Pintor e cientista precoce

O pequeno Leonardo nasceu em 1452, na cidade italiana de Vinci. Como você já deve ter percebido, ele incorporou ao seu nome de batismo o de sua cidade natal. Assim, ficou conhecido como Leonardo da Vinci! Quando criança, ele costumava desenhar tudo o que via pelos arredores de sua casa: insetos, flores, passarinhos… Nada escapava a seus olhos!

Anatomia e arquitetura eram apenas alguns dos temas prediletos de desenho para Leonardo da Vinci.

Por meio de seus desenhos, Da Vinci tentava descobrir como as coisas funcionavam. Ele analisava cada detalhe, desenhava e depois fazia anotações no desenho. O curioso é que as anotações eram todas escritas ao contrário! Para decifrá-las, seria preciso colocá-las na frente de um espelho. Provavelmente, ele queria evitar que alguém “roubasse” sua descoberta ou a divulgasse antes de estar totalmente pronta.

Como desenhava bastante, Da Vinci demonstrou, ainda na adolescência, ter aptidões de um grande artista. Por isso, seu pai o levou a Florença, cidade próxima a Vinci, onde se concentravam grandes artistas da Europa. Lá, ele foi trabalhar no ateliê de um pintor já conhecido na época, Andrea del Verrocchio, seu mestre.

No quadro Batismo de Cristo , de Andrea del Verrocchio, o detalhe mais apreciado foi o anjo no canto esquerdo (veja na ampliação), pintado pelo então aprendiz Leonardo da Vinci.

Com apenas 20 anos, Da Vinci ajudou Andrea del Verrocchio a terminar o quadro Batismo de Cristo (1472). Sua contribuição nessa tela foi o desenho de um anjo de cabelos compridos ajoelhado no canto esquerdo. Por toda a Florença, as pessoas comentavam que a parte mais bonita do quadro era o anjo pintado por Da Vinci — tinha mais vida e se destacava em relação às outras figuras.

Não demorou muito para que o trabalho de Da Vinci começasse a ser reconhecido e ele passasse a ser requisitado para fazer telas sozinho. O artista pintou vários retratos de pessoas e inovou ao dar destaque ao fundo do quadro. Pela primeira vez, ele parecia ser tão real quanto as pessoas retratadas!

Mesmo sendo reconhecido como pintor, Da Vinci se dedicava à ciência. Como muitas pessoas que viviam naquele período, ele tinha um sonho: voar como os pássaros! Por causa disso, o artista empenhou-se em construir uma máquina voadora. Apesar de não ter dado certo, ele chegou a esboçar algo semelhante a um helicóptero e fez esquemas de um pára-quedas. Ter observado o vôo dos pássaros e se preocupado em saber como eram as asas desses animais também ajudou o artista a fazer um detalhe do quadro A anunciação, que ele concluiu aos 20 anos: as asas do anjo Gabriel.

Retrato de Leonardo da Vinci

Existem algumas pinturas de Da Vinci que ficaram inacabadas, entre elas São Jerônimo e A adoração dos magos, ambas abandonadas em 1481. Seu espírito inquieto o impulsionava à pesquisa constante, e freqüentemente trabalhava em vários projetos ao mesmo tempo, deixando alguns deles inacabados. O fato é que, em 1482, o artista decidiu deixar Florença e partir para Milão, outra importante cidade italiana. Lá ele pintaria suas obras-primas e faria diversos projetos voltados para a ciência. Quer saber como tudo isso aconteceu? Então, clique aqui!

Leia mais:  IntroduçãoO apogeu do gênio

Matéria publicada em 16.04.2002

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Sarita Coelho

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat