550 anos de Leonardo da Vinci

Segure firme na cadeira e coloque a imaginação para funcionar. Você acaba de entrar em uma máquina do tempo com destino ao passado: o dia 15 de abril de 1452! Nesta data, na Itália, nascia Leonardo da Vinci. Talentoso pintor — o artista criou obras-primas, como o quadro A Mona Lisa , que retrata uma mulher com olhar e sorriso misteriosos –, Da Vinci também atuou como escultor, engenheiro, arquiteto e fez estudos científicos. Para ele, ciência e arte se completavam!

Talvez você ache estranho que uma pessoa tenha conseguido se dedicar à ciência e à arte ao mesmo tempo. Mas o fato é que Leonardo da Vinci nasceu e cresceu em uma época em que tudo isso se misturava. Nos séculos 15 e 16, um movimento artístico, literário e científico surgiu na Itália: o Renascimento. Ele levou a um grande desenvolvimento da arquitetura, escultura, pintura, literatura, música e política! E também significou uma revolução no conhecimento da Astronomia, Matemática, Física e Medicina. Nesse período, a tradição na Europa era formar homens com um conhecimento amplo nos campos da técnica, da ciência e da arte.

O quadro A Última Ceia, pintado por Da Vinci entre 1495 e 1497, é um dos mais famosos do Renascimento.

Foi na adolescência que Leonardo da Vinci começou a mostrar que tinha talento para ser um grande pintor. Nessa época, ele também percebeu a importância da observação científica precisa e bem cuidada. Essa descoberta influenciaria, no futuro, todos os seus trabalhos, inclusive os artísticos.

Até algum tempo atrás, os méritos de Leonardo da Vinci ficavam por conta das pinturas, que desenvolveu com genialidade. A contribuição do artista no campo científico era pouco divulgada e se tornou mais conhecida somente a partir da década de 1960. Nessa época, foram encontrados manuscritos com cerca de 700 páginas com a descrição de alguns de seus trabalhos. Por meio deles, percebeu-se que Leonardo da Vinci antecipou diversos avanços tecnológicos. Ele desenhou, por exemplo, uma máquina parecida com um helicóptero e esquemas de pára-quedas! (veja abaixo):



Mas o interesse por ciência também influenciaria sua obra artística. Da Vinci sempre fabricava e fazia experimentos com as suas próprias tintas e técnicas de pintura. Como conseqüência, alguns de seus trabalhos têm sérios problemas de conservação para a posteridade (leia o quadro ao lado). Mas nada disso diminui o talento desse artista. Ele foi inovador e conseguiu superar todos os pintores de sua época. Até hoje, sua obra é vista como uma das mais belas do mundo. No entanto, não é fácil encontrar quadros legítimos de Leonardo da Vinci! Ao todo, são somente 12 telas de autenticidade indiscutível e a maioria está na Europa.

No quadro A última ceia , por exemplo, é difícil ver certas partes da pintura porque os pigmentos não conseguem ser restaurados em todo seu colorido. Outra obra prejudicada foi A madona e o menino , em que a figura aparece toda enrugada porque o artista misturou muito óleo à tinta.

Pode ser que você um dia tenha a oportunidade de ver de perto um dos trabalhos desse gênio. Ou, então, que passe a se interessar pela pintura, agora que conhece um pouco sobre ele. De qualquer forma, é sempre bom reconhecer a importância de um artista, mesmo que seja em seu aniversário de 550 anos! Então, clique aqui para saber mais sobre as pinturas e estudos científicos de Leonardo da Vinci!

Leia mais: Introdução | Pintor e cientista precoce | O apogeu do gênio

Matéria publicada em 08.08.2010

COMENTÁRIOS

Sarita Coelho

CONTEÚDO RELACIONADO

Grêmio Recreativo Escola de Samba Turma do Rex apresenta… A história do carnaval!

Rex, Diná e Zíper vão passar o carnaval no Rio de Janeiro e aproveitam para contar a você muitas curiosidades sobre o passado dessa festa!