cheio de vida e de surpresas, o oceano mexe com a imaginação da gente.