Luz é o melhor remédio

Bactérias são seres microscópicos, invisíveis a olho nu, que podem causar danos à nossa saúde. Para nos livrar delas, muitas vezes os médicos recomendam o uso de antibióticos. Porém, nem sempre esses remédios funcionam, e podem trazer efeitos colaterais indesejáveis. Por isso, cientistas buscam outras formas de eliminar bactérias prejudiciais do nosso organismo. A mais nova delas? Uma lanterna!

Isso mesmo que você leu. Cientistas da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, estão testando uma maneira de eliminar bactérias com a ajuda de raios de luz. A ideia veio de um estudante brasileiro que fez intercâmbio por lá: Caio Guimarães, aluno de engenharia elétrica da Universidade de Pernambuco (UPE).

Trata-se de uma lanterna capaz de destruir os microrganismos, sem causar dano ao hospedeiro. O aparelho, portátil, é composto por um conjunto de microagulhas presas em uma placa que é pressionada contra a pele. As microagulhas são, então, absorvidas pelo organismo, e a luz chega aos tecidos do corpo atingidos pela infecção. Em cerca de uma hora, as bactérias indesejadas são eliminadas.

As microagulhas penetram a pele do paciente e emitem uma luz capaz de destruir bactérias indesejadas. (foto cedida pelo entrevistado)

As microagulhas penetram a pele do paciente e emitem uma luz capaz de destruir bactérias indesejadas. (foto cedida pelo entrevistado)

Caio contou à CHC que, diferentemente de outras pesquisas que usam a luz como tratamento, esta não faz uso de raios ultravioleta, que podem ser prejudiciais à saúde. “Usamos lâmpadas do tipo LED, que também têm um custo menor”, comenta.

Outra vantagem é que a lanterna é eficaz mesmo em bactérias resistentes a vários antibióticos. “O tratamento com antibióticos modifica geneticamente os microrganismos, que acabam ficando mais resistentes, até que o remédio não faz mais efeito e é preciso mudar”, explica o estudante.

Os pesquisadores ainda não sabem explicar por que determinadas faixas de luz matam até mesmo bactérias muito resistentes. “O que sabemos é que a luz rompe a barreira celular das bactérias, que sofrem um tipo de explosão e não conseguem se reconstituir”, conta Caio.

Por enquanto, a lanterna foi testada em ratos, contra muitos tipos de bactérias diferentes. O efeito foi maior no combate à Acinetobacter baumannii, que causa infecções na pele, nos pulmões e no estômago. Antes de começar a tratar pessoas com a nova técnica, porém, ainda há muitos testes a serem realizados, que vão verificar se o método é realmente seguro.

Matéria publicada em 06.04.2015

COMENTÁRIOS

  • RAYSSA

    OLÁ , REVISTA DA CHC ,
    Me CHAMO RAYSSA , tenho 11 ANOS, morro em SÃO PAULO, ESTUDO NA ESCOLA MARECHAL FLORIANO. GOSTEI muito de saber que a LUZ É O MELHOR REMÉDIO ,sempre achei que a luz fazia mal para agente , e a agora eu direi uma DUVIDA . MUITO OBRIGADA POR ME OUVI TCHAU.
    9/9/2020
    RAYSSA 11 ANOS

    Publicado em 9 de setembro de 2020 Responder

Valentina Leite

Sou apaixonada por cinema, sushi e praia. Adoro escrever, andar de bicicleta, cantar (no chuveiro) e conhecer pessoas novas! Quando pequena queria ser cientista, mas acabei escolhendo ser jornalista e agora escrevo sobre ciência.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?