Perereca pintada

Foram meses embrenhado na mata, até que finalmente a encontrou! O biólogo Clodoaldo Lopes de Assis, mestrando em Biologia Animal da Universidade Federal de Viçosa, descobriu uma nova espécie de perereca, que chamou de Aparasphenodon pomba. O bichinho tem entre cinco e seis centímetros de comprimento e foi encontrado no município de Cataguases, na Zona da Mata de Minas Gerais.

A nova espécie de perereca (<i>Aparasphenodon pomba</i>) foi catalogada este ano. Dourada e com manchas beges, ela até lembra uma onça! (Foto: Clodoaldo Lopes de Assis)

A nova espécie de perereca (Aparasphenodon pomba) foi catalogada este ano. Dourada e com manchas beges, ela até lembra uma onça! (Foto: Clodoaldo Lopes de Assis)

“Lembra uma onça”, surpreendeu-se Clodoaldo, pois a pele do anfíbio é dourada e mesclada com manchas beges. Os olhos, vermelhos, também são bastante curiosos.

“Ela gosta de viver em bambuzais, e por isso é muito difícil de ser observada”, conta o pesquisador. Ao que tudo indica, é um animal bastante raro e possivelmente ameaçado de extinção.

Segundo Clodoaldo, o processo de descrição da espécie foi bem trabalhoso. “Não foi nada fácil”, disse à CHC Online. “Encontrei a primeira perereca em 2008; a segunda, em 2010; seis em 2011 e mais quatro em 2012”. No total, foram doze – número suficiente de exemplares para que se possa considerar o achado como uma nova espécie.

A pequenina <i>Aparasphenodon pomba</i> vive em bambuzais, onde se sente segura e aconchegante. O pesquisador passou meses desbravando a floresta para que pudesse encontrar a nova espécie de perereca (Foto: Clodoaldo Lopes de Assis)

A pequenina Aparasphenodon pomba vive em bambuzais, onde se sente segura e aconchegante. O pesquisador passou meses desbravando a floresta para que pudesse encontrar a nova espécie de perereca (Foto: Clodoaldo Lopes de Assis)

O próximo passo do pesquisador é entender os hábitos reprodutivos da perereca. Para isso, ele espera dar sorte e conseguir gravar o canto delas na mata, pois é pelos sons emitidos por esses bichos que podemos aprender informações muito interessantes sobre como eles encontram seus pares para formar novas famílias.

Mas há um delicado detalhe que preocupa Clodoaldo: a floresta onde foi encontrada essa nova espécie não é uma área de preservação ambiental. “Apesar de termos um trecho significativo de Mata Atlântica nativa aqui, esse trecho não é protegido por lei”, lamenta o pesquisador. Ou seja: essa preciosa área natural encontra-se vulnerável e, se nada for feito, pode ser depredada a qualquer momento.

A descoberta da nova perereca, segundo o cientista, pode ser um forte argumento para convencer os legisladores a fazer daquela floresta uma área de preservação. Tomara! Já pensou que triste seria perder definitivamente uma espécie que acaba de ser descoberta?

Matéria publicada em 31.10.2013

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Henrique-Kugler

Adoro viajar e fotografar. Conhecer músicas de diferentes lugares do mundo é meu passatempo favorito. Ah, e adoro comer chocolate e tomar chimarrão – uma espécie de chá de erva-mate, planta típica do sul do Brasil.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat