Tem bicho novo na praça!

Duas espécies de sapo estão entre os animais descobertos em ilha do oceano Pacífico (fotos: Steve Richards)

Já ouviu falar na Papua-Nova Guiné? Esse é o nome de uma ilha que está localizada no oceano Pacífico, próximo à Austrália. Entre julho e agosto de 2008, cientistas estiveram em montanhas que ficam em sua região central e encontraram um tesouro: 56 espécies que são provavelmente novas para a ciência. Entre elas, há 50 aranhas, duas plantas, dois sapos, uma perereca e uma lagartixa que até então eram desconhecidas pelos pesquisadores e, agora, são apresentadas ao público.

“As montanhas Kaijende e os vales que há ao seu redor são umas das maiores áreas selvagens e intocadas da Papua-Nova Guiné”, conta Steve Richards, cientista que liderou a expedição à ilha do oceano Pacífico e que está ligado à organização não governamental Conservação Internacional.

Na região montanhosa, onde correm rios torrenciais, é possível ouvir o canto alto e estridente de um sapo de cachoeira, uma das prováveis novas espécies encontradas. Ele usa esse som para atrair uma parceira, mas não é o único cantor entre os animais recém-descobertos. Outro anfíbio até então desconhecido pela ciência, que vive em encostas de pedra calcária e pode ser reconhecido pelo som alegre e agudo que produz é um pequeno sapo marrom.

Aranhas saltadoras

Assim como os sapos cantores, outros animais descobertos em Papua-Nova Guiné têm características curiosas. Todas as 50 aranhas identificadas ali como novas espécies, por exemplo, são saltadoras. Em geral, bichos desse tipo podem pular até 15 centímetros, mesmo sem ter grandes pernas, pois usam a pressão do sangue para permitir seus saltos.

Esta aranha saltadora é, provavelmente, uma nova espécie para a ciência (foto: Wayne Maddison).

Na viagem à ilha do oceano Pacífico, aliás, foram descobertos três novos gêneros de aranhas saltadoras. Mas você sabe dizer por que isso é importante? Um gênero reúne espécies semelhantes, que compartilham algumas características, como forma do corpo, comportamento e cor. Diz-se que novos gêneros foram descobertos quando são encontrados bichos que não se encaixam em nenhum dos já existentes. Achados desse tipo são valiosos, pois são mais uma pista para os cientistas entenderem como esses animais evoluíram ao longo do tempo.

Lagartixa diferente

Além das aranhas saltadoras e dos sapos cantores, um outro bicho também merece destaque entre os encontrados em Papua-Nova Guiné. Trata-se de uma lagartixa, que foi localizada em partes densas de floresta. Ela apresenta uma característica incomum para um animal desse tipo: em vez de usar a parte de baixo de suas patas para subir em árvores, utiliza suas garras.

A lagartixa encontrada em Papua-Nova Guiné usa suas garras para subir em árvores (foto: Steve Richards).

Mas o trabalho realizado na Papua-Nova Guiné não se limitou à descoberta de animais. Duas novas espécies de plantas também foram localizadas: arbustos da floresta natural que dão flores. Da mesma forma, a história e o conhecimento de grupos tribais locais sobre os recursos naturais da região foram documentados. O objetivo agora é trabalhar para que esse lugar que revelou tantas novidades para o mundo seja transformado em uma área de conservação. Esse seria um importante passo para garantir proteção às aranhas saltadoras, aos sapos cantores e à lagartixa recém-descoberta.

Matéria publicada em 31.03.2009

COMENTÁRIOS

Mara Figueira

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?