Tubarão cheio de personalidade

Diga lá: como é a sua personalidade? Pode ser extrovertido ou tímido, falante ou calado, sociável ou mais na sua. Seja como for, cada pessoa tem seu próprio temperamento. Mas saiba que, segundo uma pesquisa feita por cientistas do Reino Unido, isso não se limita aos seres humanos – as diferentes personalidades também estão presentes numa espécie de tubarão.

Assim como os humanos, tubarões pata-roxa também têm personalidade. (foto: bathyporela / Flickr / <a href= https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.0/> CC BY-NC-ND 2.0 </a>)

Assim como os humanos, tubarões pata-roxa também têm personalidade. (foto: bathyporela / Flickr / CC BY-NC-ND 2.0 )

O animal estudado pertence à espécie Scyliorhinus canicula, mais conhecido como tubarão pata-roxa. Para descobrir se esses peixes têm ou não personalidade, os cientistas observaram dez grupos de dez tubarões em diferentes aquários durante vários dias. A ideia era compreender se, ao mudar de aquário, o comportamento do tubarão também mudava.

A equipe percebeu que os tubarões mais sociáveis – ou seja, que costumavam ficar mais perto de outros membros do grupo – mantinham o mesmo comportamento em todos os aquários pelos quais passavam. Do mesmo modo, os que preferiam ficar sozinhos e eram menos sociáveis também permaneceram com a mesma personalidade ao passar pelos diferentes locais.

“Tubarões sociáveis ​​foram observados descansando junto com os outros companheiros de grupo, enquanto os menos sociáveis ​​ descansavam sozinhos, longe do grupo”, explica o zoólogo David Jacoby, da Universidade de Exeter, na Inglaterra.

Manter um mesmo comportamento em diferentes lugares mostra, então, que os tubarões também têm personalidade própria e que esta não é influenciada pelo ambiente. David adiciona que outros animais também têm temperamentos diversos, como timidez ou agressividade. “Mas essa é a primeira vez que mostramos que animais podem ter personalidades sociais, como ser mais ou menos sociável, gostar mais ou gostar menos de estar com seus companheiros”, diz.

O zoólogo também conta que querer estar longe ou perto dos outros membros do grupo não interfere na sobrevivência do animal – é apenas uma questão de preferência. “Além disso, observamos que membros da mesma família gostam mais de estar perto um do outro do que de outros que não são seus familiares”, completa.

Matéria publicada em 10.11.2014

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Mariana Rocha

Cresci gostando de fazer descobertas para escrever sobre elas. Na CHC consigo ser curiosa e escritora, tudo ao mesmo tempo!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat