Viagem de mentira, que parece real

Há planos de enviar uma missão tripulada a Marte em 2030. (Imagem: Nasa).

Em 2030, a agência espacial européia pretende lançar uma missão tripulada para Marte. Os astronautas escolhidos para visitar o planeta vermelho levarão 250 dias para chegar ao seu destino, 30 dias explorando o solo marciano e mais 240 dias na viagem de volta à Terra. Nesse período de mais de um ano e meio no espaço, eles terão de conviver com o isolamento e com o confinamento. Afinal, estarão tão distantes de casa que os sinais de rádio, responsáveis pela comunicação entre a espaçonave e a Terra, levarão 40 minutos para chegar ao nosso planeta e voltar.

Ficar por tanto tempo dentro de uma espaçonave, longe de casa e enfrentando um dia-a-dia repleto de trabalho em um ambiente tão diferente, tem tudo para provocar mudanças no comportamento dos astronautas. Com o passar dos dias, eles podem ficar incomodados com a falta de privacidade, o número de pessoas dividindo o pequeno espaço da nave, a grande quantidade de trabalho, problemas mecânicos que precisam ser resolvidos, o tipo de comida que têm à disposição, a comunicação limitada com a família, os amigos, o controle da missão na Terra…

Saber a influência que tudo isso tem sobre uma pessoa é fundamental para preparar uma missão espacial. Por isso, são realizados, antes das viagens, estudos em que indivíduos são submetidos às situações que provavelmente enfrentarão no espaço. Ou seja, sem sair da Terra, eles fazem uma viagem simulada ao seu destino.

A chegada de um ser humano à Marte é retratada por um artista (Imagem: ESA).

A agência espacial européia está em busca de voluntários que desejem participar de uma pesquisa desse tipo, que começará a ser realizada entre maio e julho de 2008. Os candidatos devem ter entre 25 e 50 anos de idade, boa saúde, mais de 1,85 metro de altura e viver em países como Portugal, Reino Unido, Canadá, entre outros (o Brasil não está incluído). A missão simulada terá cerca de 500 dias de duração e será feita em Moscou, na Rússia, com uma tripulação formada por seis membros.

Exceto pela falta de gravidade e pela radiação, a simulação será tão real quanto ir a Marte de verdade. Os voluntários viverão por cerca de 500 dias em módulos fechados, com quartos individuais que não têm mais de três metros quadrados de área. À sua disposição, terão alimentos pré-definidos e que deverão ser consumidos com moderação, pois, se acabarem, não poderão ser repostos. A água também é limitada e não haverá banho. Além disso, situações de emergência, como problemas nos sistemas da nave ou o adoecimento de algum membro da tripulação, serão encenadas e cada voluntário terá de cumprir uma jornada de sete dias de trabalho para dois de descanso.

Espera-se que, ao submeter os candidatos a uma rotina similar à que os astronautas enfrentarão quando estiverem rumo a Marte, seja possível conhecer melhor os limites dos seres humanos no espaço e tornar mais esse desafio um sucesso. Curioso, não?!

Matéria publicada em 19.05.2010

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Mara Figueira

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat