Marcos, o cosmonauta brasileiro

O astronauta Marcos Pontes será o primeiro brasileiro a ver a Terra do espaço (foto: www.marcospontes.net)

“Atenção, atenção! A Agência Espacial Americana está à procura de um brasileiro com formação em engenharia, com um bom porte físico e que fale inglês para ser o primeiro astronauta de seu país”. Quando Marcos César Pontes leu este anúncio em um jornal de abril de 1981, seus olhos brilharam. Desde criança ele sonhava em viajar para o espaço e adorava juntar seus lápis de cor para fazer desenhos multicoloridos de espaçonaves e estrelas.

O menino, nascido em 1963 na cidade de Bauru, tinha seis anos quando o homem chegou à Lua. Curioso que era, não desgrudou os olhos da televisão, que transmitia o pouso da nave Apollo 11 no satélite. Marcos não sabia se acreditava no que via, mas afirmou que algum dia também viajaria pelo cosmos e conheceria de perto a Lua.

Parece que, de alguma forma, aquele menino do interior de São Paulo sabia o que lhe esperava. Após muitos anos de estudo e luta, ele finalmente realizará o seu sonho. Hoje o brasileiro estará dentro da espaçonave russa Soyuz TMA 8, que será lançada ao espaço.

O cosmonauta (como são chamados os astronautas na Rússia) fará uma viagem de oito dias fora da Terra. Ele conhecerá a Estação Espacial Internacional (ISS), uma espécie de ‘hotel’ e centro de pesquisas a 350 quilômetros de altura.

Apesar do pouco tempo que permanecerá na ISS, o nosso astronauta também realizará pesquisas encomendadas por universidades e escolas brasileiras. São oito experimentos no total. Em um deles, o cosmonauta plantará sementes de feijão e observará o desenvolvimento dos brotos sob diferentes condições de luminosidade e de irrigação

Em seu traje espacial, o cosmonauta brasileiro levará este escudo, que identifica a sua missão e presta uma homenagem aos 100 anos do vôo do 14-Bis, avião criado por Santos Dumont, comemorados em 2006. (foto: AEB/MCT)

Todos esses testes já foram feitos por astronautas de outros países, por isso algumas pessoas têm criticado a viagem de Marcos. Eles dizem que a missão não tem muita importância para a ciência e serviria apenas para criar uma imagem de que o Brasil é um país avançado tecnologicamente.

Segundo Marcelo de Oliveira Souza, físico da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, a pesquisa não é a parte mais importante da missão: “A prioridade é a divulgação científica. As crianças vão ter um exemplo para se guiar e poderão criar interesse pelas áreas de astronomia e astronáutica (a ciência que cuida da construção e operação de veículos projetados para viajar ao espaço)”. Marcelo conhece de perto o ‘efeito astronauta’ nos jovens: “o nosso clube de astronomia para crianças foi muito procurado devido a essa missão, ainda mais com as duas visitas que Marcos Pontes nos fez”.

A viagem
Certamente o astronauta brasileiro não se sentirá entediado no caminho à ISS. Ele terá dois companheiros de bordo com quem poderá papear, fazer apostas sobre a Copa do Mundo, além de (é claro) trabalhar.

A dupla de astronautas vai substituir outros dois, que estão na ISS desde outubro. Os que estão viajando desde 2005 pegarão uma carona com Marcos para o nosso planeta no dia 9.

A espaçonave Soyuz levará Marcos César Pontes à Estação Espacial Internacional (foto: Flávio Corrêa Júnior-IAE/CTA)

O lançamento do foguete será feito em uma base no Cazaquistão, um país da Ásia. Foi neste mesmo local que foi enviado o primeiro homem ao espaço, Yury Gagarin. Ele é tão importante que foi homenageado com o nome da base. Marcos, um grande fã desse pioneiro do espaço, carregará na viagem uma camisa com a foto de Yuri.

Acompanhe conosco o dia-a-dia do cosmonauta brasileiro: a partir de hoje a CHC On-line publicará um diário de bordo da viagem. O que aconteceu de mais importante com o nosso astronauta você verá aqui. Não perca!

Matéria publicada em 29.03.2006

COMENTÁRIOS

Julio-Molica

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?