Histórias indígenas

Hoje, 19 de abril, é o Dia do Índio. Você já aprendeu aqui na CHC Online por que essa data foi escolhida para celebrar a cultura e as tradições indígenas, então que tal comemorar em alto estilo? Separei algumas dicas de livros de escritores indígenas ou que abordam lendas e histórias das tribos. Aposto que você vai gostar!

ceiuci-altaBruxa à solta
Quem disse que não existem bruxas na mitologia indígena? Ceiuci aterroriza os pequenos curumins, que são as crianças da aldeia. Ela é uma mulher muito gulosa, que come tudo que vê pela frente, até gente! Quase que ela come o curumim protagonista dessa história. Ele estava perto do rio com sua mãe quando a bruxa apareceu, mas conseguiu fugir. Fugiu por tanto tempo, que acabou ficando velho. Quer saber como tudo acontece? Leia!
Ceiuci, a velha gulosa. Mito indígena brasileiro recontado por Maria Inez do Espírito Santo. Ilustrações de Taisa Borges. Editora Escrita Fina.

Mistério na aldeiao caso da cobra
Kurumi é um menino índio que mora no Amazonas com seu povo, os Maraguás. Na aldeia, os meninos aprendem a caçar e, como ainda são crianças, capturam animais pequenos, como algumas aves. Porém, de uns tempos para cá tem ocorrido um grande mistério: toda caça, crua ou cozida, some da aldeia sem deixar rastro. Será que nosso pequeno índio consegue descobrir o que está acontecendo?
O caso da cobra que foi pega pelos pés. De Wasiry Guará. Coordenação de Yaguarê Yamã. Ilustrações de Ana Luiza Mello. Editora Imperial Novo Milênio.

capa_alta cópiaMeninos, eu vi!
“Meu canto de morte/ guerreiros, ouvi:/ sou filhos das selvas/ nas selvas cresci/ guerreiros, descendo da tribo tupi.” Assim I-Juca Pirama começa a contar sua história para os valentes guerreiros Timbiras, famosos por devorarem seus adversários. Este é um conto clássico do poeta Gonçalves Dias, escrito em 1851. Agora, a obra pode ser lida em quadrinhos, com belas ilustrações que revelam uma grande aventura em versos.
I-Juca Pirama em quadrinhos. De Gonçalves Dias. Ilustrações de Silvino. Editora Peirópolis.

Amor de índio2606_primeira_estrela
O sentimento de amor é muito parecido em qualquer etnia. Prova disso são as belas
histórias românticas contadas pelos povos indígenas. Muita alegria, euforia, ciúmes e brigas, comuns entre os que se amam, estão presentes nos contos desse livro, como Candiê-Cuei. Nesta história, uma estrela que piscava solitária no céu desceu à terra e se transformou em uma mulher só para ficar ao lado do amado.
A primeira estrela que vejo é a estrela do meu desejo e outras histórias de amor. De Daniel Munduruku. Ilustrações de Maurício Negro. Editora Global.

Depois de colocar a leitura em dia, lembre-se: o mais importante é saber que as várias etnias indígenas compõem boa parte do povo brasileiro. Professores, médicos, pesquisadores e muitos outros profissionais são índios ou descendentes de quem nasceu nas aldeias formadas em várias regiões do Brasil!

Matéria publicada em 19.04.2013

COMENTÁRIOS

Diná

Sou uma dinossaura antenada, criativa e apaixonada por música, livros e cinema. Tem gente espalhando por aí que sou apaixonada também pelo Rex, mas alto lá! Ele é o meu melhor amigo.

CONTEÚDO RELACIONADO

Grêmio Recreativo Escola de Samba Turma do Rex apresenta… A história do carnaval!

Rex, Diná e Zíper vão passar o carnaval no Rio de Janeiro e aproveitam para contar a você muitas curiosidades sobre o passado dessa festa!