Adeus, ISON!

Tem vezes que a ciência parece uma novela. São reviravoltas, expectativas, e a gente nunca sabe como vai ser o final da história. Pois está aí um exemplo: a passagem do cometa ISON, que anunciamos aqui mesmo na CHC Online.

O cometa ISON viajando em direção ao Sol (Foto: NASA/MSFC/Aaron Kingery)

O cometa ISON viajando em direção ao Sol (Foto: NASA/MSFC/Aaron Kingery)

A comunidade científica – e todos os apaixonados por astronomia – estavam curiosíssimos para observar o astro no céu. Toda essa excitação deu lugar à apreensão, quando descobrimos que o cometa poderia se desintegrar ao passar muito próximo do Sol.

A aproximação aconteceu no finalzinho de novembro e, no dia 28, vários meios de comunicação anunciaram que o ISON tinha mesmo se dividido em vários pedaços menores. Os cientistas, como não conseguiam detectar evidências do cometa, decretaram que ele estava mesmo acabado, despedaçado pelo calor e pela força da gravidade da nossa estrela central.

Porém, nas horas seguintes, a coisa mudou de rumo: foram divulgados fotos e vídeos da NASA (a agência espacial americana), mostrando que o cometa havia sobrevivido e continuava sua trajetória. Ei, espere! Antes de comemorar, saiba que a novela não acabou…

As imagens mostram que, após passar pelo ponto de maior proximidade com o Sol, apenas parte do cometa sobreviveu (Imagens: ESA&NASA/SOHO)

As imagens mostram que, após passar pelo ponto de maior proximidade com o Sol, apenas parte do cometa sobreviveu (Imagens: ESA&NASA/SOHO)

Se você clicar no link acima, vai observar uma imagem animada. Nessa imagem, que está em cores falsas, aparece um disco azul escuro no centro. Ali está o Sol. O disco azul serve para tampar a iluminação direta da estrela, que inviabilizaria a observação do cometa. O ISON aparece como um pontinho brilhante que desaparece atrás do disco azul e, em seguida, aparece novamente.

Muita gente comemorou, achando que o ISON tinha escapado de virar poeira. Infelizmente, novas imagens foram divulgadas, mostrando que nosso medo tinha se confirmado: apenas uma parte do cometa resistiu à proximidade do Sol, e mesmo esse pedacinho se desintegrou logo depois. Tudo que sobrou foi uma grande nuvem de poeira, que logo deve se dispersar.

Não foi dessa vez que observamos um cometa passar bem pertinho de nós. Quem sabe daqui a alguns anos?

Matéria publicada em 02.12.2013

COMENTÁRIOS

Eder C. Molina

Geofisico, apaixonado pelas Ciências da Terra e do Universo. Adora aprender mais sobre todas as coisas e receber e-mails do pessoal que lê a CHC! O endereço é eder@iag.usp.br.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?