Um cientista em cada esquina

O trabalho de cientista não é fácil, principalmente se você precisa viajar por todo o país para fazer suas pesquisas. Para evitar esse cansaço e também acelerar o trabalho, pesquisadores da Finlândia, na Europa, puderam contar com uma ajuda e tanto. As crianças do país entraram em ação e fizeram os experimentos para eles!

Foram mais de 70 crianças e adolescentes envolvidos no projeto que durou dois meses. O objetivo era curioso: saber como besouros conhecidos como rola-bosta e outros pequenos invertebrados auxiliavam na decomposição do cocô das vacas. “Precisávamos entender as diferenças do processo em todo o país, ou seja, fazer o mesmo experimento em muitos lugares”, explicou o ecólogo coordenador da pesquisa, Tomas Roslin, da Universidade de Helsinki.

A voluntária Mari Hamppula em ação! Ali atrás, à direita, algumas amostras já estão protegidas dos besouros (Foto: Timo Marttila/Satakunnan Kansa)

A voluntária Mari Hamppula em ação! Ali atrás, à direita, algumas amostras já estão protegidas dos besouros (Foto: Timo Marttila/Satakunnan Kansa)

As crianças foram de grande ajuda. Tomas enviou a elas materiais de coleta e orientou-as a irem à fazenda mais próxima para arregaçar as mangas. Cada participante coletou 20 litros de cocô de vaca e separou em 15 porções. Nojento!

As porções foram colocadas no campo e o pesquisador disse às crianças o que fazer para observar o comportamento dos besouros e insetos atraídos pelos cocô. “Em alguns dos cocôs, bloqueamos a entrada dos besouros. Em outros, não deixamos que eles enterrassem o cocô – coisa que adoram fazer”, contou o cientista.

Para impedir o trabalho dos insetos, foram usadas grades e malhas ao redor do cocô. Algumas amostras também foram protegidas com grades mais finas ou tecidos, para impedir a entrada de animais menores e minhocas que poderiam atrapalhar o experimento.

Os besouros rola-bosta do gênero <i>Geotrupes</i> são os decompositores mais eficientes, segundo o estudo. Eles removeram o cocô duas vezes mais rápido que os vermes (Foto: Riikka Kaartinen)

Os besouros rola-bosta do gênero Geotrupes são os decompositores mais eficientes, segundo o estudo. Eles removeram o cocô duas vezes mais rápido que os vermes (Foto: Riikka Kaartinen)

Com essa brincadeira, eles viram o quão importante são os besouros para dar fim ao cocô! “Vimos que 13% de toda a decomposição são responsabilidade dos insetos e o mais importante deles é o besouro rola-bosta do gênero Geotrupes”, disse Tomas. “Além disso, percebemos que a decomposição é mais rápida no sul do país, onde é mais quente, do que ao norte. Todas essas conclusões seriam impossíveis sem a nossa equipe gigante!”

Agora, os pesquisadores estão fazendo experimentos menores em laboratório para entender melhor as observações da criançada. Puxa, queria eu ser cientista por um dia! Ou melhor, por um experimento!

Matéria publicada em 03.02.2014

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Estou com pena das crianças que ajudaram os cientistas, deve ter sido muuuuuuuuuuuuuuuuuito nojento!Mas, por outro lado foi bom porque elas aprenderam várias coisas!

    Publicado em 4 de agosto de 2018 Responder

  • Elisângela Costa Alves

    Muito obrigada pela ajuda foi preciso , mas deve ser um nojo

    Publicado em 18 de março de 2021 Responder

Envie um comentário

Isadora Vilardo

Sempre adorei ler para conhecer novos mundos e, com a ciência, conheço cada vez mais esse mundo em que vivemos. Na CHC Online, meu trabalho é escrever para dividir essa alegria com vocês!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat