O pequenino tataravô do T-rex

Ele era pequeno: da ponta do nariz até a cauda, media cerca de um metro de comprimento. Seu peso? Apenas cinco quilos. Porém, a mais nova espécie de dinossauro descoberta pelos cientistas, o Eodromaeus murphi, é especial nem tanto pelo seu tamanho, mas pela sua idade. Ele viveu há 230 milhões de anos, quando surgiram os primeiros dinossauros no planeta.

O pequeno dinossauro descoberto na Argentina é um ancestral de todos os dinossauros predadores que surgiram depois dele (foto: Science/AAAS).

O fóssil do Eodromaeus murphi (nome que quer dizer “corredor da madrugada”) foi encontrado em Ischigualasto, uma região árida da Argentina, onde paleontólogos já haviam escavado vestígios de outro dinossauro muito parecido, o Eoraptor lunensis. Ambos eram ótimos corredores e andavam sobre as duas patas. No entanto, seus fósseis apresentavam algumas diferenças que ajudaram os cientistas a entender melhor como os dinossauros evoluíram.

Pequenas diferenças, grandes descobertas
A equipe de pesquisadores liderada pelo paleontólogo argentino Ricardo Martinez, da Universidade Nacional de San Juan, percebeu que a nova espécie encontrada, o Eodromaeus murphi,  tinha menos dentes e uma narina menor do que o Eoraptor lunensis.

O pequeno dinossauro descoberto na Argentina é um ancestral de todos os dinossauros predadores que surgiram depois dele (foto: Science/AAAS).

Pequenas diferenças como estas mostraram aos pesquisadores que, apesar de muito semelhantes, os dois dinossauros não eram parentes.

Descobriu-se que o pequenino Eodromaeus é um ancestral distante dos terápodes, grupo que inclui todos os temíveis dinossauros predadores, como o Tyrannosaurus rex! Já o outro dino, o Eoraptor, pode ser considerado mansinho. Ele – que antes da descoberta do “corredor da madrugada” era classificado como carnívoro – agora é definido pelos cientistas como o réptil pré-histórico que deu origem a todos os dinossauros da classe dos saurópodes, aqueles com longos pescoços e que se alimentavam apenas de plantas. Que mudança, não é?!

Veja como devia ser a aparência do 'Eodromaeus' (ilustração:Todd Marshall).

Mas não é só. Como tanto o Eodromaeus quanto o Eoraptor  eram muito semelhantes, apesar de fazerem parte de grupos diferentes, os cientistas  também concluíram que todos esses animais devem ter se originado de um mesmo ancestral, que teria vivido há cerca de 250 milhões de anos, no período chamado Triássico!

Para você ver como a história dos dinossauros — esses incríveis répteis do passado — tem capítulos para lá de antigos!

Assista ao vídeo e veja como os cientistas reconstruíram a aparência do Eodromaeus.

 

Matéria publicada em 14.01.2011

COMENTÁRIOS

Sofia Moutinho

Curiosidade é meu lema! Desde pequena busco respostas para as perguntas mais intrigantes. Melhor que estar por dentro da ciência, só compartilhar com vocês esse conhecimento!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?