Surpresa espinhosa

Apenas 7% da Mata Atlântica ainda estão preservados. A parte localizada no Nordeste, onde foi encontrada a nova espécie de porco-espinho, tem apenas 2% da sua cobertura original (Imagem: WWF / Wikimedia Commons)

Apenas 7% da Mata Atlântica ainda estão preservados. A parte localizada no Nordeste, onde foi encontrada a nova espécie de porco-espinho, tem apenas 2% da sua cobertura original (Imagem: WWF / Wikimedia Commons)

A Mata Atlântica é uma floresta tão importante quanto ameaçada. Localizada ao longo do litoral do Brasil, apenas 7% dela ainda se encontram preservados. Preocupante, não é? No entanto, mais preocupante ainda é saber que ela é uma área de espécies endêmicas, ou seja, está cheia de animais e plantas que só existem nessa floresta e em mais nenhum outro lugar.

Foi com essa preocupação que um grupo da Universidade Federal de Pernambuco iniciou uma pesquisa de campo na Mata Atlântica presente no nordeste do país. De tanto procurar animais típicos da região, eles acabaram encontrando várias espécies novas, incluindo o porco-espinho Coendous speratus, sua mais recente descoberta.

“A princípio, estávamos fazendo o inventário de outra espécie de porco-espinho já conhecida por nós, quando percebemos um bicho menor e com as pontas dos espinhos de cor vermelha. Suspeitamos que pudesse ser outra espécie ainda não catalogada”, conta o biólogo Antonio Rossano Mendes. Para tirar a dúvida, os pesquisadores, em conjunto com Yuri Leite e Leonora Pires, da Universidade Federal do Espírito Santo, fizeram análises do DNA do animal, e ficou confirmado que se tratava de uma nova espécie.

Com uma bonita coloração vermelha na ponta dos espinhos, o recém-descoberto <i>Coendous speratus</i> já é uma espécie em extinção (Foto: Antonio Rossano Mendes Pontes - UFPE)

Com uma bonita coloração vermelha na ponta dos espinhos, o recém-descoberto Coendous speratus já é uma espécie em extinção (Foto: Antonio Rossano Mendes Pontes – UFPE)

C. speratus é um porco-espinho somente encontrado na Mata Atlântica. Como seu habitat vem sendo cada vez mais desmatado, ele mal foi descoberto e já está ameaçado de extinção. Triste, não acha? Mas o nome escolhido para a espécie, speratus, significa justamente esperança – esperança de salvar a Mata Atlântica nordestina, ué!

Rossano e sua equipe fazem inventários de espécies da Mata Atlântica desde 2001. De lá pra cá, vários novos animais já foram descobertos, alguns também em risco de extinção, como o novo porco-espinho. Se o ritmo de destruição da floresta continuar, talvez não seja possível conhecer todas as suas espécies antes que a Mata Atlântica acabe de vez…

Matéria publicada em 25.04.2013

COMENTÁRIOS

Fernanda-Tavora

Sou curiosa até não poder mais! Gosto de conhecer diversos assuntos e, aqui na CHC, aprendo mais e mais todos os dias.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?