Notícias quentes… de Marte!

Perto da linha do equador de Marte, existe um grande vale chamado Athabasca que, há muito tempo, intriga os cientistas. É que, até agora, a formação dessa região era um grande mistério – ninguém conseguia dizer se as formas do vale haviam sido esculpidas por gelo ou por lava. Depois de analisar novas imagens do planeta, porém, pesquisadores da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, resolveram o mistério. A região foi formada por lava!

Novas imagens de Marte permitiram aos pesquisadores desvendar um antigo mistério sobre formas encontradas no solo do planeta (Imagem: Nasa)

Os cientistas chegaram a essa conclusão quando viram as novas imagens de satélite enviadas pela Nasa, a agência espacial americana. Além de terem uma qualidade maior, elas mostram o vale sem estar coberto por poeira, o que prejudicava a análise das imagens anteriores.

Ali existem 269 espirais que medem até 30 metros de diâmetro. Elas são comuns em locais aqui na Terra formados por lava, como o Havaí. “Nós não esperávamos encontrar essas espirais em Marte. Na verdade, é a primeira vez que as encontramos em outro planeta”, explica o geólogo Andrew Ryan, que participou da pesquisa.

A lava surgiu de uma fenda que corta a crosta do planeta e escorreu por todo o vale. Com o passar do tempo, a superfície esfriou e começou a se solidificar. Porém, abaixo da superfície a lava continuava escorrendo, o que fez com que o solo se quebrasse.

Observe as espirais encontradas neste vale de Marte. Pesquisadores descobriram que elas foram formadas por rios de lava (Foto: Nasa/JPL/University of Arizona)

Assim, as placas de lava solidificada se separaram e, entre elas, surgiram “rios” de lava, que corriam em velocidades variadas. Quando lavas em velocidades diferentes se encontravam, parte delas girava uma ao redor da outra, formando as espirais.

Outra prova de que o vale foi formado por lava foram as rachaduras encontradas – semelhantes a um solo ressacado pela falta de chuva. Elas surgem quando a lava esfria rapidamente e funcionam como um caminho para o gás quente escapar.

Matéria publicada em 30.05.2012

COMENTÁRIOS

LucasConrado

Já quis ser astronauta, cientista, astrônomo e biólogo. Sempre gostei muito de ler sobre ciência e hoje adoro escrever sobre isso!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?