Novo e ameaçado

Ainda conhecemos pouco da biodiversidade da natureza. Prova disso é que, todos os dias, novas espécies de animais são descobertas pelos cientistas. Aqui no Brasil, por exemplo, acaba de ser encontrada uma espécie de pássaro batizada de Cichlocolaptes mazarbarnetti, também nomeada de gritador-do-nordeste.

O novo pássaro brasileiro, o gritador-do-nordeste, pertence à mesma família do joão-de-barro. (iIlustração: Rolf Grantsau)

O novo pássaro brasileiro, o gritador-do-nordeste, pertence à mesma família do joão-de-barro. (iIlustração: Rolf Grantsau)

O achado foi feito no município nordestino de Murici, em Alagoas. Durante uma expedição que tinha como objetivo fotografar e estudar pássaros que correm o risco de ser extintos, os pesquisadores avistaram um exemplar que parecia ser o Philydor novaesi, espécie em extinção popularmente chamada de limpa-folha-do-nordeste.

No entanto, a equipe percebeu que o pio do pássaro era bem diferente do som que seria esperado para um limpa-folha. Foi aí que eles repararam que não se tratava de um limpa-folha, mas sim de uma nova espécie muito parecida. O pio estridente do novo pássaro foi um dos fatores que levaram os cientistas a batizá-lo de gritador.

O nome também se refere a uma lenda da região. Segundo a história, dois irmãos saíram para caçar e um deles acabou morrendo na jornada. Triste e inconformado, o irmão que sobreviveu permaneceu o resto de sua vida gritando na floresta o nome do parente falecido, na esperança de encontrá-lo vivo, o que jamais aconteceria.

Gritador em risco

Assim como o irmão da lenda, o gritador-do-nordeste parece estar gritando para encontrar outros exemplares iguais a ele. No entanto, assim como na história, a busca também não está sendo bem-sucedida, já que poucos exemplares da espécie são encontrados atualmente por conta da destruição de seu habitat.

“O gritador vive em áreas de topo de serra, em regiões com bromélias”, conta o biólogo do Centro de Estudos Ornitológicos (CEO) Dante Buzzetti, um dos descobridores do gritador-do-nordeste. “Ele usa essa planta como fonte de alimentação, onde encontra pequenos artrópodes como insetos e aranhas. Mas essas áreas vêm sendo destruídas, principalmente para plantação de cana-de-açúcar e, sem as bromélias, o gritador não sobrevive.”

O novo pássaro é tão raro que os cientistas ainda não conseguiram fotografá-lo, tendo produzido apenas desenhos. Para que o pássaro não seja extinto, Dante acredita que são necessárias campanhas para chamar a atenção para a preservação da espécie. Tomara que não seja tarde demais para salvá-lo!

Matéria publicada em 12.08.2014

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Tomara que ele consiga sair dessa

    Publicado em 16 de março de 2019 Responder

Lucas Lucariny

Como bom futuro jornalista, gosto muito de ler, escrever e descobrir coisas novas. Sou fã de séries, filmes, futebol, música boa e, é claro, ciência!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?