Floresta azul?

Debaixo d’água existe uma floresta tão importante quanto às que temos em terra firme!

Foto Peter Southwood/Wikimedia Commons

Você sabia que existe algo parecido com uma imensa floresta no fundo do mar? Pois é verdade! Essas florestas marinhas, também apelidadas de ‘florestas azuis’ por ficarem debaixo d’água, são formadas por algas, vegetais que podem ter diversos tamanhos, cores e funções.
As ‘florestas azuis’ ajudam a produzir o oxigênio, o gás que respirarmos. Delas também vem o sal que tempera a comida, alguns ingredientes usados em remédios e até mesmo em xampus, cremes e maquiagens.

A energia que acende a luz de nossa casa, acredite, também pode ser gerada no mar. E por onde trafegam os navios gigantes que levam muitas pessoas para viajar ao redor do mundo, que transportam até carros? E os barcos pesqueiros? Pelo mar, gente!

A internet, imagine você, passa pelo fundo do mar. Vários cabos submarinos atravessam o fundo do oceano ligando os diferentes continentes como a Europa, a África, a Ásia, a América do Sul e do Norte e nos possibilitam enviar mensagens, realizar ligações telefônicas, pesquisar para o trabalho da escola ou assistir àquele vídeo engraçado.

Ah! Onde é que fica aquela praia com ondas batendo nos pés, brincadeiras na areia macia, esportes aquáticos (como surf e mergulho) e muitos restaurantes servindo peixe e camarão? Na borda do mar, não é?

Mas… O sal para temperar, os remédios para curar, a luz para iluminar, os barcos para passear, o peixe para alimentar, a maquiagem para embelezar e a internet para trabalhar e divertir não saem prontinhos do mar para nós. São necessárias atividades econômicas, trabalho que envolve muitas pessoas, cidades, comunidades e fábricas para preparar e entregar tudo isso prontinho. Isso é a ‘economia do mar’.
Pronto! Você agora já sabe que a economia do mar é muito importante para a sociedade, especialmente por gerar muitos empregos. Agora, feche os olhos…

Imagine a água do mar salgada e limpinha, os pescadores com suas redes, as ondas batendo na areia, as algas da floresta azul dançando com o balanço do mar, os corais (animais que mais parecem plantas) colorindo o fundo do mar… Imagine também peixes brilhantes, luminosos ou de uma cor só nadando ao lado de tartarugas, baleias, polvos, tubarões e golfinhos.

A sensação de imaginar foi boa? Então, abra os olhos e lembre-se sempre de preservar esse mar gigantesco! Todos dependem do mar para respirar um ar puro e milhões de pessoas dependem do mar para sobreviver.

Uma das atitudes que você, morando perto ou longe do mar, pode tomar para preservar o oceano é separar o lixo para reciclagem e descartá-lo no local correto. Assim podemos continuar aproveitando o belo gigante azul com suas florestas, animais e atividades.

Cuidando direitinho o mar e a economia do mar nunca irão nos faltar!

Andrea Bento Carvalho
Universidade Federal do Rio Grande

Um mar de possibilidades

Tudo o que conversamos sobre oceano em 2021 está aqui resumidinho para você!

Foto Mathew Waters/Unsplash

O ano de 2021 foi desafiante, mas também surpreendente para você que navegou no horizonte azul desta coluna. Vamos fazer uma lista de tudo que aprendemos nessa jornada?

Primeiro, descobrimos o principal motivo para conhecermos o oceano: ele está em apuros e a culpa é nossa. Por isso, apresentamos a Década do Oceano, ou seja, temos dez anos para transformar o nosso conhecimento e nossa relação com o oceano para garantir que ele seja limpo, saudável, produtivo, previsível, seguro, transparente, inspirador e envolvente.

O que veio depois? A problemática da poluição marinha. Vimosque toneladas de sujeira são descartadas no ambiente, boa parte chegando ao mar, o que traz grandes prejuízos. É bom deixar registrado que a maioria dos problemas marinhos tem origem de ações em terra!

Em seguida, continuamos tratando dos impactos no ambiente marinho. Parecido com uma pessoa com diferentes doenças, o oceano está mal. Por exemplo, a queima de combustíveis fósseis como a gasolina, que gera resíduos como o gás carbônico, aumenta a temperatura da Terra e do oceano e torna a água mais quente e mais ácida, prejudicando a vida de muitos seres vivos.

E quando o assunto é alimentação…Vimos que o oceano tem papel fundamental nesse desafio! E não é só ofertando saborosos peixes e frutos do mar – que precisam ser consumidos com cautela, pois não tem dado tempo para que eles consigam nascer, crescer e reproduzir. O oceano participa do ciclo da água, na distribuição das chuvas e no clima da Terra. E se uma plantação precisa de água para crescer, a existência do oceano é indispensável para a produção de alimentos em terra firme.

Soubemos ainda que o oceano tem uma grande importância na economia e na geração de empregos. Além da produção de alimentos, ele é fonte de combustíveis fósseis, além de grande potencial para o desenvolvimento de energias limpas e renováveis, a partir do vento, ondas e marés. E essa discussão revela porque o oceano e o clima têm tudo a ver.

Descobrimos também alguns perigos do mar e como podemos enfrentá-los. Ondas altas e fortes, marés anormais, erosão das praias, tempestades e elevação do nível do mar… tudo isso nos assusta, mas com informação e ação podemos conhecer, nos antecipar e nos proteger desses perigos. E o que temos de fazer? Aprender a observar o oceano! A compreensão das frentes frias no oceano, do sobe e desce da maré, por exemplo, protege os navegadores.
Ah, sim! Você ficou sabendo que conhecemos mais sobre a superfície da lua, do que sobre o fundo do oceano. E descobriu que, a partir de um sonar, aparelho capaz de medir a profundidade e o relevo embaixo da água por meio da propagação do som na água, é possível conhecer lugares nunca vistos. E o que há no fundo do mar? Planícies, fossas e cadeias de montanhas que esperamos conhecer completamente até 2030.

Além de tudo isso, descobrimos que coletar mais informações sobre o oceano depende de diferentes equipamentos, já que o ser humano não pode mergulhar mais do que 300 metros de profundidade e que o oceano tem uma profundidade média de quatro mil metros!

Por fim, o oceano e você… Não importa quem é você, a verdade é que você está direta ou indiretamente relacionado com o oceano, seja por respirar, chover na sua plantação, comer num restaurante japonês, temperar a comida com sal, fazer funcionar o carro com gasolina e muito mais!

Ufa, quanta coisa a gente aprendeu, hein? O oceano nunca mais vai ser o mesmo para você. Nem para mim… Sabe o que é melhor? Em 2022 tem mais!!!

Tássia Biazon, Monique Rached
Alexander Turra

Instituto Oceanográfico
Universidade de São Paulo

Matéria publicada em 29.12.2021

COMENTÁRIOS

  • Jeovana Luiza

    Haha, muito legal, conheci a CHC em setembro/outubro/2021, pelo livro da escola, porque eu gosto acessar os sites com o endereço, aí eu descobri. O meu livro é da editora Conquista/Positivo.

    Publicado em 19 de janeiro de 2022 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Um urso pelo Brasil

Ele dominou as Américas, mas desapareceu misteriosamente

Dinheiro na mão é vendaval

Já pensou em como nosso cérebro entende os ditados populares?

Open chat