Respira fundo, preguiça!

Se alguma vez você já ficou de cabeça para baixo sabe que, nessa posição, é muito mais difícil respirar, já que seus órgãos pressionam os pulmões. Agora imagine como seria passar quase todo o tempo pendurado de cabeça para baixo em uma árvore? Pois essa é a vida da preguiça. Mas será que tal hábito faz com que esse mamífero respire com dificuldade? Aparentemente, não.

Graças a membranas que prendem seus órgãos às costelas, a preguiça consegue respirar com tranquilidade quando está de cabeça para baixo. (foto: Martha de Jong-Lantink / Flickr / <a href=https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.0/> CC BY-NC-ND 2.0 </a>)

Graças a membranas que prendem seus órgãos às costelas, a preguiça consegue respirar com tranquilidade quando está de cabeça para baixo. (foto: Martha de Jong-Lantink / Flickr / CC BY-NC-ND 2.0 )

Pesquisadores do Reino Unido e da Costa Rica mostraram que as preguiças possuem uma espécie de membrana que prende seus órgãos nas costelas – principalmente o estômago, que pode chegar a um terço do peso do animal –, impedindo que pressionem os pulmões.

Segundo a zoóloga Rebecca Cliffe, do Santuário das Preguiças, na Costa Rica, essas membranas permitem que a preguiça respire de cabeça para baixo da mesma forma que o faria se estivesse de cabeça para cima. E estar de ponta cabeça é muito importante para esse animal, já que confere a ele uma economia de 13% de energia.

A preguiça dorme entre 8 e 9 horas por dia e passa o resto do tempo descansando. (foto: Adam / Flickr / <a href=https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.0/>CC BY-NC-ND 2.0</a>)

A preguiça dorme entre 8 e 9 horas por dia e passa o resto do tempo descansando. (foto: Adam / Flickr / CC BY-NC-ND 2.0)

“Pode parecer pouco, mas economizar essa quantidade de energia para uma preguiça é bastante”, explica a pesquisadora. “Esse mamífero tem um metabolismo muito lento e precisa guardar o máximo de energia para sobreviver, já que, muitas vezes, leva um mês para digerir uma única folha”.

Corpo adaptado

Rebecca adiciona que o corpo da preguiça tem outras adaptações para ficar de cabeça para baixo a maior parte do tempo. “As membranas são apenas uma das adaptações, pois todos os seus órgãos internos são especializados. O estômago, por exemplo, tem uma válvula especial que impede que a comida retorne”, conta a zoóloga. “Elas também são capazes de engolir facilmente a comida mesmo quando estão de cabeça para baixo.”

Além de economizar energia, ficar de ponta-cabeça permite que as preguiças alcancem as folhas mais jovens que ficam nas pontas dos galhos das árvores. “Essas folhas são essenciais para a dieta das preguiças, pois são facilmente digeridas”, completa Rebecca.

Matéria publicada em 10.09.2014

COMENTÁRIOS

Mariana Rocha

Cresci gostando de fazer descobertas para escrever sobre elas. Na CHC consigo ser curiosa e escritora, tudo ao mesmo tempo!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?