Água-viva viajante

Quem vê uma água-viva no mar, com aquele jeitão vagaroso, não imagina que ela seja capaz de viajar grandes distâncias. É de se estranhar, então, que exemplares da água-viva-australiana-manchada (Phyllorhiza punctata) tenham sido encontrados no mar de Ubatuba, em São Paulo. Como será que elas chegaram até aqui?

A (i)Phyllorhiza punctata(i) pode medir até 60 centímetros de diâmetro e há registros esporádicos de sua ocorrência no Brasil desde a década de 50. A espécie se alimenta de plâncton e larvas de crustáceos, como camarões (Foto: Orest / Wikimedia Commons / CC BY-SA 2.0)

A (i)Phyllorhiza punctata(i) pode medir até 60 centímetros de diâmetro e há registros esporádicos de sua ocorrência no Brasil desde a década de 50. A espécie se alimenta de plâncton e larvas de crustáceos, como camarões (Foto: Orest / Wikimedia Commons / CC BY-SA 2.0)

Provavelmente, de carona em navios! Só que com um detalhe: elas não sabiam que estavam embarcando em uma viagem.

As águas-vivas podem ter viajado quando eram apenas filhotes, em um estágio de seu ciclo de vida chamado pólipo. Nessa fase, elas ainda são pequenas e incapazes de se mover sozinhas, por isso, precisam estar presas a algum lugar. Se o lugar escolhido tiver sido o casco de um navio, já dá pra concluir o que houve – o barco zarpou e, com ele, as águas-vivas!

Outra possibilidade é de que elas tenham chegado até aqui junto com a água de lastro – água do mar armazenada em tanques, nos navios, que servem para dar estabilidade à embarcação – de barcos que aportaram no Brasil. Isso pode acontecer mesmo na fase adulta das águas-vivas.

É nesse estágio, conhecido como medusa, que as águas-vivas-australianas-manchadas já sabem nadar por conta própria e podem causar problemas para os banhistas. “Os riscos são como de qualquer outra água-viva: um encontro com elas pode causar irritações na pele, por exemplo”, diz André Morandini, zoólogo do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo.

Saiba o que fazer em caso de acidentes com águas vivas.

Não é só aos humanos que as águas-vivas invasoras podem causar prejuízos. O meio ambiente também pode ser prejudicado. “Como é uma espécie não originária do Brasil, ela pode estar causando algum prejuízo ao ecossistema”, aponta André. “Porém, ainda não sabemos qual”.

A P. punctata já tem sido observada em diversos lugares do planeta. No Golfo do México, por exemplo, sua presença causou uma redução da população de camarões, o que afetou o meio ambiente e as atividades de pesca.

Não há muito o que fazer em relação às águas-vivas que já estão em águas brasileiras. Porém, existe uma forma de evitar que novos animais venham parar aqui: basta que os navios sejam limpos em alto mar, impedindo que novos animais cheguem até a costa.

Matéria publicada em 20.05.2013

COMENTÁRIOS

  • Myrela Bispo Dos Santos

    As águas-vivas pode ter viajado quando era apenas filhotes em um estágio de seu círculo de vida chamado pólipo nessa fase elas ainda são pequenas é incapazes de se mover sozinha por isso precisam estar pressa a algum lugar o lugar escolhido tiver sido o casco de um navio já dá para concluir o que houve o barco zarpou e com ele as águas-vivas

    Publicado em 13 de novembro de 2020 Responder

  • Otávio Brito de Oliveira

    Oi professora achei muito interessante.

    Publicado em 16 de novembro de 2020 Responder

  • Diogo Brito de Oliveira

    Elas são lindas mas perigoso estar perto delas né

    Publicado em 16 de novembro de 2020 Responder

  • Yan Fernandes de Souza.

    Achei muito legal.e incrível

    Publicado em 1 de abril de 2021 Responder

  • Miguel Domingues de Araujo

    Que curioso, não sabia que a ardência da pele causada pela água viva e o seu veneno.

    Publicado em 3 de abril de 2021 Responder

  • João Henrique

    foi bom saber que elas podem ir tão longe

    Publicado em 5 de abril de 2021 Responder

  • JORGE EDUARDO DE FREITAS PINHEIRO JUNIOR

    Tia e verdade que algumas água vivas?

    Tia águas vivas podem ser colocadas em corais ou outros animais?

    Achei bem estranho(interessante e curioso) o texto!

    Publicado em 5 de abril de 2021 Responder

    • JORGE EDUARDO DE FREITAS PINHEIRO JUNIOR

      Tia as algumas águas vivas nao envelhecem e verdade ou falso pq tem jente que dis que sim.

      Publicado em 5 de abril de 2021 Responder

  • Isis Lopes Roma

    Nossa e muito perigoso para o mundo e se os peixes acabarem cem peixe para todo mundo do mundo

    Publicado em 6 de abril de 2021 Responder

  • Pedro

    Os navios dão carona para as águas vivas.

    Publicado em 19 de abril de 2021 Responder

Fernanda Turino

Sempre fui muito curiosa, adorava brincadeiras ao ar livre e acampar (fui até escoteira!). Cresci lendo a CHC e hoje trabalho aqui.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?