Resfriamento universal

Há tempos escutamos falar do aquecimento global e seus perigos. Se, por um lado, na Terra, as temperaturas estão cada vez mais altas, por outro, no espaço, acontece o contrário: ele está cada vez mais frio. Diz aí: resfriamento universal é uma novidade para você?

A conclusão é de uma equipe de astrônomos da Suécia, França, Alemanha e Austrália. Eles mediram a temperatura do universo há cerca de 7 bilhões de anos e verificaram que ele era mais quente do que hoje – coisa que já havia sido prevista por outros cientistas.

Você deve estar se perguntando como é possível medir a temperatura no passado. O primeiro passo foi observar uma galáxia a 7,2 bilhões de anos luz da Terra. Como a luz emitida no espaço demora a chegar até nós, ao olhar para regiões distantes, os astrônomos olham para o passado do universo.

Astrônomos mediram a temperatura do universo jovem usando o radiotelescópio ATCA, na Austrália (Foto: CSIRO)

Para calcular a temperatura, os cientistas observaram, com a ajuda de um radiotelescópio, os diferentes elementos químicos presentes na galáxia distante e viram como eles se comportavam. Cada molécula se comporta de uma maneira diferente em ambientes mais frios ou mais quentes, o que dá pistas sobre a temperatura local.

Assim, a temperatura do universo há 7 bilhões de anos foi estimada em 267 graus Celsius negativos. Hoje, ela já está três graus mais fria – 270 graus Celsius negativos!

Esta é a confirmação de uma teoria já bastante aceita pelos cientistas: a de que o universo vem esfriando desde o big bang. “Se a teoria estiver certa, a temperatura do universo deve cair conforme o universo expande, como um balão de gás: quanto mais a gente assopra, menor a temperatura dentro dele”, explica o astrofísico Carlos Alexandre Wuensche, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

Além da temperatura, o estudo traz pistas interessantes sobre as características químicas do universo jovem. Ele mostra, por exemplo, que várias substâncias e elementos presentes hoje na Terra – como açúcares, hidrogênio e carbono – já estavam presentes há 7 bilhões de anos.

Matéria publicada em 28.02.2013

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Sofia Moutinho

Curiosidade é meu lema! Desde pequena busco respostas para as perguntas mais intrigantes. Melhor que estar por dentro da ciência, só compartilhar com vocês esse conhecimento!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat