Projeto Terra: Estações

I

Da vizinhança

Debaixo do alvo tanque
Coaxa o sapo cantor
Devora a água lavada
Espia o ralo só

Em cima do alvo tanque
Arregala-se a lagartixa
Goteja olhos sedentos
Emudece com a torneira vazia

Enquanto dança a lagartixa
O sapo canta
Conversa de vizinhos
Papo de seca

II

Vendo

uma folha de papel
para a sua história

um sopro de sementes
para o seu quintal

uma vagem de grãos
para a sua sopa

uma rede de fibras
para o seu sono

vendo o vento

Matéria publicada em 29.06.2015

COMENTÁRIOS

  • Maria de Lourdes Arruda Guerra

    Excelente iniciativa. Poemas a partir de elementos naturais aparentemente inúteis… Gostei da ideia. Eu tenho uma pena, quando faço podas nas minhas plantas e caem galhos, maiores,, menores, tortos, compridos….. Fico olhando para eles, para ver se daria para fazer alguma escultura com eles… Mas não tinha pensado em poesia. Amei essa ideia!
    Sou Lurdinha, s de São José dos Campos- S Paulo. Como Professora de Língua portuguesa, gosto muito de valorizar a poesia que pode haver ao nosso redor…

    Publicado em 28 de julho de 2021 Responder

Envie um comentário

Ninfa-Parreiras

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat