Mata atlântica na era do gelo

Quem viu o filme A Era do Gelo lembra que a Terra já passou por momentos muito frios ao longo de sua história. Mas quem fica pensando só nas paisagens branquinhas que aparecem na animação nem imagina que, segundo alguns cientistas, durante a última era glacial (há cerca de 21 mil anos), a mata atlântica era ainda maior do que hoje.

As florestas tropicais, como a mata atlântica, estão entre as áreas de maior biodiversidade do mundo. (foto: Leonardo Merçon/Instituto Últimos Refúgios)

As florestas tropicais, como a mata atlântica, estão entre as áreas de maior biodiversidade do mundo. (foto: Leonardo Merçon/Instituto Últimos Refúgios)

Atualmente, é bem verdade, este bioma é muito ameaçado pela ação humana. Porém, mesmo se tomássemos como referência a área coberta pela mata atlântica lá na época da chegada dos portugueses ao Brasil, mais de 500 anos atrás, ainda assim a acharíamos pequena perto do que a floresta foi na última era do gelo.

Acontece que, embora tenham passado por um período mais frio, as regiões tropicais, como o litoral do Brasil, continuaram úmidas e suas florestas permaneceram, embora um pouco mexidas em sua composição – pois algumas plantas mais sensíveis ao clima desapareceram, dando lugar a outras, mais resistentes a temperaturas mais baixas.

E mais: com o clima mais frio, o nível do mar diminuiu, expondo um pedaço da plataforma continental que, hoje, fica embaixo d’água. Foi por aí que a floresta cresceu! Essa foi a surpreendente conclusão de um grupo de cientistas da Universidade Federal do Espírito Santo, após um estudo sobre espécies de pequenos mamíferos, como cuícas e ratos-do-mato.

Durante o período glacial, a retração dos oceanos fez emergir a placa continental brasileira, que se estende a leste do nosso litoral. (foto: Leonardo Merçon/Instituto Últimos Refúgios)

Durante o período glacial, a retração dos oceanos fez emergir a placa continental brasileira, que se estende a leste do nosso litoral. (foto: Leonardo Merçon/Instituto Últimos Refúgios)

Até agora, os pesquisadores acreditavam que, no período glacial, a mata atlântica teria se fragmentado, formando pequenas ilhas de floresta cercadas por campos abertos. “Nosso objetivo no estudo era testar se animais que dependem de floresta, ou seja, que não ocorrem em áreas abertas e, portanto, sofrem com a fragmentação atual da mata atlântica (causada pelo homem) teriam também sofrido reduções populacionais no último período glacial em função da suposta fragmentação (causada pelo clima)”, conta o biólogo Yuri Leite.

Ao contrário do esperado, quando foram avaliar o histórico das espécies escolhidas para o estudo, Yuri e seus colegas viram que elas não tiveram suas populações reduzidas durante o período glacial, como seria o esperado, e sim aumentadas. Intrigados, os pesquisadores começaram a buscar explicações para isso, e concluíram que a mata atlântica se expandiu naquele período, ocupando uma área antes coberta pelo mar.

Durante a época gelada, nosso litoral, assim como a floresta, se estendeu um pouco na direção leste. Com o fim da era glacial e novo avanço do oceano, essa parte da mata ficou coberta pelas águas – por isso, os cientistas lhe deram o nome de “Mata Atlântida”, uma referência à lenda do continente submerso.

Matéria publicada em 18.01.2016

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Achei o texto muito maneiro!

    Publicado em 10 de novembro de 2018 Responder

  • Mathias Pereira Domingos

    Um texto Ótimo!

    Publicado em 18 de agosto de 2020 Responder

  • Carolina Trindade

    Concordo com vocês!

    Publicado em 22 de setembro de 2020 Responder

  • kevin corte de oliveira

    O texto é muito interessante traz coisas que eu nem sabia sobre a Mata Atlântida e a pesquisa é muita boa,gostei muito do texto

    Publicado em 29 de setembro de 2020 Responder

  • Luis Adriano zarpelao

    Eu também gostei desse assunto ,fala dum período, em que a Mata Atlântica era coberta pelo mar e gelo,e devido ao clima ,e o movimento das placas tectônicas da cristã terrestre, foi se ,desenvendo ,as poucos ,e tomando a forma ,que hoje nos conhecemos!!

    Publicado em 6 de abril de 2021 Responder

Catarina Chagas

Desde criança gosto de ler, inventar histórias e descobrir novidades. Cresci e encontrei um trabalho em que posso fazer tudo isso.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?