Robôs de origami

Quem já brincou de fazer barquinhos, flores e passarinhos dobrando papel nunca deve ter imaginado que com o origami era possível criar robôs de verdade. Mas foi exatamente isso que cientistas norte-americanos fizeram. E mais: eles inventaram robôs que se montam sozinhos, como os transformers dos desenhos animados e filmes.

robôs de origami01

Os robôs de papel se montam sozinhos e saem andando. (foto: Seth Kroll, Wyss Institute)

À primeira vista, você poderia confundi-los com uma folha de papel, até que eles se armam e saem andando. O segredo da engenhoca está nos cortes e vincos que os pesquisadores fazem na base de papel. Eles deixam tudo prontinho para que o robô se monte na forma certa.

Além do papel cortado, as criaturinhas carregam baterias, transmissores elétricos e um microprocessador que comanda a carcaça. Quando ligados por controle remoto, esses componentes eletrônicos se aquecem até 100 ºC, o que faz com que a base de papel se contraia e se dobre nos lugares marcados. Assim, o robô se levanta! Veja como funciona:


Depois que a temperatura esfria, as dobras ficam mais rígidas e o robô consegue se manter de pé. Então, o microprocessador controla os transmissores elétricos espalhados por sua superfície para que ele se mova.

O físico e um dos inventores dos robôs Itai Cohen, da Universidade de Cornell, diz que o mais legal dos robôs de papel é que eles podem ser feitos em várias formas. “Dependendo dos cortes e vincos, podemos conseguir robôs com diferentes estruturas”, disse o pesquisador em uma coletiva de imprensa. “É uma ideia simples e poderosa.”

Dobráveis e muito úteis

Os robozinhos bem que parecem de brinquedo, mas são alta tecnologia que pode ser usada para coisas sérias. Por serem leves e ocuparem pouco espaço, os transformers de origami poderiam, por exemplo, ser enviados em sua forma plana para auxiliar resgates em lugares de difícil acesso.

Imagine só: uma casa desaba e os bombeiros querem saber se há sobreviventes entre os escombros, mas ninguém consegue passar pelas cavidades dos destroços. Eles poderiam inserir o robô de papel ainda achatado pelas fissuras e o robô só se desdobraria quando tivesse espaço para se mover. Com uma câmera acoplada, ele ajudaria a localizar vítimas.

Outra vantagem dos robozinhos é que eles são baratos. Cada um sai por cerca de 200 reais, bem menos do que os robôs mais sofisticados feitos de metais.  Itai conta que seu sonho é que um dia os pequenos transformers estejam disponíveis para todo mundo. “Minha ideia é que as pessoas possam ir a uma loja, descrever o robô que querem e voltar para pegá-lo meia hora depois”, diz.

E você, já imaginou como seria o seu robô?

Matéria publicada em 21.08.2014

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Sofia Moutinho

Curiosidade é meu lema! Desde pequena busco respostas para as perguntas mais intrigantes. Melhor que estar por dentro da ciência, só compartilhar com vocês esse conhecimento!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat