Unidas venceremos

Você já deve saber que as formigas vivem em colônias e são insetos muito organizados. Em geral, existe em cada formigueiro uma rainha responsável por colocar ovos, mas pesquisadores brasileiros descobriram que essa função também pode ser compartilhada: as colônias da espécie Odontomachus hastatus possuem até 12 rainhas!

A <i>Odontomachus hastatus</i> tem uma dieta carnívora e, por isso, mandíbulas poderosas! Costuma sair para caçar depois das 18h. Cupins, moscas, besouros e outros insetos são alguns dos seus alimentos (Foto: Pedro Rodrigues)

A Odontomachus hastatus tem uma dieta carnívora e, por isso, mandíbulas poderosas! Costuma sair para caçar depois das 18h. Cupins, moscas, besouros e outros insetos são alguns dos seus alimentos (Foto: Pedro Rodrigues)

No formigueiro, as rainhas são criadas especialmente para a reprodução. Quando atingem a maturidade, encontram-se com os machos em um voo nupcial. Depois dele, o material genético do macho (esperma) fica guardado em um órgão da fêmea chamado espermateca. A formiga rainha parte, então, em busca de um lugar para por seus ovos e iniciar sua família.

Em bromélias presas às árvores, as formigas montam seus ninhos. Quanto mais rainhas, mais rápido elas atingem o número de 600 operárias, quando os cientistas acreditam que a colônia pode ser considerada madura (Foto: Pedro Rodrigues)

Em bromélias presas às árvores, as formigas montam seus ninhos. Quanto mais rainhas, mais rápido elas atingem o número de 600 operárias, quando os cientistas acreditam que a colônia pode ser considerada madura (Foto: Pedro Rodrigues)

A pesquisa com as Odontomachus hastatus foi realizada no Parque Estadual da Ilha do Cardoso, no litoral de São Paulo. Para o biólogo Paulo Sérgio Oliveira, da Universidade Estadual de Campinas, a união de várias rainhas é uma forma de se adaptar às condições do ambiente. “Os ninhos são construídos nas raízes de bromélias que vivem no tronco de árvores. É provável que as rainhas façam uma aliança quando há poucas moradias disponíveis”, afirma.

Outra explicação é que, unindo-se, as rainhas unem também seus exércitos de operárias para defender o formigueiro. Isso é especialmente importante nos momentos após a fecundação, quando as formigas estão prestes a produzir um monte de ovos para chegarem a um grande número de operárias que vão defender a jovem colônia.

Por fim, os cientistas acreditam também que a união de rainhas pode acontecer porque aquelas que saíram para o voo nupcial, em vez de formar um novo formigueiro, voltam para a colônia onde nasceram.

Agora, não vá você pensando que as alianças entre as rainhas são como formar grupos de amigas. Na verdade, as formigas brigam entre si para decidir que rainha colocará mais ovos. As perdedoras acabam pondo menos e assumem o papel de operárias. Parece até intriga de novela, não acha?

Matéria publicada em 29.08.2013

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Concordo!

    Publicado em 1 de dezembro de 2018 Responder

Renata Fontanetto

Meu sonho é montar um museu super colorido, onde todas as brincadeiras de criança são permitidas! Amo fazer ciência em casa. No trabalho, então, é mais divertido ainda!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?