Um buraco bem fundo

Como sabemos o que existe dentro da Terra se não conseguimos nem arranhar a sua “casquinha”?

Ilustração Walter Vasconcelos

A Terra é bem grande, e, para sair da superfície, atravessar suas camadas e chegar ao seu ponto central, seria necessário percorrer mais de 6.370 quilômetros. Então, para saber o tipo de material que existe em seu interior, cientistas precisariam fazer um furo muuuito profundo. Haja broca!

O problema nem é somente o comprimento da broca, porque o furo pode ser feito em etapas. O complicado são as condições de pressão e temperatura que seriam encontradas, se fosse possível perfurar tudo isso.

Mas por quais razões alguém iria perfurar a Terra tão profundamente? Muitas! Para conhecer os tipos de rocha existentes, as propriedades mecânicas (resistência, dureza, rigidez…), a pressão e a temperatura em diferentes profundidades. Essas análises permitiriam entender melhor fenômenos como o vulcanismo, os terremotos, a origem de jazidas minerais e de petróleo, entre outros benefícios científicos.

Ótimo! Vamos furar logo? Não dá… O furo mais profundo já realizado na Terra chegou a pouco mais de 12 quilômetros de profundidade, e já foi uma proeza e tanto! Na fronteira da Rússia com a Noruega, na península de Kola, perto do Ártico, o furo de 23 centímetros de diâmetro começou a ser feito em 1970 e só parou em 1994.

É lógico que cientistas queriam mais, afinal de contas 12 quilômetros perto dos 6.370 quilômetros da Terra é muito pouco! Mas foi possível perceber que dificilmente, com a tecnologia existente hoje, conseguiremos um furo muito mais profundo do que este.

De qualquer forma, o furo de Kola trouxe algumas surpresas interessantes: a presença de água e de quantidades consideráveis de hidrogênio em grandes profundidades, fósseis de plâncton a profundidades de seis quilômetros, e a não existência de uma camada de rocha que era esperada aos sete quilômetros de profundidade.

Quer dizer então que nunca vamos saber o que existe no interior da Terra, já que praticamente só “arranhamos a sua casquinha”? Bom, realmente vai ser difícil conseguir uma amostra do que está lá embaixo. Mas temos meios de “enxergar” o que existe usando métodos geofísicos. Preste atenção: da mesma forma que obtemos imagens de um bebê na barriga da mãe durante a gestação, sem mexer nele, podemos obter informações sobre o interior da Terra (e de outros corpos do Sistema Solar) com diversos métodos, como o das ondas sísmicas (análises das vibrações que vêm do interior do planeta), e outros equipamentos e técnicas elaborados para esse tipo de pesquisa. Portanto, podemos esperar por novidades!


eder_molina

Eder Molina
Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas
Universidade de São Paulo

Sou paulista, e já nem lembro quando nasci… Sempre fui curioso sobre o porquê das coisas, e desde criança tinha meu clubinho da ciência. Hoje sou professor de Geofísica e continuo xereta e buscando aprender muitas coisas, principalmente sobre a Terra e o Sistema Solar.

Matéria publicada em 31.10.2023

COMENTÁRIOS

  • giovanna albuquerque

    Oi chc como vai? A matéria ”Um buraco bem fundo ” me encantou, eu amei !
    Eu realmente acho impossível cavar um buraco sobre a terra.

    um abraço bem forte,
    Giovanna

    Escola Mercedes Carnevalli Klein
    Dia 1 de novenbro de 2023.

    Publicado em 1 de novembro de 2023 Responder

    • Eder Molina

      Oi, Giovanna, tudo bem? Obrigado pelos comentários.
      Conta pra gente, o que você acha mais difícil para conseguir cavar um buraco bem fundo na Terra? E em outros planetas e satélites?

      Publicado em 20 de março de 2024 Responder

  • Manuela Almeida Santos

    olá CHC!,

    Meu nome é Manuela e tenho 9 anos, estudo no colégio Sagrado Coração de Maria e gostei muito da sua matéria sobre a terra.
    Eu não sabia de muitas coisas que você escreveu no texto, achei muito interessante e já estudei sobre terra então conseguir saber mais sobre ela!
    Bom foi muito legal falar com você, obrigada pela atenção!!!
    Beijos
    Manuela

    Publicado em 1 de novembro de 2023 Responder

    • Eder Molina

      Oi, Manuela, tudo bem? Fico muito feliz com teu entusiasmo sobre a Terra, eu também acho sempre coisas muito interessantes sobre nosso planeta! Continue investigando o site da CHC, e você com certeza vai conseguir muito mais informações bem legais!

      Publicado em 20 de março de 2024 Responder

  • alberto nemer

    vitoria 1 11 2023

    olaa que legal mas talves no futuro chegamos laaaaa!!!!!!!!!!

    Publicado em 1 de novembro de 2023 Responder

    • Eder Molina

      Oi, Alberto. Conta pra gente, como você acha que no futuro vamos conseguir cavar um buraco beeeeeeeem fundo na Terra? Voc tem alguma ideia legal para fazer isso acontecer? 🙂

      Publicado em 20 de março de 2024 Responder

  • ALUNOS DO 3º ANO A

    DESCALVADO, 9 DE NOVEMBRO DE 2023.

    EDER MOLINA, DA REVISTA CHC

    OLÁ, SOMOS ALUNOS DO 3º ANO A E GOSTAMOS DA MATÉRIA SOBRE A PROFUNDIDADE DO PLANETA TERRA. NA PRÓXIMA MATÉRIA, QUERÍAMOS SABER SOBRE A PROFUNDIDADE DO MAR.

    MUITO OBRIGADO E ATÉ BREVE.

    ALUNOS DO 3º ANO A.

    Publicado em 9 de novembro de 2023 Responder

    • Eder Molina

      Oi, pessoal, tudo bem? Desculpe-me pela demora em responder, espero que não aconteça novamente…
      Sobre o fundo do mar, acabou de sair uma matéria na CHC contando a incrível história da Marie Tharp. Confiram e mandem seus comentários a respeito, por favor!
      🙂

      Publicado em 20 de março de 2024 Responder

  • julia spencer oliveira

    oia chc
    eu nem imaginava a profundidade da Terra.
    Amo suas postagens tchau

    Publicado em 12 de novembro de 2023 Responder

    • Eder Molina

      Oi, Julia. É fundo, hein??? 🙂

      Publicado em 20 de março de 2024 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Quem protege os meros?

Peixes que podem ser maiores do que humanos estão ameaçados de extinção.

Mar, misterioso mar!

Cheio de vida e de surpresas, o oceano mexe com a imaginação da gente.