Farmácia marinha

Sabia que alguns medicamentos têm origem em seres que habitam o oceano?

Ilustração Walter Vasconcelos

Conhece alguém que nunca tomou um medicamento para tratar algum problema de saúde? Difícil, né? Todo mundo um dia já precisou se medicar para curar uma dor de cabeça, de barriga, de garganta… Medicamentos são produtos farmacêuticos, cada um é resultado de uma fórmula para tratar problemas de saúde específicos e, como bem sabemos, devem ser
receitados por médicos!

Mas, afinal, de onde vêm os medicamentos (ou fármacos)? Da natureza! Desde a antiguidade, a humanidade utiliza recursos naturais, como plantas medicinais, para tratar enfermidades. O cedro, por exemplo, age como um fortificante para o organismo; o alcaçuz, por sua vez, tem muitas ações, e pode ser usado para problemas digestivos e também como cicatrizante.

A partir do conhecimento tradicional dos povos do passado, muitas substâncias foram descobertas e passaram a ser utilizadas como substância ativa de medicamentos. Por exemplo, a aspirina foi desenvolvida a partir da salicina, uma substância extraída da casca de uma árvore chamada salgueiro ou chorão. E, como a aspirina, temos diversos outros exemplos, pois mais da metade dos medicamentos é baseada em fármacos inspirados na natureza – e muitos ainda não foram descobertos!

Essas descobertas têm aumentado em ambientes fora da terra firme. A busca por fármacos nos mares e oceanos é mais recente, mas não menos importante. Existem milhões de espécies vegetais, animais e microrganismos no ambiente marinho. Cada uma dessas espécies abriga uma riqueza invisível, formada pelas milhares de substâncias que são produzidas por esses seres vivos. Muitas dessas substâncias possuem propriedades medicinais incríveis e têm sido utilizadas com sucesso para tratar o câncer, por exemplo.

A chamada citarabina foi o primeiro fármaco a ser desenvolvido a partir de uma substância obtida de uma esponja que vive no mar do caribe (Tectitethya crypta). Ela vem sendo utilizada para tratar leucemia (câncer nas células do sangue), principalmente em crianças, desde a década de 1970 e já salvou muitas vidas!

Hoje já existem mais de uma dezena de medicamentos para tratar o câncer desenvolvidos a partir do ambiente marinho. Muitos deles são totalmente inovadores e podem ser usados para pacientes que já não respondem bem aos remédios tradicionais.

Apesar da imensidão da costa brasileira, ainda não temos nenhum medicamento marinho desenvolvido em nosso país. Imaginem o tesouro escondido no fundo do mar, entre as milhares de espécies que só aparecem por aqui! É por isso que o Brasil precisa de investimentos na ciência e na tecnologia, para trazer mais qualidade de vida para as pessoas do nosso país – e tudo isso, é claro, precisa ser feito com o uso sustentável e a conservação
dos recursos marinhos!

Tirinha produzida pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Biodiversidade e Produtos Naturais (INCTBioNat). Os protagonistas desta história foram inspirados em dois pesquisadores que dedicaram suas vidas ao estudo das plantas dos biomas brasileiros: a botânica Graziela Barroso e o químico Otto Richard Gottlieb. Arte David Ferreira.

Tássia Biazon
Cátedra UNESCO para a Sustentabilidade do Oceano
Universidade de São Paulo  

Leticia Veras Costa-Lotufo
Instituto de Ciências Biomédicas
Universidade de São Paulo

Matéria publicada em 01.08.2022

COMENTÁRIOS

  • Helena

    Adorei o texto!!! Eu sempre pensei que o homem inventava todos o remédios!!!😅

    Publicado em 1 de agosto de 2022 Responder

  • RAFAEL

    OI. MEU NOME É RAFAEL MORO EM PARNAMIRIM RN, E GOSTEI MUITO DA MATÉRIA!!!!

    Publicado em 1 de agosto de 2022 Responder

  • Letícia Reis de Azevedo

    Oi meu nome é Letícia Reis. E eu amei a revista foi uma boa ideia fazer uma farmacia no fundo do mar 😍😄

    Publicado em 5 de agosto de 2022 Responder

  • ARTHUR, ANTONIO, DEIVYD, CHRISTIAN, LORRANA, SOPHIA, TAINA E TATIANI.

    Nós, alunos da escola Verzegnassi, adoramos essa publicação!

    Publicado em 9 de agosto de 2022 Responder

  • Vitor

    Olá Letícia Costa eu adorei o texto que a senhora escreveu eu e meus amigos estamos fazendo um trabalho sobre entrevista e um abrasão tchau

    Publicado em 10 de agosto de 2022 Responder

  • Alunos do 7º ano da Casa do Estudante

    Olá! Nós, alunos da Casa do Estudante de Itabatã – BA, gostamos muito do texto e estamos neste momento produzindo uma carta do leitor em nossa aula de redação sobre os medicamentos que se originam do oceano. Até a próxima!

    Publicado em 11 de agosto de 2022 Responder

  • Alunos do 3º ano C do colégio The Joy School.

    Olá pessoal da revista CHC, achamos muito interessante saber que alguns medicamentos vieram do fundo do mar.
    Neste momento estamos aprendendo o gênero textual ” carta do leitor” , por isso decidimos colocar em prática escrevendo para vocês.
    Adoramos os temas que vocês publicam.
    Se possível nos mande um recadinho!
    Abraços dos alunos do 3ºano C do colégio The Joy School, Jundiaí / SP.

    Publicado em 11 de agosto de 2022 Responder

  • Clarice Sousa

    Olá,CHC!

    Gostei muito da materia, não sabia que os remedios vinha da natureza!
    tambem não que uns dos tramentos de cançer vinha das esponjas do mar
    Muito Legal !!

    Queria saber mais sobre o Tubarão Branco. Espero respostas Obrigada

    Publicado em 12 de agosto de 2022 Responder

  • Marina Cavalcanti

    Amei essa matéria! Conheci a CHC na minha escola na aula de língua portuguesa eu amei tchau.

    Publicado em 14 de agosto de 2022 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Viajar também é ciência

Você já ouviu falar em viajante-naturalista? Aceita o nosso convite para conhecer alguns desses profissionais?

Quanto menor o escorpião, mais forte o veneno?

Para encontrar a resposta, é preciso uma investigação científica!

Open chat