Curiosa viagem

A andorinha-azul vive nos Estados Unidos e, no outono, segue para a América Latina. Um pequeno aparelho colocado em suas costas permitiu que os cientistas descobrissem que a ave percorre 500 quilômetros por dia durante essa viagem (fotos: Elizabeth Gow/Tim Morton).

Quando o inverno se aproxima, muitos pássaros alçam voo rumo a lugares mais quentes. Mas você sabia que eles fazem várias paradas no caminho? E que, em matéria de velocidade, esses animais têm um quê de piloto de fórmula um? Pois foi isso o que os cientistas descobriram recentemente!

Em busca do Sul
Os pássaros em questão são as andorinhas-azuis e os tordos-do-bosque. Esses pássaros canoros – ou seja, que cantam – habitam os Estados Unidos e migram para o Sul no outono, até chegar à América Latina. Seu objetivo é fugir do frio intenso e das tempestades de neve, buscando locais de clima mais ameno.

“Esses pássaros se alimentam de frutas e insetos e esse tipo de alimento não está disponível no inverno em seu habitat natural”, conta Scott Tarof, da Universidade York, no Canadá. “Então, eles migram para o Sul onde há a comida e calor de sobra.”

Um tordo-do-bosque macho cuida dos seus filhotes.

Velocidade máxima
Que os pássaros migravam para o Sul no inverno,  já se sabia. Mas não se conheciam aspectos importantes dessa viagem, como os locais pelos quais as aves passavam e o tempo que demoravam em cada um.

Mas isso mudou quando a equipe da bióloga Bridget Stutchbury, da Universidade York, colocou pequenos aparelhos – mais ou menos do tamanho de uma moeda de 10 centavos – presos aos pássaros. Esses equipamentos registravam a latitude e a longitude ao nascer e ao pôr do sol. Assim, permitiam descobrir onde os pássaros estavam a cada dia e em quanto tempo eles percorriam cada trecho da longa viagem.

Resultado? Os cientistas ficaram surpresos ao notar que os pássaros voam cinco vezes mais depressa do que se pensava: cerca de 500 quilômetros a cada dia! “É incrível! Eles são pequenos, pesam apenas 50 gramas e podem voar nessa velocidade!”, conta, entusiasmado, Scott Tarof.

A bióloga Bridget Stutchbury solta uma andorinha-azul para que seu vôo seja monitorado.

Corrida para casa
Outra curiosidade sobre o voo desses pássaros é que, na ida, as andorinhas-azuis e os tordos-do-bosque fazem diversas paradas, enquanto a volta é apressada. “No outono, eles estão ‘de férias’”, conta Bridget Stutchbury. “Parece que eles aproveitam vários longos descansos.”

Uma andorinha-azul, por exemplo, leva 40 dias para sair do hemisfério norte e chegar ao Brasil. Na volta, o mesmo percurso é feito em… 15 dias! Mas por que tanta pressa para chegar em casa? “Eles voltam na época do acasalamento”, explica a bióloga. “Se chegam cedo, garantem bons lugares para se reproduzirem e fazerem seus ninhos.”

Volte sempre!
Aliás, os cientistas avisam: além de fazer com que se conheça melhor a curiosa viagem feita todos os anos pelos pássaros canoros, as descobertas também ajudam a protegê-los. Saber qual caminho as andorinhas-azuis e os tordos-do-bosque percorrem durante a migração mostra quais locais precisam ser preservados para que essas aves não sejam prejudicadas em sua estadia, seja pela poluição e por pesticidas, por exemplo. Afinal, a cada inverno, a visita desses animais é mais do que bem-vinda!

Longitude X Latitude
Longitude é a distância, em graus, de um ponto da Terra em relação ao Meridiano de Greenwich. Já a latitude é a distância, também medida em graus, de um ponto do planeta em relação à linha do Equador.

 

Matéria publicada em 02.03.2009

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Esse texto me ajudou a compreender mais as coisas!

    Publicado em 14 de abril de 2019 Responder

Tatiane Leal

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?