Muita areia, pouca água

Quando vamos à praia, sempre vemos alguém construindo um castelo de areia bem alto e elaborado. Mas, quando tentamos fazer igual, acaba não saindo do mesmo jeito. Afinal, qual será o segredo dessa arte?

Os artistas da areia têm lá suas técnicas. A CHC conversou com Wagner de Oliveira, que há 17 anos faz bonecos e castelos nas areias da praia de Icaraí, em Niterói (RJ). Veja o que ele nos contou:

Recentemente, essas verdadeiras obras de arte foram parar no laboratório: um grupo de cientistas tentou descobrir a fórmula ideal para construir um bom castelo de areia. Durante um ano, eles estudaram as propriedades físicas da areia e passaram mais alguns meses construindo castelos.

Os cientistas passaram um bom tempo no laboratório usando tubos para construir os castelos com areia molhada (Foto: Daniel Bonn)

Depois de tanta dedicação, a equipe descobriu que um castelo de areia tem mais chances de ficar de pé se for construído com uma massa formada por 99% de areia e 1% de água – ou seja, para cada 99 baldinhos de areia, um baldinho de água já é suficiente. Segundo o estudo, esse pouquinho de água consegue criar pontes entre os grãos de areia e os une, funcionando como uma cola.

O físico Daniel Bonn, da Universidade de Amsterdã, na Holanda, conta que a ideia de estudar os castelos surgiu por acaso. “Eu estava na praia e, quando vi um castelo enorme, me perguntei como era possível construir algo tão alto com um material tão frágil”, lembra.

Com o uso de um tipo especial de areia, é possível construir castelos embaixo da água. Nesse caso, os grãos de areia não ficam molhados e o que os une é a repulsão pela água (Foto: Daniel Bonn)

Daniel também observou que a altura do castelo depende da largura de sua base. “Se a base tiver 40 centímetros de largura, o castelo de areia pode chegar a até 2,5 metros de altura”, explica. Além de ajudar na decoração das praias, a descoberta tem outras utilidades. “A areia também é usada para construir prédios, pontes e até mesmo estradas, por isso é importante saber mais sobre suas propriedades”, justifica o cientista.

Matéria publicada em 22.08.2012

COMENTÁRIOS

Mariana Rocha

Cresci gostando de fazer descobertas para escrever sobre elas. Na CHC consigo ser curiosa e escritora, tudo ao mesmo tempo!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?