Pequeno viajante

Quanto você pesa? Se não sabe a resposta, procure uma balança. Descobriu? Agora imagine que vai viajar para longe, lá para o pólo Sul, e se pesar de novo. O resultado será o mesmo? Pode ser que haja uma ligeira alteração. Que coisa esquisita!

Isso é possível porque o peso de um objeto, além de estar relacionado à sua massa, também tem a ver com a força de atração que o planeta Terra exerce sobre ele: a gravidade. Como ela não é a mesma em todos os lugares, o peso também não é.

Foi pensando em demonstrar isso que a empresa alemã Kern & Sohn decidiu começar um experimento curioso: levar um gnomo de jardim – apelidado de Kern – para viajar pelo mundo e pesá-lo em vários locais do planeta, para ver como a gravidade varia.

Kern e sua indispensável companheira de viagem, a balança (Foto: GnomeExperiment.com)

Kern já esteve na Suíça, no Japão e até na Antártica. Ele pesou 307,63 gramas em um laboratório subterrâneo no Canadá, e 307,82 gramas em Durban, na África do Sul. Já no Pólo Sul, a balança apontou 309,82 gramas e, em Londres, na Inglaterra, 308,66 gramas.

Segundo James Nester, que coordena o experimento, a gravidade muda por causa do formato da Terra. “Ela não é uma esfera perfeita”, explica. “Tem um formato mais parecido com o de uma batata”. Assim, dependendo do local que estiver visitando, Kern estará mais perto ou mais distante do centro do planeta. Essa distância determinará a intensidade da gravidade sobre ele e, consequentemente, seu peso.

Outro motivo é que a Terra gira em torno do seu próprio eixo – uma linha imaginária que passa pelo centro do planeta e pelos pólos Norte e Sul. Nos pólos, Kern vai “girar no mesmo lugar” conforme o movimento de rotação da Terra, mas, próximo à Linha do Equador, é como se ele estivesse em um brinquedo giratório. Nesse caso, outra força, a centrífuga, atuará – como se ela o puxasse para fora da Terra, diminuindo o efeito da gravidade.

Confira alguns registros da viagem de Kern na nossa galeria:

[jj-ngg-jquery-slider gallery=”6″ html_id=”about-slider” width=”600″ height=”450″
center=”1″ effect=”fade” pausetime=”7000″ order=”sortorder” animspeed=”400″]

Matéria publicada em 03.05.2012

COMENTÁRIOS

Joyce-Santos

Sempre gostei de estudar e aprender. Na CHC, posso descobrir coisas novas e escrever sobre elas: perfeito!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?