Já parou para pensar como uma bailarina consegue rodopiar tanto sem ficar enjoada? Será que não dói ficar na ponta do pé? Será que é difícil decorar os nomes dos passos de balé? Ah, esse mundo das sapatilhas tem mais curiosidades do que você imagina!

Os bailarinos profissionais costumam dançar desde bem pequenos. É uma carreira que exige muita força de vontade e dedicação. Mas todo o esforço físico vale a pena, principalmente quando é dia de estreia de espetáculo e coreografia nova. Esse é o momento preferido de Juliana Meziat, ex-bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e do Grupo Corpo. Hoje ela é coordenadora de balé e professora do Centro de Movimento Deborah Colker, no Rio de Janeiro.

Nessa entrevista, Juliana conta como virou bailarina e o que é preciso fazer caso seu sonho também seja viver na ponta do pé!

Ilustração Jaca

 

Ciência Hoje das Crianças: Quando você começou a dançar balé?

Juliana Meziat: Eu tinha uns quatro anos. Aos nove, uma professora me indicou para a escola profissionalizante do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, a Escola Estadual de Dança Maria Olenewa. Cresci nesse mundo. Fui aprimorando minha técnica, conhecendo os benefícios artísticos do balé e assistindo a muitos espetáculos de companhias de dança. Aí, virou meu sonho ser bailarina profissional.

 

CHC: Dançar é trabalho ou diversão?

Juliana: Quando eu era pequena, era diversão. Era uma atividade de que gostava muito e tinha muita vontade de fazer bem. Quanto mais eu melhorava no balé, mais me motivava a continuar nas aulas. Quando virei profissional, começou uma rotina pesada, de muita responsabilidade com os espetáculos, com meu corpo e minha alimentação. Aí realmente virou um ofício. Mas trabalhar com uma paixão é um prazer, embora existam momentos difíceis, em que é preciso passar por cima de dores e lesões para continuar no palco. Então é uma mistura de diversão e trabalho.

 

Elisa Martins,
Jornalista, especial para a CHC.

 

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Floresta azul?

Debaixo d’água existe uma floresta tão importante quanto às que temos em terra firme!

Um urso pelo Brasil

Ele dominou as Américas, mas desapareceu misteriosamente

Open chat