Água do futuro

Quando pensamos na Amazônia, além das florestas, lembramos dos grandes rios que passam por lá. O que pouca gente sabe é que a maior parte da água da região não está presente nesses canais, mas sim debaixo da terra, em um aquífero recentemente descoberto, com impressionantes 160 trilhões de metros cúbicos de água. Essa quantidade poderia ser suficiente para abastecer aproximadamente 100 vezes a população mundial!

Quando pensamos na Amazônia, logo nos lembramos dos rios que passam por lá, mas a maior parte da água da região está embaixo da terra. (foto: Jonas Banhos / Flickr / <a href=https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.0/> CC BY-NC-SA 2.0 </a>)

Quando pensamos na Amazônia, logo nos lembramos dos rios que passam por lá, mas a maior parte da água da região está embaixo da terra. (foto: Jonas Banhos / Flickr / CC BY-NC-SA 2.0 )

A descoberta foi feita quando pesquisadores estudavam o chamado Aquífero Alter do Chão. Analisando dados sobre a reserva de água, encontraram uma enorme quantidade do líquido e perceberam que o aquífero era muito maior do que imaginavam: ele integra um sistema que ocorre nas bacias sedimentares do Acre, Solimões, Amazonas e Marajó. Esse conjunto foi chamado pelos estudiosos de Sistema Aquífero Grande Amazônia (Saga).

O aquífero é tão grande – já é considerado o maior do Brasil e um dos maiores do mundo – que tem o volume quase quatro vezes maior do que o do Aquífero Guarani. “Ele possui uma soma impressionante de água, é enorme!”, comenta o geólogo e um dos responsáveis pela descoberta Francisco de Assis Matos de Abreu, da Universidade Federal do Pará.

Apesar de ter água de sobra, o Saga ainda é pouco explorado, já que poucas pessoas ocupam o território e somente algumas populações da região usam esse recurso como fonte de água. “O que se retira hoje é desprezível. Esse aquífero tem um enorme potencial e poderia facilmente abastecer a população local, além de sustentar várias atividades como a produção de alimentos e de energia”, diz Francisco.

Segundo o geólogo, o aquífero poderia facilmente abastecer a população local. (foto: Guilherme Pimenta / Flickr / <a href=https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.0/> CC BY-NC-ND 2.0</a>)

Segundo o geólogo, o aquífero poderia facilmente abastecer a população local. (foto: Guilherme Pimenta / Flickr / CC BY-NC-ND 2.0)

Porém, antes de utilizar essa reserva em maior escala, pesquisas ainda precisam ser feitas para conhecer a qualidade dessa água. “Ainda não foi feito nenhum estudo detalhado dessas águas, precisamos saber se ela é potável e própria para o uso humano”, afirma o geólogo.

Outro fator importante é a necessidade da proteção desse aquífero contra possíveis contaminações causadas pela poluição. “Esgotos a céu aberto podem ser um risco muito sério, que precisa ser combatido”, alerta Francisco.

Com essa descoberta, fica claro que existe muita água escondida embaixo da terra. Há pouco tempo, cientistas encontraram água doce em bolsões no fundo dos oceanos, lembra? Para o pesquisador, aquíferos do mundo todo terão um papel cada vez mais importante no fornecimento de água para a população, já que os meios atuais correm o risco de se esgotar. “Os aquíferos são a água do futuro!”, defende Francisco.

Matéria publicada em 01.10.2014

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Adorei o nome!

    Publicado em 9 de dezembro de 2018 Responder

Envie um comentário

Lucas Lucariny

Como bom futuro jornalista, gosto muito de ler, escrever e descobrir coisas novas. Sou fã de séries, filmes, futebol, música boa e, é claro, ciência!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?