Bolachas!

Paulo Robson de Souza

Ilustração Marcelo Badari

Coisinha engraçada esse bicho achatado e espinhento
chamado bolacha-do-mar!

Dentro d’água, dentro da areia,
a fazer cosquinha nos meus pés
e com a areia que a onda lhe cobre
até parece aquelas broas com açúcar
de confeitaria.

Com seus espinhos miúdos,
boca voltada pro fundo,
não sabe se é um ouriço que se achatou
ou uma estrela arrependida
que caiu de outro mundo
e no mar se espatifou.

Uma quase bolacha
quase comida.
Quase nada sabe. Aliás,
só sabe
que é vida.

Paulo Robson de Souza é licenciado em biologia pela Universidade Federal do Espírito Santo. Especializou-se em meio ambiente, pela Universidade de São Paulo e pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, onde atua como professor de Biologia. É também escritor e, junto com Sidnei Olívio, criou muitos poemas e histórias sobre animais como esta, que estão no livro “Poesia INvertegral :nicho semiótico”, Editora JulienDesign.

Matéria publicada em 22.10.2019

COMENTÁRIOS

  • Heloiza dos Santos Rezende

    Olá CHC eu estou muito feliz de estar escrevendo essa carta, amei essa história da Bolacha e foi uma descoberta pra mim eu nem sabia que existe esse bicho não sei se é um bicho mas vou chamar de concha tchau CHC. :3

    Publicado em 31 de julho de 2020 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Campeonato carioca (de samba)!

Qual a origem e o que conta nos desfiles das escolas de samba?

Cofrinho da natureza

Na cultura chinesa, o porco é símbolo de prosperidade e riqueza. Por esta razão, muitos cofrinhos têm o formato desse animal. E se há algo que podemos afirmar com segurança é que “para ter sempre, é preciso poupar”.