Quem pode descobrir?

Os cientistas estão sempre procurando coisas: pistas, informações, respostas para antigos mistérios e, no caso específico dos paleontólogos, fósseis de animais e plantas que mostrem como era a vida na Terra muito tempo atrás. Mas fazer descobertas não é exclusividade dos pesquisadores, sabia?

Quem acompanha a CHC Online já leu a história de um pedreiro que descobriu fósseis de dinossauros no Rio Grande do Sul e até de uma criança que encontrou um crânio de um ancestral do homem moderno. Agora temos mais um exemplo: dois fósseis de titanossauros foram encontrados no interior de São Paulo por pessoas que não tinham nenhuma experiência em escavações paleontológicas!

Fóssil descoberto por acaso no Jardim América, em Marília. (fotos cedidas pelo pesquisador)

Fóssil descoberto por acaso no Jardim América, em Marília (SP). (fotos cedidas pelo pesquisador)

Ronildo Doro, um operador de máquinas, estava caminhando próximo a uma cachoeira no Jardim América – que fica nos arredores da cidade de Marília – quando notou um osso preso na pedra. Curioso, ele fotografou a descoberta e enviou a imagem ao paleontólogo William Nava, do Museu de Paleontologia de Marília.

“Quando vi, tive a certeza de que se tratava de um fóssil”, conta William. “Em janeiro deste ano, fomos ao local retirar o osso, um fragmento de costela pertencente a um titanossauro”. Agora, o material será estudado para descobrir mais detalhes sobre a espécie a que pertenceu e a época em que viveu.

Outra história semelhante é a de Sérgio Bispo de Mello, morador de Álvaro de Carvalho, uma pequena cidade também próxima de Marília. Em novembro do ano passado, ele também descobriu um osso encravado nas pedras e procurou William no Museu de Paleontologia.

O paleontólogo William Nava segura o osso de titanossauro descoberto em Álvaro de Carvalho (SP).

O paleontólogo William Nava segura o osso de titanossauro descoberto em Álvaro de Carvalho (SP).

“Ele disse ter quase certeza de que era um osso de dinossauro, pois comparou a alguns em exposição no museu”, relembra o paleontólogo. “Achei curioso ele estar tão convencido, pois tinha até me confessado que nem acreditava em dinossauros”.

No mês passado, William foi até o local indicado por Sérgio e confirmou a descoberta: dentro de uma fazenda de café, ele havia encontrado um longo osso de titanossauro, com quase um metro de comprimento!

“Graças à sensibilidade dos dois, além de fazer novos amigos e parceiros, pude concluir que qualquer cidadão, com um olhar atento, também pode descobrir um fóssil”, alegra-se o pesquisador. “Eles fizeram descobertas em lugares que eu nunca tinha pesquisado anteriormente”.

E aí, você também se animou a ser um caçador de fósseis? Então, uma dica: se encontrar algum por aí, não tente escavar o fóssil sozinho, pois fazer isso sem as técnicas e os instrumentos adequados pode danificar o material. O mais correto é notificar um museu, universidade ou mesmo a prefeitura mais próxima.

Matéria publicada em 10.03.2014

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Catarina Chagas

Desde criança gosto de ler, inventar histórias e descobrir novidades. Cresci e encontrei um trabalho em que posso fazer tudo isso.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat