Ciência também é coisa de menina

Você pode se imaginar viajando para a Amazônia para estudar os animais e as plantas da maior floresta tropical do mundo? Pode se imaginar também diante de vários telescópios e muitos computadores tentando descobrir novas estrelas e planetas? Pode ainda se imaginar estudando doenças e tentando criar vacinas ou remédios? Podemos pensar em se o que quisermos no futuro, não é mesmo? Mas você sabia que essa liberdade para sonhar com uma profissão nem sempre foi igual entre meninos e meninas?

Ilustrações Mariana Massarani

Por muito tempo algumas profissões foram consideradas como sendo para homens, enquanto outras eram vistas como coisa de mulher. A ciência, por exemplo, era algo aceitável apenas para meninos. Por causa disso, muitos meninos cresceram e se tornaram cientistas, enquanto muitas meninas acharam que não poderiam seguir essa carreira.

As pessoas achavam inapropriado que mulheres fizessem ciência e trabalhassem junto com homens nos laboratórios de pesquisa, explorando florestas, tripulando espaçonaves, e muito mais. Acontece que a verdade agora é uma só: todos podem ocupar o lugar que quiserem.

 

Luisa Maria Diele-Viegas, Luciana Leite e Patrícia Raquel de Sousa
Rede Kunhã Asé de Mulheres na Ciência

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

CONTEÚDO RELACIONADO

Chá de sumiço

Há tempo para salvar as demais espécies, que têm tanto direito ao planeta quanto nós? Eis a questão!

Como o urso polar se protege do frio?

Com um experimento simples, podemos descobrir como alguns animais – como o urso polar! –, que vivem em temperaturas congelantes, se protegem do frio. Brrrr!!!