A cigarra e a formiga


Tendo a cigarra cantado durante o verão,

Apavorou-se com o frio da próxima estação.

Sem mosca ou verme para se alimentar,

Com fome, foi ver a formiga, sua vizinha,

pedindo-lhe alguns grãos para agüentar

Até vir uma época mais quentinha!

“Eu lhe pagarei”, disse ela,

“Antes do verão, palavra de animal,

Os juros e também o capital.”

A formiga não gosta de emprestar,

É esse um de seus defeitos.

“O que você fazia no calor de outrora?”

Perguntou-lhe ela com certa esperteza.

“Noite e dia, eu cantava no meu posto,

Sem querer dar-lhe desgosto.”

“Você cantava? Que beleza!

Pois, então, dance agora!”

La Fontaine

Já há três séculos, as fábulas de La Fontaine fazem parte da infância de muita gente. O poeta nasceu em 1621 na cidade de Champagne, na França, e morreu em 1695.

Matéria publicada em 25.03.2003

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Quantas histórias ele já fez?

    Publicado em 13 de outubro de 2018 Responder

Redação

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?