100 anos de uma semana bem brasileira

O que é arte brasileira? De onde vem as suas formas, cores e palavras? Estas foram algumas questões que se buscava responder no Brasil do início do século passado. Na cidade de São Paulo, aconteceu um movimento que mudaria os rumos das expressões artísticas do país: a Semana de Arte Moderna, de 1922. Ela reuniu artistas e intelectuais para uma reflexão coletiva. Lá se vão 100 anos! Você já ouviu falar desse evento?

Ilustração Ana Matsusaki

A Semana de Arte Moderna se deu numa época em que o mundo se recuperava da Primeira Guerra Mundial, que aconteceu entre 1914 e 1918. Além das crises financeiras e das vidas perdidas nas batalhas, existia uma falta de esperança no ar, fruto dos horrores que foram vistos nos combates espalhados pelo mundo. Antes da guerra, as sociedades se desenvolviam a todo vapor, cidades cresciam e as invenções, como o automóvel, a luz elétrica e o avião, tornavam a vida mais rápida e fácil. Mas, quando esses mesmos aviões bombardearam cidades e os avanços na ciência criaram metralhadoras, as dúvidas sobre a ideia de progresso apareceram. Será que a humanidade estava mesmo se desenvolvendo?

Arte e liberdade

No Brasil, eram celebrados, em 1922, os 100 anos da Independência do país, que aconteceu em 1822. Mesmo com a independência, a República Brasileira ainda se inspirava muito nas ideias europeias. A literatura e as artes plásticas eram ainda muito influenciadas pela forma como os europeus, principalmente os franceses, escreviam, pintavam e desenhavam, o que criava duras regras e pouco espaço para novidades.

Surgia uma nova elite brasileira, enriquecida graças ao cultivo do café e às primeiras indústrias fundadas no país. Esse novo e rico grupo, concentrado em São Paulo, desejava se tornar mais influente não só na economia e na política, mas também na cultura. Eles criticavam a antiga elite do país, que valorizava mais a cultura europeia tradicional do que aquela que existia no Brasil. Eles se perguntavam: o que é ser brasileiro? O que seria uma arte que mostrasse a essência do Brasil? E buscaram respostas…

Tipicamente brasileiro

Foi em busca de respostas e de ideias mais livres para a arte que um grupo de intelectuais e artistas, cariocas e paulistas, organizou, em fevereiro de 1922, a Semana de Arte Moderna – que, apesar do nome, durou somente três dias. O evento aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo e reuniu escritores, como Mário de Andrade e Oswald de Andrade – que, apesar de carregarem o mesmo nome, não eram irmãos! Participaram também os artistas Anita Malfatti, Di Cavalcanti e Victor Becheret, além de músicos e outros intelectuais brasileiros.

A escultura Cabeça de Cristo (1919), de Victor Brecheret, causou revolta na Semana de Arte Moderna por representar Jesus, importante figura para a religião católica, de uma forma incomum.
Reprodução
Capa do catálogo da exposição da Semana de Arte Moderna, de Di Cavalcanti (1922).
Reprodução
O Homem Amarelo (1915) de Anita Malfatti gerou muita polêmica na Semana de Arte Moderna e recebeu fortes críticas pelas cores e formas que usou para representar o imigrante italiano.
Reprodução

No evento, as palestras e exposições tinham como objetivo renovar a arte brasileira e libertá-la das ideias clássicas, que valorizavam, por exemplo, obras que buscavam o realismo e a perfeição.  Já os modernistas queriam abrir espaço para as vanguardas, ou seja, as novas formas de fazer arte, como o Cubismo e o Expressionismo, mais preocupados em representar as sensações e os sentimentos humanos junto das grandes questões da sociedade, como a fome, a seca e a imigração no país. Além disso, queriam adotar essas novas ideias, mas sem esquecer as influências culturais africanas e indígenas que haviam no Brasil. Esse foi um ponto fundamental da Semana de Arte Moderna: em todas as artes, o encontro entre as ideias europeias e as culturas da terra passava a ser valorizado, e daí poderia sair algo tipicamente brasileiro.

 

Existe regra para a arte?

A Semana de Arte Moderna pode não ter criado regras claras para uma nova arte no Brasil: os modernistas tinham propostas variadas. Mas o que de fato aconteceu, entre vaias e aplausos, críticos e apoiadores, foi que o evento causou, pelo menos, muito rebuliço.

Afinal, o grupo não queria estabelecer novo padrão para as artes, um conjunto de regras para substituir o antigo, mas abrir espaço para a reflexão, para novas ideias e formas de pensar. Entre obras chocantes, com formas, cores e temas escandalosos para a época, e ideias tão diferentes, o que os modernistas sabiam era que não queriam o “passadismo”. O propósito era tornar a arte brasileira mais atual, sem se apegar as regras adotadas no passado, que tinham somente a Europa como referência.

Liberdade no futuro

Nos anos seguintes à Semana de Arte Moderna, foram criadas várias obras inspiradas em suas ideias. Uma delas foi o Manifesto Antropofágico, que o autor Oswald de Andrade publicou em 1928. A antropofagia era um ritual praticado por algumas culturas indígenas brasileiras, no qual um guerreiro comia a carne de seu inimigo capturado, acreditando que assim absorveria seus poderes. No Manifesto de Oswald, a ideia era simbólica: o autor sugeria que a cultura brasileira “engolisse” e “mastigasse” as influências europeias, junto às africanas e indígenas, tendo como resultado dessa digestão artística algo totalmente novo e verdadeiramente brasileiro. A frase “Só me interessa o que não é meu” do Manifesto Antropofágico quer dizer que a cultura brasileira poderia se apropriar das ideias estrangeiras, se fossem misturadas com a cultura popular do país.

Arte para todos?

A Semana de Arte Moderna foi um movimento muito importante para o Brasil, com todas as suas novidades e mudanças. Porém, é preciso entender que não foi um evento inclusivo. Mesmo que os modernistas tenham aberto espaço para os temas sociais e as contribuições indígenas e africanas para a cultura, eles não abriram espaço para essas pessoas participarem. Então, negros, indígenas, pobres e imigrantes não brancos eram tema das obras, mas não estavam sentados nas cadeiras do Teatro Municipal em 1922, não foram incluídos no evento.

E hoje? O que você acha da arte brasileira? Quantos artistas você conhece? Repensar como nós fazemos arte e o que valorizamos em nossa cultura é importante, mas não podemos nos esquecer de convidar todos para participar. Afinal, quando se fala de cultura, quanto mais diversidade e quanto mais gente com pensamentos diferentes, melhor!

Fora do Brasil

Tarsila do Amaral, pintora e escultora brasileira, é frequentemente relacionada com a Semana de Arte Moderna, mas, na verdade, ela não participou do evento. A artista estava em Paris, e assim que retornou ao Brasil logo se juntou ao grupo dos modernistas.

Inspiração para novos tempos

Leopoldina também poderia ser uma inspiração para os dias de hoje. Mais de 200 anos após ela ter usado muitos vestidos feitos especialmente para ela, seu estilo ainda hoje parece moderno e contemporâneo. Mas suas ideias são ainda mais interessantes. Para a princesa, ser bom e não se esquecer dos mais pobres são valores que não deveriam nunca sair de moda.

Renata Dias Pinto Monteiro
Programa de Pós-Graduação em História Social
Universidade Federal do Rio de Janeiro

Matéria publicada em 01.06.2022

COMENTÁRIOS

  • Drielle Santos Mascarenhas♡

    Gostei muito dessa matéria!, por ter aprendido o porque de terem criado a Semana de arte moderna, e que a Semana de Arte Moderna chocou parte da sociedade com o novo estilo.

    Publicado em 4 de junho de 2022 Responder

  • Rosa Mattos

    Texto claro e objetivo. Adorei! Fui péssima em história, mas acho que não tive a professora certa!

    Publicado em 6 de junho de 2022 Responder

  • Adriana Seixas Magalhães

    Adorei a leitura. Recortes muito bem feitos. Relembrei um tanto, e aprendi um bocado.

    Publicado em 6 de junho de 2022 Responder

    • Alicia Sheridan

      Sim, esse artigo foi muito interessante. Aprendimos muito sobre os artistas e a arte dessa época.

      Publicado em 9 de junho de 2022 Responder

  • Yasmin Lopes

    Eu gostei desse artigo, Eu tenho interesse na Historia, e foi bom ter aprendido um pouco dessa epoca. Sou brasileira estudando nos EUA.

    Publicado em 9 de junho de 2022 Responder

  • Felipe Whitaker

    Bem contextualizado, ótimo ritmo, leve e informativo!

    Publicado em 11 de junho de 2022 Responder

  • Henrique Soares

    MARAVILHOSO, Parabéns a autora, sabemos qual o público pretendido pela revista, o que nos desafio mais e mais quando escrevemos sobre temas mais “adultos” . A Semana foi fundamental para compreendermos que somos capazes e em tempos de “elite” torta resgatá-la é urgente.
    Parabéns a nossa sempre forte Ciência Hoje das Crianças.

    Henrique Soares

    Publicado em 16 de junho de 2022 Responder

  • Felipe Maia

    Muito bom, achei o máximo o conteúdo dessa bela matéria!!

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • Robson yumi Watanabe rocha??

    Gostei muito desse conteúdo

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • A.L.A.A.

    Adorei a matéria, aprendi demais com essas informações!

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • Miguelito B91

    Muito bom essa matéria gostei muito li comi minha prof e meus colegas ache perfeito parabéns para a escritora

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • José

    Ola adorei a matéria mesmo não gostando de arte.

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • SOI

    jóia

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • Lord-Batata

    Achei legal

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • Weee :D

    Perfect! adorei

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • Arthur dos caracol

    Gostei desse trem ! 🙂 ^_^

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • Carol

    Achei bem legal, porque não sabia tanto sobre a Semana da Arte Moderna.

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • MEOP

    Matéria adorável, aprendi muito com esse conteúdo, muito bem escrita. Parabéns.

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • FSM

    Ótimo, muito interessante, mesmo não gostando muito de arte, achei incrível a história por trás!

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • VCQS#Vai Brasil

    Olá, vi a matéria e de primeira não me interessei, mas fui obrigado a ler, e não me arrependo.

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • kazumi (hiro)

    Gostei muito dos temas, prendi bastante, e espero continuar a gostar ainda mais

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

    • kazumi (hiro)2

      Aprendi muito com esses temas, espero que continuem fazendo esses conteúdos muito bons:)

      Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • oni-chan??

    gostei do conteúdo.

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • Murilo Carrasco

    gostei muito, esse reportagem é interessante e fala sobre muitas coisas sobre a arte.

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • bds3000

    Descobri sobre esse site na aula de RIPT com a nossa professora linda. Gostei mais dessa reportagem do que das outras, pois me interresso por artes e gosto de saber o significado delas.

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • Vavis Verde

    Eu gostei muito, achei bem intereçante.

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • C.C.L

    Adorei a matéria! Eu achei o texto objetivo e claro, me esclareceu muitas dúvidas. Achei o assunto muito interessante!

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • Amogus

    adorei esse conteúdo, bem educativo, e gostoso de ler.
    Parabéns quem criou

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • VCQS#Vai Brasil2

    Adorei o conteúdo, uma maravilha e aprendi muitas coisas. Obrigado CHC.

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • Sou lindo(a) e pft

    Achei esse conteúdo muito interessante.

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • Murilo 06

    Gostei muito, esse reportagem é interessante e fala sobre muitas coisas sobre a arte.

    Publicado em 23 de junho de 2022 Responder

  • grau do cleitn

    Eu achei muito legal a história eu não sabia dessa parte da arte moderna.

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • Valentina M.

    Achei um conteúdo muito bom e educativo para nós crianças/ pré adolescentes sabermos do que acontecia e o que acontece com a história da arte no país que moramos e vivemos.

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • julinha :) – J.C.B.S

    Conteúdo muito bom, interessante e completo. Adorei a pesquisa e me interesso muito por arte.

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • matue africano ?

    gostei muito dessa reportagem, muito interessante mesmo não gostando de artes

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • MEU NOME

    Eu não gosto muito de Artes, mas gostei muito do texto, aprendi muitas coisas. Irei pesquisar mais sobre esses assuntos, se não fosse minha professora de RIPT (Bruna Sousa) não iria descobrir sobre isso.

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • DSM

    Achei interessante pois não sabia que passou 100 anos de arte brasileira e a arte era mais para os ricos então os artistas da arte moderna não gostavam tanto disso, queriam popularizar a arte e eles na minha opinião estavam certo. Parabens para a arte modernista!

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • R.N.S

    Achei interessante o assunto dessa matéria interessante, já que adoro arte. Cada vez mais gosto de saber mais sobre arte.

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • Andre.m.p sei la

    Muito legal a ideia na epoca e de fazer o texto

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • Andre.m.p sei la

    Muito legal a ideia na epoca e de fazer o texto e é muito daora

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • Lucca

    Olha gostei muito porque nos ensina a valorizar a nossa arte. Descobri esse site através da nossa linda professora de ript

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • R D de 4?

    Para mim esse conteudo não é tão interessante mas é bem divertido e conteudista saber da história da arte do nosso lindo país e não sabia de varios fatos legais da semana de arte moderna!

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • Laurinha :P

    Eu gostei muito dessa reportagem, mas esse assunto é não um dos meus favoritos, mesmo assim gostei muito e achei que prendeu muito bem a minha atenção e achei muito bem escrita, e um tema muito bom para quem se interessa pela história da arte brasileira

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • Xandão

    Gostei, achei interessante esse assunto das artes acho bem legal. Saber as historias da obras porque foram criticadas ou aceitas na arte.

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • Mariazinha!!!!

    O artigo foi muito bem escrito e deu para entender muito bem, aliás sou aluno do 7º ano e é importante ter artigos como esse para nos incentivar a ler, escrever e a fazer arte! O assunto é essencial . Artigo incrível!

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • Akn_Sofia

    Achei o conteúdo muito legal. Estava lendo com meus colegas de sala, muito interessante as artes e os autores. É muito bom conhecer a história da arte e como alguns artistas pensavam. Sua forma de escrita é muita boa e é fácil de entender, pois ainda estou estudando sobre o assunto e palavras muito difíceis são meio ruins de entender. Ótimo artigo!!! (⌒ ▽ ⌒) ☆

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • レチシア

    Amei a matéria, saber mais sobre artistas e sobre seus trabalhos é muito bom, principalmente pelo fato de que eu adoro arte. A arte é uma das melhores formas de se expressar, e eu sou muito agradecida por todos os artistas que nunca desistiram de seus sonhos!

    Publicado em 24 de junho de 2022 Responder

  • maria gabriela

    eu amei a noticia da arte moderna ela e muito enterecante

    Publicado em 29 de junho de 2022 Responder

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Bem lá no fundo do oceano

Segure o fôlego e mergulhe para descobrir o que há no mar profundo!

Monumento ao Dois de Julho

Ele fica em Salvador, na Bahia, e é um marco no processo de Independência do Brasil